Lua nova de Peixes, 9 de Março, Eclipse solar

Peixes

 

Lua nova de Peixes, 9 de Março, 1.55 h…. tem brinde: eclipse solar

Esta é a última Lua nova do presente ano astrológico que se aproxima do fim, o que acontecerá quando o Sol sair de Peixes. Há portanto um ciclo que começa agora, dentro de um outro mais longo que termina. O símbolo do grau Sabiano onde se dá o encontro da Lua com o Sol é:

Um mestre instruindo os seus discípulos

Pista: A transferência de poder e conhecimento que mantém o impulso espiritual e criativo original do ciclo, activo e sem desvios.

Ciclos temporais começam e acabam sem que haja efectivamente uma demarcação que isole uns e outros. Cada momento é apenas a continuação do momento anterior, é aquilo em que o momento anterior se transformou, é um fluir de dados. Quando um ciclo é longo houve muitos dados coligidos, mesclados, transformados que não se irão simplesmente esfumar; vão continuar o seu processo de evolução natural depois que o próximo ciclo comece. É como se o período que termina, canalizasse todas as suas experiências e aprendizagens para o período que começa; o mestre que instrui o discípulo.

A Lua nova faz conjunção a Quíron. Quíron é a simbologia de uma energia que cura. E o que precisa de cura é o resultado de erros sucessivos. Ignorância gera crenças incorrectas, estas originam pensamentos e atitudes igualmente incorrectos, e com o decorrer do tempo surgem males vários que afectam o espírito, a mente e o corpo. Mas assim que a verdade é reposta, o processo pode reverter e a cura pode começar a acontecer. Isto está ao nosso alcance das nossas escolhas. Como aceder então à verdade, onde anda ela? Ela anda dentro de nós, mas temos que parar e aprender a sentir, aprender a perceber o que sentimos, aprender a confiar no que sentimos. Agir de acordo com o que sentimos e ver os resultados. Estudar os resultados, discernir o que pode ter contribuído para o melhor e o pior. Nós somos discípulos e podemos aprender com as circunstâncias, observando-as e compreendendo-as, fazendo experiências, jogando com elas. Agora sendo bem práticos e honestos vamos perceber que se ainda não temos este treino, se o discípulo que há em nós ainda não se sintonizou com o mestre que também há em nós e ao nosso redor, o que temos ao nosso alcance no decorrer de uma lunação é talvez um passo só, mas quem sabe o mais importante: querer a cura, querer dissolver os limites e as barreiras que nos impedem de experimentar a ligação que há entre nós e tudo o que nos rodeia, a mesma ligação que nos traz tudo o que precisamos para que a vida seja aquilo que deve ser, uma experiência de crescimento e felicidade. Fazer esta escolha de forma sincera, entregar-se ao Universo e deixar que aconteça o que tiver que acontecer. Confiar, não ter medo do que tiver que ir embora! Peixes é comparado ao um vasto oceano de energia que abarca tudo o que existe; entreguem-se então às ondas deste oceano, que é benevolente, a missão de levar para bem longe o que já não nos faz bem. Podemos falar de pessoas, de coisas, de circunstâncias, de atitudes, de emoções, de pequenas coisas até, que parecem não ter importância mas são como pedrinhas no sapato… ferem seriamente se as mantivermos enquanto caminhamos. Entregue-se tudo e abra-se o espírito a que o Grande Mestre nos mostre como fazer.

Mas algumas instruções podemos desde já recolher olhando o mapa. Para além da conjunção a Quíron a Lua nova faz oposição ao nodo norte em Virgem, isto é, se há assuntos que devemos entregar ao Mestre e aguardar, outros há que estão nas nossas mãos de forma mais directa e que se relacionam com a importância de cumprir rotinas que satisfaçam a vida do dia-a-dia de forma eficaz e saudável. Isto nem é novidade! Já que Quíron desempenha um papel importante nesta Lua nova, e que faz também oposição quase exacta ao nodo norte, vale dizer que não haverá cura real sem uma vida diária devidamente organizada, planeada, cuidada. Nós somos matéria e espírito, é por demais evidente a necessidade de rotinas responsáveis que integrem os dois pólos; discernimento do que é eficaz e saudável; o corpo precisa de movimento e ar livre tanto quanto de recolhimento e conforto; capacidade de aprendizagem de novas competências; alternar tempos de trabalho e tempos de lazer. Quantos dos nossos problemas, dos tais que precisam ser curados, não foram criados e se cristalizaram na nossa realidade por desequilíbrios nestas áreas? E a montante destes desequilíbrios estão muitas vezes feridas inconscientes e profundas, padrões que herdamos e nos obrigam a comportamos desajustados. Tanto a pedir cura!

Mercúrio está em Peixes, conjunto a Neptuno, marcando processos mentais menos racionais e mais intuitivos; podemos nos sentir confusos aqui e ali se insistirmos em entender a vida e as nossas circunstâncias de maneira puramente lógica. A lógica responde perfeitamente quando os problemas são meramente questões físicas e materiais. Mas a existência é também o que está para lá das três dimensões, e muitos não estamos habituados a lidar com essas outras áreas da vida. É natural sentirmo-nos confusos. É um processo de aprendizagem, afinal somos os discípulos. Para começar, basta talvez dar crédito a pensamentos que surjam do nada, talvez sem sentido segundo as normas estabelecidas, mas se surgem, sinalizam alguma coisa. Talvez seja a nossa verdade a bater à porta, o nosso mestre, o nosso curador.

Temos um desafio para ultrapassar, assinalado nas quadraturas de Marte a Vénus e a Neptuno. Marte está em Sagitário e haverá a tendência para desejar ardentemente desbravar caminhos rapidamente, com muito entusiasmo, muita impaciência, muito fogo. Vénus está em Aquário mas já no dia 12 vai transitar para Peixes e adquirir valores muito diferentes; vai sublinhar a importância de agir com tranquilidade, vai valorizar tempos de não acção mas de meditação e reflexão, de quietude, tempos de soltar a imaginação. Neptuno dilui o supérfluo, e as acções excessivas impelidas por Marte não têm viabilidade. E talvez a contra gosto teremos que aprender a agir com paciência, sensibilidade, com a sabedoria que o Mestre estará a transmitir. É no fundo, o que está indicado na oposição da Lua nova ao nodo norte, a necessidade de equilibrar o que se faz na vida concreta para ultrapassar as dificuldades, para curar as feridas, e como se escolhe abrir espaço à vida do espírito, que é de facto onde moram as soluções.

Em Peixes está Neptuno, um dos seus regentes. A função simbólica de Neptuno é colocar-nos em contacto com o Todo, onde todos os limites são transcendidos, todas as curas são operadas. No mapa desta Lua nova de Peixes todos os planetas sem excepção “trabalham” para Neptuno, ele é o dispositor final do mapa, ele é o Mestre; é de facto a energia do que chamamos habitualmente Amor Incondicional disponível para actuar em todas as frentes, mentais, emocionais, de acção, dissolvendo pelo menos uma parte daquilo que nos impede de crescer e evoluir, a parte necessária neste momento!

Temos ainda o eclipse solar que se deu no momento da conjunção do Sol e da Lua. No passado temiam-se catástrofes. Actualmente podemos esperar apenas mudanças. Nos mapas individuais a área de vida onde fica indicada a Lua nova, com o respectivo eclipse, será cenário de algum tipo de alteração, mudança de rumo talvez, alguma circunstância que acaba, alguma outra que começa. Não necessariamente nos próximos dias ou semanas, mas poderemos contar com novas circunstâncias. Seja o que for, como sempre, a intenção é proporcionar condições de crescimento pessoal, cortar com o que nos mantém estagnados, impelir-nos para a frente. Confiança, é sempre a palavra-chave!

Em 2015 a 20 de Março houve um eclipse solar em Peixes também. Tem boa memória? Este eclipse actual pode cair na mesma área ou na anterior.

Esta é uma Lua nova em que podemos vir a sentir o abraço que nos irá reconstruir. O Universo precisa de seres humanos brilhantes, felizes e saudáveis; a nossa experiência ajuda ao crescimento da Vida e Ela retribui apoiando-nos.

Mapa da Lua nova:
World of Wisdom -  para Lua nova

Imagem criada por Sue Ellen e o site dela é: http://www.zoolnart.com/

 

Consultas e análises aqui

Share Button

Lua cheia de Virgem, Fevereiro 2016

Lua Cheia

 

Lua cheia de Virgem, 22 de Fevereiro, 18.20 h

Símbolos Sabianos dos graus da Lua e do Sol:

Lua: Crianças pretas e brancas brincam juntas e estão felizes

Sol: Intenso tráfego de carros ​​sobre um estreito istmo que liga dois resorts no litoral

Na última Lua nova em Aquário, foi prometida uma meta de paz. Para aqui chegar ficou sugerido a importância do trabalho, atitudes de responsabilidade, maturidade. Mas temos sempre desafios! A última semana teve aspectos sinalizando algumas dificuldades nas tarefas do dia-a-dia, enquanto simultaneamente não faltava capacidade de agir de acordo com o desejado nem a possibilidade de encontrar novas soluções. A Lua cheia marca metade do caminho transcorrido, e o símbolo do grau onde se encontra sugere que se alcançou um estágio onde foi possível experimentar uma certa felicidade e equilíbrio interior. Em Virgem as emoções não são especialmente intensas e profundas, haverá talvez a concretização de algum dever cumprido, apesar de todos os obstáculos, e em decorrência disso respiramos de alívio e abrimos espaço a um pouco de descanso e lazer, antes de continuarmos em frente.

O símbolo do Sol em Peixes mostra a consciência que se cruza para várias direcções (o tráfego intenso), num espaço/tempo apertado (o istmo) mas com a imensidão do mar ali tão perto. Irradia talvez a ideia de que apesar da profusão de tarefas a executar, obstáculos a ultrapassar, prazos curtos a respeitar, a recompensa está próxima e adivinha-se. Há um tom de acalmia no momento da Lua cheia, que se nota no símbolo da Lua, mas há também ainda trabalho a fazer, o ciclo lunar vai a meio.

A Lua em Virgem sente de facto a necessidade de continuar focada nas tarefas diárias, cumprindo as obrigações habituais, tentando recuperar eventuais atrasos agora que não existem atropelos ao desempenho das rotinas. Aproxima-se de uma oposição a Neptuno e somos lembrados que nem todo o aperfeiçoamento da vida passa pelas tarefas concretas, há dimensões não físicas que precisam ser assimiladas permanentemente, e só a atenção aos dois pólos simultaneamente permite que “as crianças continuem brincando”. Ao mundo do trabalho e obrigações, mesmo a ajuda a outros, deve alternar o mundo do descanso, da reflexão, da meditação porque é aqui que se ganha inspiração e se ouve a intuição que dirige os passos da direcção certa, na direcção do mar de todas as possibilidades a que temos acesso. Este é o mar onde o Sol está imerso, e onde se vai fundindo com Neptuno, permitindo mais e mais que a consciência se volte para todas as forma de transcender as dificuldades, com a capacidade de perdão e auto-perdão por não sermos nós nem ninguém os seres perfeitos que idealizamos, com sensibilidade perante as fragilidades dos outros e as nossas também.

Mercúrio que está em Aquário, mostra como os nossos processos mentais se desenvolvem tendo como foco o bem-estar da comunidade, presente e futuro. Mas enquanto o Sol em Peixes percepciona todos diluídos num Todo, intelectualmente não esquecemos de que o Todo é constituído por elementos individualizados a quem é necessário proporcionar condições de manutenção dessa mesma individualidade, porque a riqueza do global está no reconhecimento do que mais único existe em cada um. O sextil a Saturno coloca as capacidades únicas que todos possuímos de comunicação, aprendizagem, discriminação, procura e planificação de caminhos, ao serviço da sociedade, na criação de novas propostas de sociedade e da nossa própria forma de vida.

Saturno continua em quadratura a Júpiter e trígono a Urano. Se por um lado temos a capacidade de lidar com a realidade material de forma renovada, procurando estruturar inovação, por outro surgem atritos e dificuldades diariamente entre o que temos para cumprir, as condições pessoais que existem e as que queremos ver materializadas. É no ultrapassar destes obstáculos que podemos crescer, que podemos transcender os nossos limites, que podemos criar novas condições de vida.

Júpiter faz trígono a Plutão em Capricórnio; o crescimento diário, com todos os desafios que se vão apresentando, está contribuindo muito directamente para fazermos profundas transformações em áreas da nossa vida muito necessitadas dessas mesmas transformações.

Estas são as condições gerais com que chegamos à Lua cheia. Para cada um de nós há uma tradução muito particular do que o momento revelou e do que irá ainda revelar. O que serve os nossos propósitos é para continuar. O que não serve será para descartar, só assim a paz será conseguida.

 

 

Share Button

Mercúrio, Vénus e Marte – 15 a 21 de Fevereiro

Horoscope wheel chart

Mercúrio (mente)

Mercúrio em Aquário: os pensamentos que surgem podem ser mais livres, descondicionados de tudo o que sejam “fórmulas testadas e aprovadas”. Quebrar as regras é muitas vezes inovar formas de fazer, pensar ou comunicar e isso é a proposta de Aquário. Estaremos mais intelectuais, mais conectados a ideias que promovam progresso, mais sociáveis, mais impessoais.

– Dias 17 e 18 de Fevereiro sesquiquadratura a Júpiter e quintil a Urano: dificuldade em conciliar os processos mentais ou de comunicação com as rotinas do dia-a-dia. Simultaneamente há talento e inventividade; a questão é, em que direcção flui esta criatividade.

– Dia 19 de Fevereiro sesquiquadratura ao nodo norte: semelhante ao aspecto anterior com Júpiter, isto é, difícil fazer fluir a mente com as rotinas.

Vénus (o que valorizamos)

Vénus: em Capricórnio, valorizando a formalidade, a maturidade, a segurança material, a organização, uma imagem pública responsável. Durante a manhã de dia 17 irá entrar em Aquário e a proposta agora é acima de tudo para valorizar a liberdade, a inovação e a atenção à comunidade. É importante implementar formas de estar em que a responsabilidade perante os outros se mantenha, mas numa versão mais aberta e livre, disponível para a inovação, para a valorização de tudo o que saliente os nossos atributos mais únicos postos à disposição de todos. Há a sugestão para relacionamentos mais respeitadores das liberdades individuais, menos sujeitos a regras exteriores aos próprios indivíduos. Os valores do passado que ainda se mostrem benéficos podem permanecer, mas que outros valores de futuro sejam integrados.

– Dias 16 e 17 de Fevereiro semi quadratura a Saturno: dificuldade em fazer valer o que é importante para nós e circunstâncias da nossa própria realidade.

– Dia 21 de Fevereiro sesquiquadratura a Júpiter e quintil a Urano: dificuldade em viver o que valorizamos e dar andamento as rotinas habituais, enquanto existe potencial para que surjam novos valores

Marte (acção)

Marte em Escorpião até 6 de Março: com grande energia e mesmo resistência física, temos capacidade para fazer face aos desafios e irmos à conquista do que mais desejamos.

– Dia 15 de Fevereiro sextil ao nodo norte: optamos pelas atitudes que podem conduzir-nos aonde pretendemos, mas dando expressão à necessidade de cumprir com as rotinas do dia-a-dia.

– De 15 a 19 de Fevereiro bi-quintil a Urano: está presente neste aspecto uma especial capacidade inovadora para agirmos de acordo com o que desejamos, apesar das dificuldades que possam existir. Estas dificuldades podem estar relacionadas também com os aspectos astrológicos menos fáceis da semana.

 

 

 

Para consultas ver aqui

 

Share Button

Mercúrio, Vénus e Marte – 8 a 14 de Fevereiro

AAAAAAA

Mercúrio (mente)

Mercúrio: em Capricórnio até 13 de Fevereiro; a mente foca-se em alcançar metas, há uma direcção a seguir para a qual se trabalha e as responsabilidades são assumidas. Paciência e persistência estão mais presentes e a capacidade de lidar com os assuntos práticos e materiais também, bem como uma maior sobriedade que pode repercutir-se também na forma como comunicamos. No dia 13, depois da hora do almoço dá-se a entrada em Aquário. A mente torna-se mais fluída e aberta a novidades, a novas formas de pensar e comunicar; mais facilmente procuramos situações de socialização especialmente em grupos que partilham connosco as mesmas visões, as mesmas opiniões. A independência e a originalidade nas ideias ajudam-nos a quebrar com padrões desgastados, a encontrar soluções para desapegar do que se tornou inútil, prejudicial ou o que simplesmente não nos interessa mais.

– Até 13 de Fevereiro conjunção a Vénus: ver Vénus

– Dia 13 semiquadratura a Saturno: há uma restrição da capacidade intelectual o que pode originar dificuldades nos processos de pensamento ou comunicação, nomeadamente quando aplicados a questões práticas. É só um dia, sugere-se não insistir!

Vénus (o que valorizamos)

Vénus em Capricórnio até 17 de Fevereiro: a forma como nos relacionamos e o que valorizamos na vida revestem-se de uma maior formalidade e sobriedade. Aumenta o prazer em transmitir uma imagem de autoridade e responsabilidade, em trabalharmos para garantir segurança material, em organizar alguma área específica do nosso próprio universo pessoal.

– Até dia 10 de Fevereiro trígono a Júpiter e ao nodo norte: os nossos valores de responsabilidade e compromisso, juntam-se à função de Júpiter que se relaciona com o melhoramento do nosso dia-a-dia, tornando mais eficazes as tarefas diárias. Temos portanto a oportunidade de promover o nosso crescimento interno em estreita ligação com aquilo que para nós é mais importante.

– Dias 12 e 13 de Fevereiro semiquadratura a Neptuno: entre os nossos valores orientados para uma atitude de autoridade, competência e responsabilidade e a aspiração de transcender as dificuldades normais da vida na realidade física, pode gerar-se alguma confusão, alguma dificuldade em perceber o que é mais importante nas circunstâncias que se nos apresentam. Estes aspectos de semiquadratura são sempre fonte de “frustração” e nada do que se faça parece resultar. Ensinam paciência, saber esperar até a confusão dissipar.

– Durante toda a semana conjunção a Mercúrio: pensamentos, ideias, estratégias e comunicação são estruturados em estreita ligação com os nossos valores. Todas as formas de comunicação podem tornar-se mais agradáveis e atraentes.

Marte (acção)

Marte em Escorpião até 6 de Março: energia e força considerável para irmos à conquista do “nosso lugar ao Sol”; as motivações mais profundas são molas impulsionadoras de acção, e dão-nos capacidade de fazer frente a todas as dificuldades.

– Até dia 13 de Fevereiro sextil a Júpiter: a força, a energia e o foco postas à disposição de como estamos a crescer pessoalmente, dando atenção às rotinas diárias de trabalho, de atenção à saúde, de ajuda aos outros.

– A partir de dia 10 de Fevereiro sextil ao nodo norte: indica um impulso semelhante ao sextil a Júpiter

 

 

Para consultas ver aqui

Share Button

Lua nova de Aquário, 8 de Fevereiro 2016

Aquário

Lua nova em Aquário, 8 de Fevereiro, 14.39 h

Mais uma vez no céu se irá iniciar um ciclo lunar, mais uma vez aqui na Terra podemo-nos alinhar e seguir a proposta. O símbolo Sabiano onde ocorre a conjunção do Sol e da Lua é:

Uma grande pomba branca é portadora de uma mensagem

Pista: Uma pomba branca sempre significa a paz

O conceito de Aquário está ligado a uma nova visão de organização social, livre do passado, livre sobretudo dos detalhes que se mostraram perversos, ultrapassados e incompatíveis com o bem geral da humanidade. Aquário é regido por Saturno, que rege também Capricórnio, símbolo da sociedade que eventualmente é necessário transformar para depois reestruturar novamente. Mas é também regido por Urano que tem como função revolucionar, desafiar o sistema vigente, ele é o libertador e pode ser duro, brusco, disruptivo, perturbador da ordem! Urano foi descoberto na época da Revolução Francesa em que o que se pretendia era exactamente derrubar a velha ordem e substitui-la por uma nova visão de sociedade, mais igualitária, mais benéfica para todos. Surgiu o lema liberdade, igualdade, fraternidade que retrata bem o que Aquário simboliza. Foi aliás por esta razão que Urano acabou por ser associado a Aquário. Guerrilhas revolucionárias, instabilidade e a decapitação de Maria Antonieta mostram a imaturidade da humanidade da época! A mesma humanidade continua muito “infantil, autoritária, caprichosa e birrenta”, mas somos cada vez mais aqueles que rejeitamos tudo o que não seja paz! Afinal a paz pode ser tão revolucionária e é tão libertadora! Penso que a conclusão é, a paz é tão aquariana! E se nesta Lua nova conseguirmos alcançar um objectivo em sintonia com um futuro pacífico, o futuro fica mais presente e o presente fica mais harmonioso!

O que podemos então fazer durante os próximos 28-29 dias para dar um passo em frente na conquista da nossa própria paz, da nossa libertação do passado? O mapa revela as pistas. Quanto aos aspectos astrológicos em aplicação à Lua nova, isto é, em aproximação ao grau exacto, há apenas um semi-sextil a Vénus em Capricórnio indicando que uma componente a ter em conta são os valores que alimentamos, a começar pelo nosso valor próprio. Este último é se calhar o primeiro a que devemos dar atenção, porque sem que nos valorizemos como é possível alimentar um sentimento de paz interior? E sem paz interior como é possível manter relações saudáveis, emoções equilibradas, ausência de carências, projectos de vida, alegria, vitalidade? E sem tudo isto como é possível criar paz à nossa volta? Depois é necessário entender que Vénus em Capricórnio sugere valores de maturidade, seriedade, responsabilidade. Por isso a primeira indicação, é que para a “semente” se poder desenvolver saudavelmente, necessita do atributo responsabilidade. Escolho, implemento e assumo os resultados; se é positivo recolho os benefícios, se é negativo faço novas escolhas! Assumir sucessos e insucessos só a nós diz respeito.

Ligado por uma conjunção a Vénus, está Mercúrio em Capricórnio também, e isto indica como tudo o que processamos mentalmente passa pelo crivo dos valores, e, inversamente, tudo o que valorizamos é analisado detalhadamente pela mente; e porque tudo se passa debaixo da energia de Capricórnio, mais genuinamente aderimos a posturas responsáveis, as que poderão vir a ter sucesso ao longo desta presente lunação.

Quando se fala em Capricórnio fala-se de responsabilidade, mas também de trabalho, de organização, de estruturação. E não é de facto um tema menor este do trabalho, nomeadamente porque Vénus faz trígono a Júpiter em Virgem, que para não destoar, reforça tudo o que Capricórnio simboliza, talvez apenas com um pouco mais de discrição, de humildade, lembrando que algumas rotinas diárias são tão humildes mas tão necessárias se queremos ver a vida melhorada! Muito mais até que isto, Júpiter em Virgem diz que estas rotinas do dia-a-dia, são aquelas que nos estão a permitir expandir a experiência que temos da vida, são aquelas que por ora nos permitem crescer mais um pouco interiormente, já que Júpiter está retrógrado. Crescer às vezes cansa; estamos a abraçar tarefas de forma mais madura, mais exigente e podemos sentir de tempos a tempos que faltam forças. Mas Júpiter faz sextil a Marte. E o que é que Marte nos dá? Muita energia, porque em Escorpião, signo de que é regente, força e energia não faltam!

Há um outro aspecto que já está em separação, mas é tão recente que me parece importante referir; trata-se da quadratura do Sol a Marte que nos tem acompanhado desde há três semanas. Pode ter sido necessário agir, ou dar atenção com especial empenho a alguma área da nossa vida, as circunstâncias a isso nos obrigaram. Há agora que consolidar ou resolver definitivamente, dar por concluído o que se mostrou ser necessário.

Uma quadratura de Saturno a Júpiter, sinaliza um desafio a ir ultrapassando. Como foi referido Júpiter diz que precisamos atender às rotinas; elas podem ser banais mas são muito importantes, não podem ser descuradas! Saturno está em Sagitário e tem como proposta estruturar o que está para lá do nosso “aqui e agora”, para lá das nossas rotinas. Faz trígono a Urano em Carneiro que, mais uma vez não se relaciona com o rotineiro, pelo contrário, é inovação, novas atitudes, novas abordagens, novos projectos. Como iremos conciliar a atenção às rotinas com o que não é rotineiro? Criatividade e dons únicos  todos temos, usemo-los!

Vamos lá então ser bem revolucionários, libertarmo-nos de padrões do passado, olhar o futuro de forma inovadora, trabalhar duro se for preciso, para criar um futuro de paz, liberdade, igualdade e fraternidade nem que seja só na nossa própria realidade, na nossa própria casa ou família ou amigos. Aos poucos iremos dando corpo à famosa Era de Aquário!

Imagem é daqui: http://nahimaart.deviantart.com/art/Zodiac-Aquarius-406113652

Lua Nova 8 de Fevereiro

Para consultas ver aqui

Share Button

Mercúrio, Vénus e Marte – 1 a 7 de Fevereiro

Mercúrio

Mercúrio (mente)

Mercúrio em Capricórnio até 13 de Fevereiro: a mente foca-se em alcançar metas, há uma direcção a seguir e só com trabalho e sentido de responsabilidade é possível atingir objectivos. Paciência e persistência estão mais presentes e a capacidade de lidar com os assuntos práticos e materiais também, bem como uma maior sobriedade que pode repercutir-se também na forma como comunicamos.

– Até 6 de Fevereiro trígono a Júpiter: as capacidades mentais e de comunicação centradas no trabalho, na estruturação de metas estabelecidas alia-se ao crescimento pessoal pelo aprimoramento das rotinas básicas do dia-a-dia, simbolizado por Júpiter em Virgem. Uma vez que Júpiter está retrógrado, este crescimento necessita da sua correspondência interna, isto é, é das nossas próprias escolhas, do assumir das nossas próprias responsabilidades, da definição e implementação da nossa própria versão de melhoramento do dia-a-dia.

– De 4 a 7 de Fevereiro trígono ao nodo norte em Virgem: este aspecto é algo semelhante ao anterior, uma vez que o nodo norte é um ponto que aponta a abordagem à vida que deveremos integrar, para que o futuro seja mais promissor. E em Virgem a proposta é então aperfeiçoar a nossa realidade através de práticas diárias mais eficazes, sejam práticas de trabalho, de estudo, de vida saudável, de serviço ou ajuda prestada aos outros. Com este trígono a mente capricorniana, que ambiciona estrutura e estabilidade material, autoridade também, serve directamente os propósitos do nodo norte, enquanto o melhoramento do dia-a-dia serve por sua vez os planos traçados pela mente.

– Conjunção a Vénus: ver Vénus

Vénus

Vénus (o que valorizamos)

Vénus em Capricórnio até 17 de Fevereiro: a forma como nos relacionamos e o que valorizamos na vida revestem-se de uma maior formalidade e sobriedade. Aumenta o prazer em transmitir uma imagem de autoridade e responsabilidade, em trabalharmos para garantir segurança material, em organizar alguma área específica do nosso próprio universo pessoal.

– Até 5 de Fevereiro conjunção a Plutão: há uma intensificação dos nossos valores, e a superficialidade nas relações é rejeitada. Há também necessidade de transformação, de desapegar de pessoas ou comportamentos que valorizámos, que nos proporcionaram prazer e satisfação, talvez um senso de auto estima, mas que entretanto deixaram de poder contribuir para a nossa própria evolução pessoal.

– Até 6 de Fevereiro quadratura a Urano: dos valores que não servem mais, que nos seguram a formas de viver ultrapassadas, precisamos acima de tudo de nos libertar. A libertação dá-se pelas transformações que são relacionadas com o aspecto anterior, ou simplesmente pelo desapego e aceitação do “espaço” que fica vazio. Diz-se que o Universo não gosta de espaço vazios, e na hora certa ficará preenchido com alguma coisa mais benéfica e inovadora.

– A partir de 3 de Fevereiro trígono a Júpiter: os nossos valores de responsabilidade e compromisso, alguns deles em processo de transformação assinalado pela conjunção a Plutão, juntam-se à função de Júpiter que se relaciona com o melhoramento do nosso dia-a-dia, tornando mais eficazes as tarefas diárias. Temos portanto a oportunidade de promover o nosso crescimento interno em estreita ligação com aquilo que para nós é mais importante.

– Durante toda a semana conjunção a Mercúrio: pensamentos, ideias, estratégias e comunicação são estruturados em estreita ligação com os nossos valores. A escrita e a forma de conversar podem estar mais refinadas, tonando-se mais agradáveis e atraentes.

– Durante toda a semana sextil a Marte: ver Marte

Marte

Marte (acção)

Marte em Escorpião até 6 de Março: energia e força considerável para irmos à conquista do “nosso lugar ao Sol”; as motivações mais profundas são molas impulsionadoras de acção, e dão-nos capacidade de fazer frente a todas as dificuldades.

– Até 3 de Fevereiro sextil a Plutão: reforço daquilo que é simbolizado por Marte em Escorpião, poder para transformar tudo o que é necessário, eliminar se preciso for! Se tivermos um objectivo só paramos depois de o conseguir!

– Até 6 de Fevereiro quadratura ao Sol: alguma área da nossa vida não se apresenta como queremos, é preciso recriá-la e temos força para isso. Talvez seja uma fonte de impaciência, irritação, algum tipo de insatisfação; pode incomodar mas a função essencial é mostrar onde há que agir para mudar.

– De 1 a 5 de Fevereiro quincôncio a Urano: uma necessidade de ajustamento entre as acções ditadas pelos nossos desejos e o aceitar novas atitudes ao nível de como procuramos ser independentes e autónomos; uma coisa implica a outra e é preciso dar espaço a que as duas energias se manifestem.

– A partir de 3 de Fevereiro sextil a Júpiter: a força, a energia e o foco postas à disposição de como estamos a crescer pessoalmente, dando atenção às rotinas diárias de trabalho, de atenção à saúde, de ajuda aos outros.

– Durante toda a semana sextil a Vénus: com Vénus em Capricórnio, os nossos desejos de afirmação pessoal em qualquer tipo de relacionamento, manifestam-se em concordância com valores de responsabilidade, seriedade e comprometimento. Facilitada a tarefa de construir, ou reconstruir, todos os tipos de relacionamentos.

 

 

Para consultas ver aqui

Share Button

Lua Cheia em Leão, Janeiro 2016

Leão

 

Lua cheia em Leão, Sol em Aquário, 24 de Janeiro, 1.45 h

A Lua cheia, assinalando meio caminho percorrido desde o início do ciclo lunar, na Lua nova anterior, é um período onde podemos analisar que condições são as nossas, o que foi ou não conseguido, o que foi aprendido, como continuar até ao fim do ciclo. Isto, muito especialmente, se temos como opção aproveitar as energias disponíveis em cada início de ciclo lunar, colocando em andamento projectos que cremos nos irão trazer algum tipo de benefício. Simbolicamente temos a luz a iluminar o nosso inconsciente, dando-nos acesso facilitado a compreendermos o que lá se passa. A primeira parte desta análise é a que os símbolos Sabianos da Lua e do Sol, me sugeriram. São eles:

Lua   – Um homem idoso, vestido formalmente, está junto aos troféus que trouxe de uma expedição de caça

Pista: A vontade masculina de impressionar os amigos, com as habilidades em executar os antigos rituais tradicionais de poder. Mas também a vontade de conquistar a sua própria natureza animal.

Sol – Um yogi hindu demonstra seu poder de cura.

Pista: O uso disciplinado de energias espirituais que irão restaurar a harmonia natural perturbada por tentativas desequilibradas do homem de transcender a natureza.

A 10 de Janeiro ocorreu a Lua nova em Capricórnio, cuja proposta foi implementar e desenvolver assuntos ligados ao lado material da existência, com especial ênfase em questões de trabalho, organização, responsabilidades, objectivos. Capricórnio relaciona-se com a sociedade onde estamos integrados, com as suas regras e limites às escolhas individuais; convicções filosóficas, religiosas e culturais estruturaram durante muito tempo o que agora é a realidade que vivemos. No contexto actual de uma sociedade ocidental, que é a nossa, somos influenciados por ideias relacionadas com ambição e status social, com preocupações com a imagem pública que transmitimos, com segurança material directamente ligada à situação económica. Nada disto é errado, mas quantas vezes porém, ficamos enredados em teias tecidas por ambições excessivas, ilusórias e  pouco verdadeiras, geradas pelo imaginário dessa mesma sociedade, que sugere vias para a conquista de um estatuto do qual nos iremos orgulhar e que nos irá proporcionar uma imagem de sucesso e autoridade! Neste processo que pode ser apelativo, esquecemos outros aspectos da realidade da vida, e temos sucesso sim, em criar desequilíbrios vários aos quais não damos atenção, de tal forma estamos concentrados na procura da tal imagem de sucesso e autoridade, em alguma área da nossa vida.

No fundo tudo está sempre bem, e todos os erros têm o condão de apontar a maneira de o corrigir. À percepção de desequilíbrio temos como opção a procura do antídoto, que não só traz a harmonia perdida como traz a promessa da possibilidade de uma nova visão, de uma nova atitude que contenha em si uma estrutura inovadora, onde crenças e atitudes antigas não encontrem mais lugar de manifestação.

Continuando agora com outros detalhes mais estritamente ligados aos posicionamentos e aspectos astrológicos, é de notar que se a Lua nova se deu em Capricórnio, isto é, Lua e Sol no mesmo grau do signo de Capricórnio, agora a Lua cheia dá-se com o Sol já em Aquário; é como se a transição do Sol, dum signo marcadamente ligado às estruturas do passado, para um outro assumidamente relacionado com a procura de novas visões de futuro, assinalasse a possibilidade de,  à nossa escala pessoal, optarmos por abandonar formas de estar na vida que têm sido a norma, e nos abríssemos a outras alternativas. Com a Lua em Leão sentimos necessidade de ser o centro das atenções, de ser reconhecidos e se o conseguimos sentimo-nos seguros no nosso papel, há generosidade e alegria; mas, e se não conseguimos? O que caracterizou o passado, o que escolhemos para futuro? Sol em Aquário pelo contrário é o impulso de nos sentirmos parte de uma comunidade, em que tendo a liberdade de ser diferentes não sentimos necessidade de nos destacar, somos todos especiais e essenciais. Com a oposição do Sol e da Lua, precisamos equilibrar estas duas propostas, mas os dois em  quadratura a Marte em Escorpião,  pode originar tensão e agitação, dificuldades emocionais a ultrapassar.

Marte em Escorpião está em contacto com o que mais nos motiva a agir; são correntes inconscientes e ligadas a instintos e desejos profundos aos quais simplesmente não é possível virar as costas. A quadratura ao Sol gera vontade e energia, talvez por insatisfação com o que é a realidade estabelecida, para tomar iniciativas no sentido das acções que escolhemos ter. Estas podem estar relacionadas com responsabilidades perante um qualquer grupo a que pertencemos; afinal Aquário leva em conta o bem de todos os elementos de uma comunidade. Mas a Lua, sente necessidade de ser “aplaudida junto aos seus troféus” e pode reagir forte e impulsivamente se não conseguir, numa espécie de reacção imatura e infantil por não obter a atenção desejada. Não se trata aqui de abdicarmos da atenção e reconhecimento que merecemos, nem de abandonarmos o que nos dá um senso de segurança emocional, trata-se de compreender se há condições para isso acontecer, se chegou o tempo certo, se não estamos apenas ocupados com o nosso umbigo, como podemos integrar os outros nos nossos cenários. Quando o que exteriorizamos é gerado apenas por amor à tarefa, quando soubermos equilibrar o pessoal com o impessoal, estamos preparados para assumir papéis de liderança responsável, nos saberes que dominamos, quer em grupos mais alargados quer no pequeno círculo de amigos ou familiares.

Penso que a forma como pudermos trabalhar as circunstâncias e as emoções desta Lua cheia, dizem sem pudor se estamos em condições de alcançar a tal imagem responsável e “crescida” que está em causa nesta lunação. Se não estivermos e quisermos estar, contamos com uma pequena ajuda! Ela chega através dum quintil do Sol a Urano, e um tridecil da Lua a Urano; o que nos está a ser ofertado é uma capacidade única, criativa e inovadora, que oferece uma possibilidade extra de desapegarmos de comportamentos ultrapassados. E com Mercúrio ainda retrógrado em Capricórnio, mantém-se a facilidade em repensar todos os assuntos ligados ao que nos trará uma vida mais bem construída e organizada, de acordo com padrões de futuro, sem os pesos do passado.

Estamos aqui para ser felizes. Há passos que nos vão sendo pedidos para o sermos cada vez mais. Cada Lua cheia tem o poder de mostrar folhas murchas que precisamos varrer do nosso caminho. A minha vassoura está a postos…. e já está a rugir!

Lua cheia 24 Janeiro

Para consultas ver aqui

Share Button

Lua Nova de Capricórnio, Janeiro de 2016

Oval

 

Lua nova em Capricórnio, dia 10 de Janeiro, 1.30 h

Relembro que uma Lua nova marca um período em que a Lua faz conjunção ao Sol, isto é, ambos estão no mesmo grau do mesmo signo; inicia-se um ciclo que terminará 28-29 dias depois, quando a próxima Lua nova acontecer. “O que está em cima é como o que está em baixo”, e por isso, o período é propício a que também nós na nossa vida, possamos iniciar um ciclo em que iremos tentar concretizar alguma coisa que possa de alguma forma melhorar a nossa realidade. Num tão curto espaço de tempo não vamos mudar radicalmente as nossas circunstâncias, mas pequenos passos podem ser dados, se nos alinharmos conscientemente com as energias disponíveis.

Capricórnio relaciona-se com a realidade “pura e dura”, com o auge da concretização de objectivos, com a nossa imagem pública, com a forma como queremos ser reconhecidos, com a profissão, com as estruturas que suportam as nossas experiências, boas e más. São portanto as questões de estruturação da segurança material e de organização, de trabalho e responsabilidade  que se irão desenvolver durante a próxima lunação.  Para concretizarmos resultados a este nível físico da nossa experiência de vida, veicular a mente directamente para assuntos práticos ajuda bastante. Mercúrio, como símbolo dos processos de pensamento, aprendizagem, análise e comunicação está em Capricórnio também, e em aproximação a uma conjunção à Lua Nova; ouro sobre azul, se quisermos mais facilmente ter sucesso e chegar às metas estabelecidas no nível em que Sol e Lua estão sintonizados. Mercúrio está retrógrado, mas isso não significa que seja necessário parar com o normal decorrer da nossa vida para evitarmos aqueles contratempos típicos destes períodos, apenas devemos ter cuidado redobrado com tudo o que ele implica; a retrogradação pede que o exterior seja temporariamente “esquecido”, o que precisamos para seguir em frente já existe interiormente, e a permanente atenção ao que nos rodeia potencia distracções e erros. Reavaliando cada passo, cada escolha, cada comunicação, mantendo-nos concentrados, contando com imprevistos, que afinal de contas podem sempre acontecer,  minimizamos o potencial que existe para enganos e atrasos.

Em Capricónio encontra-se também Plutão, já desde 2008 e estará até 2023. A realidade capricorniana é a de todas as estruturas que suportam o nosso estilo de vida, quer sejam estruturas de âmbito social quer sejam estruturas pessoais; é o sistema que vigora na sociedade em que estamos inseridos e é também o nosso próprio sistema de vida pessoal, que criámos com os nossos desejos, ambições, opções, crenças. Capricónio é a realidade terrena mais cristalizada, mais fortemente estruturada e enraizada, mas que nem por isso dura sempre! Actualmente há muitas mudanças necessárias e profundas, mas há também muita resistência. Nada porém que afronte o tremendo poder de transformação de Plutão. E é isso que é proposto com a permanência em Capricórnio, profunda metamorfose das estruturas sociais bem como pessoais. Se a cada Lua nova podemos dar pequenos passos para que as necessárias alterações se processem na nossa própria vida, em Capricórnio mais especialmente, teremos a oportunidade de consolidar de facto mudanças estruturais que, a manifestarem-se efectivamente, serão indicação de verdadeiras alterações que chegam para substituir algumas outras que entretanto ficaram obsoletas.

Para além da conjunção a aplicar-se a Mercúrio, esta Lua nova aproxima-se simultaneamente de um trígono a Júpiter em Virgem. Virgem, tal como Capricórnio, é um signo do elemento terra, intrinsecamente ligado à vida prática do dia-a-dia. A função do planeta Júpiter em astrologia é crescimento, expansão, e em Virgem isto é conseguido com dedicação às tarefas diárias da vida comum, tarefas essas que procuram facilitar e aperfeiçoar as nossas vivências terrenas. A conjunção de Júpiter ao nodo norte em Virgem, é a ênfase neste foco, de importância fundamental para os tempos mais próximos se nos quisermos posicionar adequadamente, voltados para um futuro mais promissor. Uma vez que Júpiter também ficou muito recentemente retrógrado, temos a indicação que estas tarefas e obrigações diárias deverão estar sujeitas a um olhar mais pessoal e interno. Temos a oportunidade de orientar as nossas opções de acordo com a nossa própria verdade, só ela nos pode guiar, só ela sabe quem de factos somos e que caminho teremos que trilhar.

Capricórnio e Virgem desempenham um papel importante nesta Lua nova; o primeiro porque é o signo onde ela se dá, com mais dois planetas directamente envolvidos (Mercúrio e Plutão, já mencionados) e o segundo porque é um signo do mesmo elemento terra, onde os processos envolvidos pela estadia de Júpiter, se ligam directamente aos desenvolvimentos possíveis durante a lunação de Capricórnio. Mas há um terceiro elemento que merece referência, é Sagitário. Por aqui transita Saturno, regente de Capricórnio, e Júpiter é regente de Sagitário, energia que simboliza realidades para lá do mais imediato que nos rodeia, e que só podemos alcançar com conhecimento, procura e verdade. Esta verdade é o que fica quando descartamos tudo o que não se sintoniza com o que de facto sentimos. Por exemplo, a profissão exercida foi fruto de uma escolha livre ou é fruto dos condicionamentos sociais e culturais? É o que escolhi do fundo do coração ou é o que acredito me garantir dinheiro para viver condignamente  e com uma imagem de respeitabilidade de acordo com os cânones do sistema vigente? O que para mim é verdade, o que se relaciona com os meus valores é que tem o potencial de me levar para realidades compensatórias, que proporcionem segurança e realização. Uma vez que presentemente Saturno tem como função estruturar debaixo da energia de Sagitário, o que quer que seja que consigamos concretizar estará de acordo com essa verdade. E se assim acontecer, certo e sabido que cumprimos o crescimento de que fala Júpiter em Virgem. Se nada acontecer, algum detalhe desviou-se da verdade… nada que não possa ser remediado! Com Mercúrio e Júpiter retrógrados, ajustes, reajustes, reflexões e atenção à voz interior servem para acertarmos os passos mais rapidamente, já na próxima Lua nova!

Ainda em Sagitário, Vénus faz conjunção a Saturno, em afastamento mas ainda suficientemente próximo para lembrar que valores e formas de relacionamento com os outros precisam ser expressos com sentido de responsabilidade, sobriedade e maturidade; mas isto não será necessariamente trazido à manifestação segundo fórmulas antigas! O trígono de Saturno e Vénus a Urano, gera formas inovadoras e individualizadas de nos mostrarmos responsáveis, com maturidade e capacidade de nos relacionarmos com equilíbrio e respeito pelos outros. A noção de individualização ligada a Urano,  necessita que estejamos permanentemente em contacto com quem somos de facto, percebendo que não somos todos iguais; mais uma vez a necessidade de conhecer e assumir a verdade própria!

O Símbolo Sabiano desta presente conjunção entre o Sol e a Lua é:

Um coro escondido canta durante um serviço religioso

Pista: O cumprimento da função criativa do indivíduo através da sua participação através de um desempenho em grupo consagrado a uma realização transcendente e global

De facto sendo cada um de nós parte de um todo, qualquer pequena alteração que parece apenas nos dizer respeito, acabará sempre por participar duma “onda” mais vasta, como se fossemos gostas de água constituindo uma vaga gigante. Uma coisa me parece  certa, de acordo com o símbolo, parece que todo o cosmos está rejubilando enquanto apoia todas as intenções e ambições que visem criar novas estruturas, porque a verdade é que desde sempre, e mais aceleradamente desde 2008, muitas outras morreram de vez deixando espaço para que o novo se faça presente. E muitas outras continuam sem qualquer tipo de sustentabilidade, ocupando apenas espaço que poderia ficar disponível para outras versões de realidade bem mais actuais! Por isso esta Lua nova até pode ser importante para simplesmente derrubar de vez o que está a mais, mesmo porque, isso já é em si, alguma coisa de novo.

Lua nova

 

 

Para consultas ver aqui

 

 

Share Button

Lua Cheia 25 de Dezembro… ups é Natal!

 

Lua cheia

Lua cheia, 25 de Dezembro, 11.11 h

Começando pelos Símbolos Sabianos da Lua e do Sol, respectivamente

Um gato argumentando com um rato

Pista: Uma tentativa de auto justificação

Um grupo de pessoas equipando uma grande canoa no princípio de uma viagem por água

Pista:  A capacidade de usar os recursos naturais e habilidades básicas, a fim de alcançar um objectivo comum

Qualquer Lua cheia é simbolicamente uma iluminação temporária do emocional inconsciente, e por isso permite uma identificação de emoções que revelam aspectos do ser interior a reconhecer, compreender, e se for o caso transformar, abandonar, superar de alguma forma. Mas é também o auge dum ciclo que foi iniciado na lua nova anterior; o símbolo onde aconteceu a Lua nova de 11 de Dezembro falava do  “uso cuidadoso dos recursos naturais para suportar necessidades futuras” . Chegados a esta altura, as necessidades levar-nos-ão a embarcar com outros companheiros numa viagem aquática. A questão é: será que estamos de facto preparados? Extrapolando o universo dos símbolos, é evidente que muitos de nós temos planos traçados para alcançar objectivos, e a cada dia tentamos  dar passos que visam a concretização dos mesmos. Mas nem sempre conseguimos os timings desejados, há sempre tantas outras coisas que parecem solicitar atenção!

Temos o Sol em Capricórnio, conservador, exigente em termos organizacionais e de responsabilidade, irradiando a ambição de cumprir a viagem e chegar ao destino. A Lua em Caranguejo, sensível, sentindo-se insegura em tarefas desconhecidas, talvez apenas por isso dê largas a auto justificações emocionais. Não há pressa! Capricórnio é regido por Saturno, exímio especialista em concretizar sim, mas fazendo uso de paciência, assumindo o tempo necessário para que não haja falhas, mesmo que a nós, a impaciência de ver resultados palpáveis, nos dê a percepção de que tudo já deveria estar perfeitamente concluído!

Neptuno em Peixes faz trígono à Lua e sextil ao Sol, e estes aspectos revelam a vontade e a capacidade de transcender obstáculos, quaisquer que sejam, através da compreensão de que somos apenas humanos vivendo uma experiência de aprendizagem, através da intuição que nos guia. E há muitas oportunidades para voltar a fazer de novo, e outras para seguir improvisando e corrigindo o que é viável. É aqui que o papel de Mercúrio, como representante da mente, parece desempenhar um papel relevante. Ele está em Capricórnio também, aplicando todas as potencialidades em favor da vida concreta, planeando, procurando informação, comunicando as instruções correctas, ajustando mentalmente todos os pormenores importantes. O sextil a Vénus em Escorpião coloca-o em contacto com os nossos desejos e motivações mais profundos, naturalmente considerados em todos os processos mentais em curso. Outro sextil a Júpiter em Virgem, mostra como estes processos estão em completa sintonia com o actual crescimento pessoal, possível através da dedicação eficiente às tarefas básicas diárias. Tratam-se aqui de dinâmicas pessoais e internas, mas de facto vivemos rodeados de outros como nós, também eles dedicados aos seus próprios assuntos. A quadratura de Mercúrio a Marte em Balança indica como precisamos de ter em mente a possibilidade de interferências que nos causam tensão e irritação; mas afinal tudo contribui para as nossas aprendizagens, todos estamos sujeitos às mesmas forças, energias, propostas e desafios. Seleccionando o botão vontade consciente (Sol) para a frequência compreensão (Neptuno) podemos respirar fundo, acalmar a mente e encontrar a solução prática e eficaz que permita mais fácil e rapidamente dar inicio à viagem de canoa. Afinal o objectivo final, é um objectivo comum!

Esta presente Lua cheia coincidiu este ano com o dia de Natal. Portanto todos os temas sugeridos pelos aspectos no céu poderão também estar relacionados com este dia. Cumprir a tradição (Capricórnio) impele as pessoas a reunirem-se em família (Caranguejo) e este facto só por si já é revelador de emoções ligadas ao passado familiar. Podem ser emoções e memórias agradáveis ou nem tanto. Podemos aderir com o coração ou só por obrigação. Podemos ter tudo preparado e organizado, ou nem por isso! Podemos sentir que os preparativos desta época interferiram com outros planos mais significativos, e sentimo-nos mais ou menos contrariados. Mais uma vez, não há pressa e tudo pode ser transcendido! As relações pessoais de uma forma geral, e as familiares muito particularmente, são uma fonte de crescimento e aprendizagem permanente e muito valiosa acerca de nós mesmos. Na verdade, estruturar solidamente a nossa vida, os nossos objectivos carece de auto conhecimento, e o contexto familiar é privilegiado para esse processo.

O mapa mostra equilíbrio entre o elemento água, relacionado com as emoções, e terra, relacionado com a capacidade de lidar com a vida real. Nem sensíveis nem sisudos demais, parece ser um Natal em que é fácil percorrer o caminho do meio!

A Lua cheia acontece para o mundo ocidental que celebra o Natal, e para todo o resto do planeta para quem o Natal não significa nada. Do que o céu fala é universal, mas cada um vai vivenciar de forma particular. Como estou no mundo ocidental, que seja um Bom Natal, e que todas as a viagens de canoa programadas, sejam divertidas, compensadoras, proporcionadoras de felicidade e acima de tudo que nos façam crescer um pouco mais!

Lua cheia 25 de Dezembro

Informações sobre consultas aqui

 

Share Button

Lua Nova de Sagitário, 11 de Dezembro

XPTO

 

Lua Nova de Sagitário, 11 de Dezembro, 10.29 h

Mais um novo ciclo lunar se irá desenvolver, e com ele nova oportunidade para nós também iniciarmos algo de novo, em sintonia com os ritmos cósmicos. A mensagem desta Lua Nova é muito clara e muito simples; o que se iniciar será relacionado com o aproveitamento de recursos que irão alimentar necessidades básicas num futuro próximo. O Símbolo Sabiano é:

Numa antiquada aldeia do norte, homens cortam gelo de uma lagoa para usarem durante o verão

Pista: O uso cuidadoso dos recursos naturais para suportar necessidades futuras

Sol e Lua estão em Sagitário, olhos e sentir procurando uma vida mais sábia, governada pelas Leis que estruturam o Universo. Na natureza nada se perde nem nada se cria, tudo se transforma! Tal como na natureza, em cada um de nós estão quantidades infinitas de recursos, que geridos e aproveitados com a sabedoria de Sagitário, nos proporcionam o que precisamos, exactamente quando precisamos; mas é nossa tarefa fazer por isso, tal como os homens daquela aldeia.

Eles terão toda a água que necessitarem mas previamente há que recolhe-la, transportá-la e armazena-la. Na altura certa as condições climatéricas encarregar-se-ão de a descongelar suprindo então as necessidades humanas. Os homens fazem a parte que lhes cabe, a Natureza termina o que eles começaram. Simples!

O que fazemos nós com os nossos recursos internos? Muitas vezes nada, nem nos lembramos que os temos! Queremos muito, e uma certa forma de vida instigou-nos a querer cada vez mais, mas simultaneamente a olhar cada vez menos internamente. Sem contactarmos com as nossas preciosidades escondidas e esquecidas, olhamos permanentemente o exterior, procurando o que necessitamos e desejamos, num esforço criador de condições de vida que proporcionem bem-estar, mas pouco sustentável. E acumulamos tanto que não nos dá nada, a não ser peso e a incapacidade crescente de perceber que afinal o que nos vai permitir crescer e alcançar o que é nosso por direito, está ao alcance de um fechar de olhos e ouvidos, mergulhando no silêncio e na escuridão das minas de diamante que estão bem dentro de quem somos! E claro, desabituados que estamos destes mergulhos, assustamo-nos e continuamos esperando que do exterior chegue a felicidade de bandeja! E corremos o risco de morrer de sede!

Seria mentira dizer que o processo que transforma carbono em diamante é fácil e rápido; nem fácil e rápido será passar dias e dias a arrancar gelo suficiente para que não falte a água absolutamente necessária à vida. Mas … e o resultado final, não é mais do compensador? Compensador o suficiente para desde já honrarmos os nossos próprios recursos internos e pessoais, reconhecendo-os, trabalhando-os e pondo-os à mercê das energias certas que os irão transformar naquilo que queremos, naquilo que verdadeiramente serve o nosso bem, naquilo que verdadeiramente se sintoniza connosco. É na nossa Verdade que repousam os nossos recursos infindáveis; com um pouco de bom senso, e passo a passo serão perpetuamente transformados em realidade física que vamos experienciando, ajustando, e alterando de acordo com novas vontades e propósitos.

Como é que a astrologia presente nesta Lua Nova apoia esta visão, vamos ver. O propósito e a necessidade de expansão duma Lua Nova em Sagitário, faz quadratura com o regente de Sagitário, Júpiter, que transita por Virgem. A tensão relacionada com uma quadratura, não tem que necessariamente ser encarada de maneira negativa, pelo contrário pode ser uma autêntica mola impulsionadora que permite a acção no sentido necessário. E é o caso! Júpiter em Virgem é a via de crescimento através do trabalho e do serviço aos outros, através também do aperfeiçoamento das tarefas que fazem parte da vida diária; este crescimento focado no presente que existe agora, beneficia porém dos propósitos alimentados pelo Sol em alcançar horizontes mais vastos, e das emoções optimistas e de fé sentidas pela Lua, porque tudo o que se passa em Sagitário influencia o seu regente, Júpiter. Mas em Sagitário está também Saturno, o estruturador, que permite trazer à realidade palpável os frutos dos trabalhos empreendidos, cuja qualidade dependerá do grau de Verdade neles contida, pessoal e universal.

Em qualquer processo de concretização de planos, há uma mistura de dimensões criativas e de inspiração, onde a lógica e a racionalidade não cabem. Mas há igualmente o reverso da medalha, e é aí que intervêm a nossa capacidade mental e de raciocínio, aquelas que estão ligadas a Mercúrio, e que são tão necessárias quanto as outras. De facto para que um objectivo se torne material frequentemente isso implica planear e seguir uma estratégia, pode implicar estudo de novas matérias, implica trabalho, esforço, empenho e até alguma ambição! Mercúrio recém-chegado a Capricórnio é a cereja no topo do bolo da construção daquilo que nos ocupa de momento. Em Capricórnio estamos com a mente sintonizada nos assuntos práticos e concretos, temos capacidade de análise objectiva, e de criação de segurança material bem estruturada.

Há um sextil de Mercúrio a Vénus em Escorpião, onde radicam as nossas motivações mais verdadeiras. A grande motivação comum a todos é a segurança; como a alcançamos é assunto pessoal e para a obtermos podemos recorrer a todas as estratégias e estratagemas, umas mais éticas, outras nem por isso! Vénus em Escorpião contudo, leva harmonia e paz onde pode haver medo e caos. Um trígono de Vénus a Neptuno está já em dissipação, mas é ainda suficientemente presente para lembrar que houve a oportunidade de transcender algumas emoções mais inconscientes e primitivas, houve erosão de arestas pontiagudas. E estas motivações, alvo de uma lufada de energias leves e inspiradoras, ligadas a Mercúrio em Capricórnio, contribuem para a construção dos novos horizontes prometidos por esta Lua Nova.

Temos ao nosso dispor nesta presente lunação, condições que proporcionam mais um passo em frente nas nossas vidas, não um passo em falso, mas um passo bem apoiado! Podemos “semear” alguma coisa de novo, fazendo uso dos recursos que possuímos, fazendo talvez algum esforço, tal como quem corta gelo para ter abundância de água no Verão. Fazendo a nossa parte, podemos ter a certeza que o Universo faz a Dele!

“O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher”

Cora Coralina

Escolhendo as nossas melhores sementes, vamos lá nos dedicar à agricultura!

Informações sobre consultas aqui

Lua nova 11 Dez

Share Button