Céu astrológico para Sábado dia 18 de Junho

passado-futuro

A Lua em Sagitário permite-nos algum optimismo e boa disposição; apesar disso o plano emocional é desafiado por uma conjunção a Saturno, oposição a Mercúrio e quadratura a Neptuno. Pacientes e cautelosos, com sentido de responsabilidade assumimos a nossa realidade, mas mentalmente estamos dispersos e com dificuldades em enfrentar os assuntos práticos, o que se irá acentuar de tarde e está indicado pela quadratura a Júpiter em Virgem. Outra quadratura a Neptuno não ajuda em nada, pelo contrário assinala excesso de imaginação, dispersão pelo mundo dos sonhos idealizados. Os aspectos de Mercúrio apenas sublinham este quadro; quadratura a Júpiter e a Neptuno, oposição a Saturno, debilitam as capacidades mentais e de comunicação, de estudo e de atenção a pormenores, criam dispersão e eventualmente confusão. Com o Sol e Mercúrio em Gémeos é tempo de comunicar, mas não está fácil!

Vénus entrou em Caranguejo, assinalando a valorização do ambiente caseiro, da família, do cuidado aos outros mas também da atenção a nós próprios. Sem cuidarmos de nós, não temos condições para cuidarmos de nada nem de ninguém. Está na hora de trazermos harmonia para o nosso interior, para a nossa casa interna. Está na hora de iluminarmos a nossa casa interior, e a partir dela deitarmos luz para o exterior, esse mesmo exterior que parece tão imerso em escuridão!

Entretanto Júpiter está em conjunção estreita ao nodo norte e já sabemos que significa a necessidade fundamental de crescermos pela via de uma vida diariamente aperfeiçoada através de comportamentos eficazes, de organização e atenção a hábitos saudáveis. Ao nodo norte corresponde um nodo sul, e este sinaliza atitudes a abandonar; Quíron começa a aproximar-se de uma conjunção ao nodo sul e podemos dizer que está na hora de curar o passado. O nodo sul está em Peixes, e que passado comum a todos nós está pronto para ser curado? Pois aquele que se relaciona com sentimentos de vítima, com a desilusão que resulta da ilusão, com não ser capaz de encarar a realidade e procurar formas de escape, umas mais subtis outras menos, com ser passivo e navegar sistematicamente em sonhos irreais, com a crença de que a vida espiritual é separada da vida material, com a crença de que a vida material, é até contrária à possibilidade de contactar com o divino, com a crença de que estamos separados do que quer que seja. E tudo isto pode ser apagado, ultrapassado. A luz que sairá da casa interior será mais intensa!

Bom Sábado!

 

 

Share Button

Céu astrológico para Sexta-feira dia 17 de Junho

Pandora

A Lua segue em Escorpião e faz conjunção a Marte retrógrado até ao início da tarde. Emoções intensas, que podem ficar ao rubro em determinadas circunstâncias, impulsividade; o contacto com o inconsciente mais profundo pode deixar-nos muito sensíveis e irritáveis. Mas a verdade é que também não nos faltará espontaneidade, energia e iniciativa para seguirmos em frente com os desejos. O que “saltar” para fora, vai sinalizar facilmente aquilo que mantemos escondido nos níveis mais profundos do inconsciente, o “baú das recordações”. Dum trígono a Quíron em Peixes, podemos esperar um efeito subtilmente curativo, se a isso nos abrirmos.

Com o Sol, Vénus e Mercúrio em Gémeos a comunicação está salientada, bem como uma diversidade de aprendizagens que nos podem ser úteis. Apesar disso, as quadraturas de Mercúrio a Júpiter e a Neptuno, oposição a Saturno, debilitam as capacidades mentais e de comunicação, de estudo e de atenção a pormenores, criam dispersão e eventualmente confusão.

A quadratura de Saturno ao nodo norte em Virgem salienta o conflito entre a realidade e o total comprometimento com a procura de eficácia das rotinas diárias, com hábitos saudáveis, com atenção aos pequenos detalhes, que são pequenos mas importantes. Teremos que permanentemente nos lembrarmos que o nodo norte é um apontar de futuro mais compensador e benéfico, e ir fazendo ajustes aqui e ali, não desistindo nunca de encontrar métodos eficazes de conduzir a nossa vida.

A imagem veio daqui: https://pt.pinterest.com/pin/33425222207125102/

Boa Sexta-feira!

Share Button

Céu astrológico para Quinta-feira dia 16 de Junho

Quinta

 

A Lua continua em Escorpião conectando-nos ao inconsciente mais profundo, e mais secreto; durante a manhã, o trígono a Neptuno que se aplicou ontem ainda se mantém, e é a oportunidade para sanar algumas dores e carências em tom suave e compassivo. A sensibilidade e intuição em que estamos imersos pode conduzir-nos, e é o que sentimos de agradável que sinaliza a atitude certa. De tarde vai-se o trígono a Neptuno mas vem o trígono a Plutão e traz com ele a capacidade de transformarmos a imagem de fazemos de nós mesmos; por exemplo, de manhã dizemos adeus à imagem da vítima sofredora, de tarde renascemos para uma imagem de quem tem o poder de moldar a própria vida. Importante é dar o primeiro passo, e o primeiro passo é querer desistir de andar ao sabor das circunstâncias, sem rumo e sem entendimento. Entre um processo e outro há um sextil a Júpiter em Virgem; nada como dar seguimento às várias tarefas diárias que nos melhoram a vida e nos tornam mais saudáveis. Mercúrio em Gémeos, não só melhora a comunicação, como sinaliza uma mente afinada racionalmente que tem facilidade em discriminar o que é eficaz e o que não é, operando ao nível da vida terrena e material, onde as tais tarefas eficazes são de enorme utilidade. E afinal, Mercúrio é também regente de Virgem, donde se deduz a facilidade em aderir ao que Júpiter indica como plataforma de crescimento pessoal. E ninguém quer ficar a marcar passo, não é?

Boa Quinta-feira!

Share Button

Lua nova de Gémeos, 5 de Junho

Lua nova de gémeos

Lua nova de Gémeos, 5 de Junho, 4.00 h

E como sempre, no início de mais uma lunação, temos também nós, nova oportunidade para darmos origem a alguma coisa de novo. Nada nos impede de iniciar o que quer que seja noutra altura qualquer, como é evidente; simplesmente alinharmo-nos com processos existentes e que se desenvolvem a partir de um determinado momento, facilitará eventualmente o caminho até onde escolhemos chegar. Sempre é mais fácil apanhar um comboio parado do qual conhecemos o itinerário, do que outro já em movimento e sem sabemos bem para onde vai….

Desta vez Vénus está em conjunção quase exacta ao Sol e à Lua, e os três planetas encontram-se no seguinte Símbolo Sabiano:

Duas crianças falando em holandês

A Lua nova em Gémeos assinala o início de um período que naturalmente se irá desenrolar em conexão com aprendizagens e comunicação e a estreita ligação a Vénus faz lembrar aprendizagens valiosas e comunicação agradável. As crianças do símbolo sugerem jovialidade e leveza, seguramente falam de assuntos que lhes interessam, não serão temas profundos e complexos mas podem ser importantes para elas; talvez não sejam holandesas, podem ser de nacionalidades diferentes mas aprenderam uma linguagem comum e por isso podem trocar ideais, comunicam. A energia de Gémeos é relacionada com comunicação, aprendizagens básicas, e algumas delas seguramente nos ajudam a comunicar mais eficientemente uns com os outros.

Mercúrio que rege Gémeos está em Touro, e Touro é regido por Vénus que está em Gémeos. Esta particularidade é designada por recepção mútua, mas o que importa é entender que há uma estreita interacção entre ambos os planetas. O que pensamos e como comunicamos depende do que valorizamos, mas valorizamos de forma especial a comunicação, a procura de informação, as aprendizagens. Por outro lado, todos os planetas com excepção de Neptuno, desenvolvem as suas funções “sob a protecção” de Mercúrio (Mercúrio é dispositor de todos eles); o resultado final é o desenvolvimento de todos os aspectos planetários acontecerem ao serviço da parceria Mercúrio/Vénus. Parece então que nesta lunação estão proporcionadas condições de comunicação em especial com quem partilha algo em comum connosco, aprendizagens relacionadas com o que valorizamos, talvez também aprender a nos valorizarmos suficientemente, ou talvez aprender como gerir melhor os recursos de que dispomos, recursos intelectuais ou materiais ou até de capacidade de comunicação nos relacionamentos.

Esta é uma Lua nova com poucos aspectos em aplicação. As recentes quadraturas do Sol e de Vénus, a Júpiter e Neptuno, e oposição a Saturno trouxeram consigo obstáculos vários no assumir das nossas pequenas tarefas simples do dia-a-dia; e como apesar de pequenas e simples são fundamentais, o enfrentar da realidade não tem sido tão fácil como gostaríamos. Nos primeiros dias ainda teremos dificuldades em seguir as indicações do nodo norte em Virgem, que pede atitudes de eficácia e competências em diversas áreas da nossa vida, pede organização, atenção a hábitos saudáveis. Mas depois de 8 de Junho o caminho fica mais livre; Mercúrio é também o regente de Virgem e vamos ter ao dispor todas as nossas capacidades mentais para discriminar que atitudes devem permanecer e que outras devem ser banidas para estabelecermos a nossa base de operações bem organizada e funcional, até porque entretanto ele vai transitar para Gémeos e vamos tê-lo a operar num signo de que é regente, mente fluída portanto. Não é de deixar de lado a possibilidade de nesta Lua nova as aprendizagens e a comunicação nos servirem também para procurarmos melhorar a forma como abordamos as rotinas diárias. É importante referir que Marte vai estar retrógrado em Escorpião quase até ao final da lunação; ele anda detectando que padrões inconscientes nos fazem agir inadequadamente ao nosso crescimento pessoal. Mas quando voltar ao movimento directo, a área do nosso mapa por onde ele transita vai estar sujeita a movimentações que visam de facto nos fazer andar para a frente. Como é possível andarmos em frente com rotinas “destrambelhadas”? Aos tropeções talvez, aos solavancos. O recado está dado, basta fazermos o melhor que nos é possível.

 

A origem da imagem: https://pt.pinterest.com/pin/442337994621770839/

Consultas e análises aqui

 

 

Share Button

Lua cheia em Sagitário, 21 de Maio

 

 

Lua cheia, Lua em Sagitário, Sol em Gémeos,  21 de Maio, 22.14 h

Quando escrevi sobre a Lua Nova em Touro, várias considerações extra astrologia foram surgindo e decidi falar sobre elas numa segunda parte, bem como a análise do símbolo Sabiano. Tive que mudar de planos, deixar as considerações para outra altura e começo então pelo símbolo onde se deu a Lua nova, não sendo de todo descabido, já que a Lua cheia é apenas o natural desenvolvimento do céu da altura, e portanto também o natural desenvolvimento do tema do símbolo. E ele era:

“Uma batalha entre espadas e tochas”

Júpiter era o planeta através do qual a energia de todos os outros era canalizada, e com esta importância seria de prever que a batalha poderia interferir com o normal decorrer das funções por ele simbolizadas. Mas afinal que batalha tem sido esta? Sobretudo a partir do dia 15, em que uma oposição do Sol a Marte se instalou, as nossas convicções começaram a opor-se à vontade. Queremos uma coisa mas aquilo em que acreditamos leva-nos a agir em sentido diverso; gera-se tensão e pelo meio dificilmente vamos fazer o que Júpiter preconiza. A Lua nova em Touro foi um convite a criarmos mais estabilidade na nossa vida, mas as circunstâncias parecem dificultar a tarefa, levantam um muro de espadas às nossas melhores intenções. Responder como, desembainhando as nossas próprias espadas para lutar em nome da verdade? Júpiter agita-se e pede atenção, baixem as espadas e ergam as tochas, vejam a importância dos pequenos detalhes do dia-a-dia, compreendam como são importantes e como as aprendizagens respeitantes são fundamentais para vencerem batalhas futuras. Não é por acaso que Júpiter era a “válvula de escape” de todos os seus companheiros!

Muito bem, chegamos à Lua cheia, temos o Sol em Gémeos, a Lua em Sagitário, andámos meio caminho e temos outro tanto para andar. Vendo já os Símbolos envolvidos:

Lua: O oceano coberto de ondas de espuma branca

Sol: O Pai Natal enchendo meias furtivamente

A Lua faz conjunção a Marte, e este por sua vez, continua em oposição ao Sol. Emoções agitadas, não há dúvida, e por esta altura já teremos recebido feedback das opções que fizemos, mais ou menos conscientes, mais ou menos alinhadas com a proposta da Lua nova. Basta tomar atenção a como nos sentimos e observar o que obtivemos por estes dias. Gostamos do que ganhámos nas meias ou nem por isso? Estamos a meio do ciclo, temos ainda tempo de corrigir, se for necessário… e provavelmente é, somos humanos e nem estamos habituados a ouvir o que o céu directamente nos diz!

O mapa da Lua cheia é semelhante ao da Lua nova; especificando, Vénus continua dispondo de todos os planetas excepto Neptuno, e Júpiter continua a assumir a responsabilidade de ser a válvula de escape de todos os planetas. Dito de outra forma, a valorização do lado material da existência continua e matiza as funções de todos os outros planetas; por outro lado nada de sustentável podemos atingir se não procurarmos aperfeiçoar todas as tarefas que constituem os nossos dias, tarefas de trabalho caseiro, profissional, de estudo, de atenção a uma vida saudável. Não se trata de perfeccionismo, que de resto não promove a saúde de ninguém, trata-se de procurar sermos eficazes, quem sabe fazermos bem menos mas muito melhor!

Mercúrio em Touro vai ficar directo já amanhã, dia 22; houve revisões relativamente a questões práticas que podem agora ser implementadas e mostrar resultados. No entanto os obstáculos à função de Júpiter em Virgem vão continuar e no geral estão indicados pela quadratura de Júpiter a Saturno retrógrado em Sagitário; são obstáculos resultantes das nossas crenças, de convicções pessoais, da estrutura interna que suporta a nossa própria realidade. É daqui que podemos esperar espadas em riste até ao fim da presente lunação, e vão cerrar fileiras especialmente depois de 27 de Maio quando Marte retrógrado entrar em Escorpião. Da nossa realidade fazem parte padrões fortemente arreigados, que caracterizaram outros tempos, outras formas de defendermos o que era nosso, em que o mais forte vergava o mais fraco, temos medos, apegos vários, e tudo isto vai ser posto a descoberto pela acção de Marte. São as tochas os instrumentos que devemos usar, é a consciência do que se passa que nos deve guiar; as espadas vão tentar desviar-nos das tarefas de Virgem, as tochas vão lembrar que se formos bem-sucedidos o retorno vai valer a pena, e é um retorno a longo prazo. Se dúvidas houvesse do que está aqui em causa, a conjunção de Júpiter ao nodo norte aparece como reforço; o nodo norte indica, que o futuro é de momento, alcançado através da energia de Virgem. Que nada vos demova, vos faça desistir do aperfeiçoamento/crescimento da vossa vida através das simples, algumas humildes, outras consideradas desagradáveis, tarefas do dia-a-dia.

Para terminar, acredito que vale a pena transmitir o seguinte: desde há vários anos neste dia da Lua cheia no eixo Gémeos/Sagitário é celebrado o Dia Mundial da Grande Invocação. Quase não é conhecido em Portugal mas como eu sou muito “viajada” … via internet, entenda-se… e tenho espírito de jornalista (sou Gémeos) entendo que merece ser divulgado. Há uma intenção inerente a este dia de que a Luz desça à Terra (que apropriado nesta lunação…), e vou apenas traduzir o seguinte:

“Somos todos parte de uma Vida partilhada. Sabemos também que enquanto as formas passam, a vida é eterna. Estamos todos dentro de grandes formas de pensamento criadas por Seres de infinitamente maior consciência que foram postas em movimento muito antes de termos chegado à festa.

O Dia Mundial da Invocação é quando a Grande Invocação soa em todo o mundo. Este evento global vem acontecendo há muitas décadas. Este é um dia de profunda intenção global, acelerando a afirmação colectiva que declara: “Que a Luz, o Amor e o Poder restabeleçam o Plano na Terra.” Em suma, esta é uma festa colectiva onde milhões se sintonizam com o Ser que eles conhecem como o Professor do Mundo para trazerem energias espirituais para todos”

 

Com tochas, ou outro instrumento qualquer, que a Luz guie a nossa vida e a Terra em que vivemos! Que assim seja!

Foi daqui que retirei este texto, um site que acompanho com grande admiração: http://www.aquariuspapers.com/astrology/2016/05/world-invocation-day-a-global-gathering-and-the-great-invocation.html

A autora da imagem é Ata Alishahi

Consultas e análises aqui

Mapa da Lua nova em Touro aqui

 

 

 

 

 

 

Share Button

Lua nova de Touro, 6 de Maio

Lua nova Touro

Lua nova de Touro, 6 de Maio, 20.31

O primeiro signo no Zodíaco ligado ao elemento terra é Touro, energia que nos torna matéria palpável, percepcionada pelos cinco sentidos. Para que o lado material possa existir, é necessário no mínimo reprodução e alimentação; no entanto, mesmo ao nível de organismos microscópicos, verifica-se que é uma constante a procura daquilo que está para além do indispensável, procura-se abrigo, conforto, bem-estar, segurança, estabilidade. Touro é tudo isto, e é regido por Vénus a que estão associados os prazeres da existência e não apenas o indispensável à existência. Bem sabemos que o nosso estilo de vida actual tem a capacidade de nos proporcionar todos os prazeres possíveis e imaginários, até em excesso doentio, mas há dois elementos a que devemos aceder, dinheiro e senso de valor próprio! Não vivemos sem dinheiro, nem usufruímos plenamente do prazer de viver sem estima própria. Em relação ao primeiro todos sabemos do que se trata, uns temos muito, outros temos pouco, podemos desejar ter mais ou estar satisfeitos com o que nos calha em sorte. Mas quanto ao valor próprio, todos temos imenso, o problema é quando acreditamos que não temos, ou nem nunca nos lembramos de tal questão! Ou quando nos comparamos com os outros e sentimo-nos menores, menos adequados, menos merecedores, um zero à esquerda, uns azarados. E o mesmo estilo de vida com a capacidade de nos proporcionar prazer em excesso, por via dos bens ou serviços que adquirimos com dinheiro, tem a capacidade de nos retirar em excesso igualmente, o valor que intrinsecamente todos  temos, sobretudo se não nos encaixarmos nas normas existentes. Com a Lua nova em Touro há a oportunidade extra de nos abrirmos ao contacto com o que de mais valioso guardamos em nós, com o valor que os nossos talentos e recursos internos possuem, porque se existem é porque servem toda a Existência, a começar por nós mesmos. Posso ter talento para criar grandes empresas, ou posso ter talento para criar pequenas peças de artesanato, ou para fazer bolos, ou cuidar de pessoas, ou de animais, ou serem as plantas aquelas que me apaixonam e me fazem dar o meu melhor! Não há talentos maiores e talentos menores, todos são aquilo de que somos feitos, e todos são merecedores de serem trazidos à luz do dia, colocados ao serviço dos outros para que possam melhorar as suas próprias vidas. Como então não nos sentirmos importantes?!  Sentirmo-nos importantes porque somos bons a fazer o que nos dá prazer, é caminho aberto a percebermos como somos valiosos. Este é um ponto importante e fundamental a ser desenvolvido, e que agora tem a força das energias cósmicas a nos proporcionarem dar passos em frente, ou talvez apenas o primeiro passo. E importante é também percebermos que o dinheiro não corrompe só por si, não é sujo nem mau, é apenas uma “energia” de troca, que nos permite facilmente adquirirmos tudo o que necessitamos, desde o tecto, passando pela alimentação, pelos bens básicos e pelos que não sendo aparentemente básicos, são o meio para fazermos expandir a consciência que temos da Vida, do Mundo do Universo. Sem dinheiro, ou sem dinheiro suficiente, facilmente nos submetemos a situações que nos escravizam e nem mais será preciso acrescentar para valorizarmos, na medida certa, o dinheiro. Está na hora portanto de colocarmos as atenções e as intenções em melhorar ao máximo a auto estima, a capacidade de gerir e valorizar talentos, reconhecer recursos internos, reconhecer o que fazemos com gosto e prazer, gerir o dinheiro que temos, e gerar mais se for caso disso! O céu ajuda, querem ver?

Em Touro, para além do Sol e da Lua, temos Mercúrio retrógrado; ele simboliza os nossos processos intelectuais e de comunicação colocados a funcionar precisamente para uma melhor compreensão de como gerir e gerar recursos. Tão simples quanto isto! Como está retrógrado a sua função está voltada para o interior, revendo o que mais recentemente foi aprendido, ou percebido ou planeado e que nos poderá facilitar a criação de uma estabilidade física e material duradora, sustentável e proporcionadora de paz, harmonia e bem-estar. Vénus está perfeitamente instalada e reina nos próprios domínios, tem portanto uma função de poder. Não só Mercúrio e Vénus estão em Touro, como estão em conjunção à Lua nova, o que potencia a força deste momento para fazer germinar as intenções em sintonia.

No mapa desta lunação, todos os planetas excepto Neptuno em Peixes, exercem funções à luz da energia de Vénus, ela é o dispositor final dos restantes oito planetas. Alan Oken diz de Vénus em Touro: “Uma das características mais importantes de Vénus é o magnetismo. Quando este planeta está em Touro, a sua potência magnética em termos de sua capacidade de atrair matéria é mais elevado. Se a pessoa operar ao nível da alma, terá a capacidade de atrair na vida material aquelas formas que melhor servem a intenção da alma.” Se Vénus operar essencialmente ao nível da personalidade podemos cair em excesso de materialismo, excesso de apego ao prazer dos sentidos. Mas há um sextil a Neptuno em Peixes, que é o contacto da matéria com o espírito, permitindo que as intenções da alma fluam com as necessidades terrenas.

Pegando agora na configuração do mapa e seguindo pelo trabalho que Marc Edmund Jones desenvolveu relativo a este assunto, vê-se que o planeta Júpiter em Virgem está destacado de todos os outros que se encontram num intervalo de 180º. Júpiter comporta-se desta forma, como uma espécie de válvula de escape à energia de todos os companheiros, a atractiva Vénus incluída, e portanto será através do correcto e eficaz andamento das tarefas básicas diárias que veremos o crescimento das sementes que lançarmos, não tanto à terra, mas ao céu! Mercúrio e Vénus estão em aproximação a um trígono a Júpiter, o que sublinha, na cor da vossa preferência, o quando é fundamental ligar directamente a procura e a gestão dos recursos às tarefas, aos detalhes que constituem uma boa parte da forma como decorrem os nossos dias, sendo que tarefas eficazes tornam os nossos dias ordenados, produtivos e saudáveis. Mais… a Lua nova, Mercúrio, Vénus e Júpiter estão em aproximação de um trígono a Plutão retrógrado em Capricórnio; traduzindo é o seguinte: todos temos uma qualquer área de vida que tem sido sujeita a intensas e profundas transformações, talvez nem todas bem acolhidas porque mal compreendidas, mas todas muito necessárias às forças da evolução, quer a nossa evolução pessoal e individual quer a evolução global. Como Plutão retrógrado, é a nossa própria transformação interior que está a ser promovida, através das metas obtidas nesta lunação, através das reavaliações mentais, através do que valorizarmos e através das rotinas diárias.

Mais um detalhe a referir: Júpiter tem estado retrógrado e como ele simboliza o crescimento e expansão das nossas convicções, da nossa forma de entender a vida e de qual o nosso papel, este crescimento tem sido interno acima de tudo; uma espécie de amadurecimento, de processamento de todos os conhecimentos adquiridos, ou porque houve uma aprendizagem formal ou porque vivemos circunstâncias que permitiram esses novos conhecimentos. A seu tempo o crescimento dar-se-á externamente, e este “tempo” em particular, já está aí preparado para se manifestar, para se fazer presente na nossa realidade concreta assim que Júpiter passar ao movimento directo, já no dia 10 de Maio, daqui a apenas quatro dias! Ao crescimento interno irá corresponder crescimento externo.

Os trígonos referidos dão-se em signos de terra, e dão-nos portanto a capacidade de ver na realidade palpável muito do que temos vindo a desejar, e preparar, a acarinhar. Claro que cada instante está conectado a todos os instantes anteriores e se nada tiver sido feito anteriormente, ou não tiver sido o correcto ou o suficiente, o que se conseguir agora será diminuto. E isso que importa? O que importa é que agora é um bom momento para quem ainda não começou a valorizar suficientemente o seu próprio caminho na Terra, o comece a fazer desde já. Está sempre tudo tão certo, que mesmo quem só vai agora começar, o vai fazer na altura apropriada!

Desta vez irá haver uma segunda parte, onde abordarei o símbolo Sabiano e mais algumas outras considerações que foram surgindo. Até lá!

 

A autora da imagem é Josephine Wall

Mapa da Lua nova em Touro aqui

Consultas e análises aqui

Share Button

Lua cheia em Escorpião, 22 de Abril

LuaCheia

Lua cheia em Escorpião, 22 de Abril, 6.20

O Sol em Touro é a consciência concentrada em toda a panóplia de assuntos práticos que a vida material exige, não só aqueles que proporcionam sustentação à vida em si, como aqueles que tornam a existência mais aprazível. Com Mercúrio também em Touro, tudo o que nos passa pelo pensamento tem as tonalidades da racionalidade, que no nível das três dimensões funciona perfeitamente e no seu melhor; portanto o Sol tem o companheiro adequado para o ajudar a encontrar soluções, procurar informação, tratar da comunicação.

A Lua porém não se rege pela lógica terrena, e em contacto com as profundezas de Escorpião muito menos. Aqui estamos num território de desejos, instintos de sobrevivência e impulsos intensos, dos quais podemos não conhecer a origem, mas que ainda assim têm o poder de nos conduzir por emoções, reacções e atitudes nem sempre aceitáveis, nem compreendidas, muito menos mostradas e assumidas. Escorpião é uma espécie de emissor, do qual somos antenas difusoras, espalhando ao nosso redor e para todo o Universo aquela que é a nossa realidade energética. Ela irá ser a componente determinante do que aparece manifestado na nossa vida, já que aquilo que emitimos é a luz verde para a experiência correspondente chegar até nós. Injustamente temido, Escorpião diz-se ser um espaço de morte e renascimento, diz-se ser o local onde guardamos a sombra, e diz-se também que mergulhar na sombra é adquirir poder. Isto traduzido à letra perde o efeito de filme fantástico, trata-se apenas de assumir e aceitar que não somos perfeitos, nem é suposto, mas podemos procurar permanentemente aquilo que nos torna criaturas menores, e transformar, fazer morrer esses detalhes. Estas são as mortes que nos abrem ao renascimento constante, ao usufruto do poder que temos de facto, para criar a vida adequada ao nosso caminho.

Na tradição budista, esta Lua cheia é o momento do festival Wesak, um dia em que se comemora a iluminação de Buda, para alguns também o seu nascimento e morte. Buda significa iluminado ou desperto.  Relembre-se que simbolicamente uma Lua cheia representa uma situação em que a Luz da consciência ilumina o desconhecido, o que existe de forma inconsciente, e desta forma permitir olhar e saber o que está em excesso, o que não é verdade, o que deturpa e torna impuro o sinal que emitimos para o Universo. É no fundo um processo semelhante à iluminação budista!

Astrologicamente simplesmente chegámos a meio do ciclo lunar que começou na Lua nova de Carneiro cujo símbolo foi: O tapete mágico do imaginário oriental. Uma Lua nova que ofereceu a oportunidade de fazer germinar alguma coisa extraordinariamente inovadora e livre dos limites habituais, uma vez que se encontrava conjunta a Urano. Os símbolos da Lua e do Sol envolvidos agora na Lua cheia são:

Lua – Numa pequena aldeia organiza-se uma festa que marca o início da construção de uma casa, onde se pede a colaboração de todos

Sol – Degraus naturais conduzem a um campo de trevos em flor

Pegando então nos símbolos, e relembrando a conjunção a Urano, ímpeto, pressa, impaciência fizeram parte da semente. Mas com a chegada do Sol a Touro há que desacelerar, perceber que depois de momentos de corrida é necessário acalmar. O que foi conseguido precisa ser estabilizado, deixar que surjam as primeiras raízes; é degrau a degrau que iremos chegar ao campo de trevos, que aliás já é visível! Sente-se a vontade de festejar pelo que ainda não existe, mas cujo início já se desenvolve, e não iremos fazê-lo sozinhos, iremos precisar da cooperação de outros, se a isso nos abrirmos. E aqui volto à Lua em Escorpião, porque é em Escorpião que elementos inimigos podem contrariar a nossa abertura aos outros, a nossa abertura à vida de uma forma geral; precisamos fazê-los morrer! O único aspecto em construção que a Lua faz é a Neptuno, e é um trígono; os inimigos morrem suavemente, os seus restos mortais lavados e levados pelas águas. As águas mais superficiais do reino da Lua, Caranguejo, que penetram nas águas profundas de Escorpião e mostram a Neptuno o que está pronto a ser levado pelas ondas puras e límpidas de Peixes. É um “trígono aquático”, não dói nada, é só deixar acontecer! Há intuição que ajuda a sentir e perceber o que sentimos, não julgar, não colocar rótulos, compreender o que deve ser entregue e deixar ir.

Tendo consciência deste processo, permitindo e facilitando, lá vamos prosseguindo pela lunação de Carneiro abrindo caminho até aos objectivos que temos. No mapa da Lua nova, Júpiter em Virgem tinha um papel preponderante, que agora se mantém. Quererá isto dizer que quaisquer que sejam os nossos objectivos, as rotinas habituais de trabalho (profissional, doméstico ou outro), de manutenção de um estilo de vida saudável e de ajuda e serviço aos outros são fundamentais; sem elas não há caminho para lugar algum. Há também que ter capacidade de discernimento, que rotinas servem, que rotinas atrapalham, que outras são exageradamente perfeccionistas… Mercúrio em Touro é tudo o que precisamos para esta tarefa!

Não chegaremos, talvez, ao fim deste ciclo lunar tão iluminados como Buda. Mas podemos chegar mais leves, com menos algum peso, mais livres! De qualquer forma, a vida é um suceder de degraus, um após o outro. Subimos um e logo temos outro. A proposta parece ser ir subindo e apreciando a paisagem, não há destino, há caminho!

 

Mapa da Lua cheia em Escorpião aqui

 

Consultas e análises aqui

 

Share Button

Lua nova de Carneiro, 7 de Abril

Tapete voador

Lua nova de Carneiro, 7 de Abril, 12.25 h

Com a chegada do Sol a Carneiro, em 20 de Março, instalou-se o novo ano astrológico e trouxe-nos a Primavera. Decorria o ciclo lunar que tinha começado em Peixes, e havia por isso ainda um tom de fim de ciclo. Agora porém, entramos em pleno num novo caminho, com a Lua nova de Carneiro. É tempo para iniciar de novo ou para recomeçar o que ainda não foi conseguido, com uma energia renovada, sem medos de fracassos ou dos obstáculos ou dos inimigos. O símbolo Sabiano onde ocorre esta lunação é:

O tapete mágico do imaginário oriental

A imagem facilmente sugere a possibilidade de liberdade, voos para lá do que poderíamos imaginar, olhar a realidade duma perspectiva mais elevada, escapar do condicionalismo a que estamos sujeitos pela lei da gravidade! Que maneira fantástica de começar algo de novo! E se o tapete tivesse um qualquer dispositivo capaz de o dotar de uma capacidade extraordinária de velocidade, ou de visão extra, ou algum outro atributo inusitado? Quem quereria perder esta viagem? Bem… o tapete não sei se tem, mas esta Lua nova tem sim! Tem uma conjunção estreita (pouco mais de 2º) a Urano. Sol e Lua não fazem mais nenhum aspecto a outros planetas em aplicação, em aproximação, só mesmo a Urano. É como se as forças cósmicas nos quisessem bem concentrados apenas em levantar voo! Se estivermos preparados, a rota estudada e traçada temos de facto a possibilidade de sentados no tapete subirmos e seguirmos até ao objectivo desejado.

Vamos no entanto sair das imagens poéticas de tapetes voadores, e ser um pouco mais terra a terra. Uma Lua nova tem um alcance de aproximadamente 29 dias; não será talvez possível dar uma volta de 180º na nossa vida em tão pouco tempo, mas podemos dar uma grande reviravolta na área específica de vida onde temos a acontecer esta Lua nova (19º de Carneiro). Isto porque Urano é a libertação dos condicionamentos que marcaram o passado, é originalidade e inovação, é fazer o que nunca foi feito. E até talvez estejamos fartos de tentar, mas acabamos por voltar aos mesmos hábitos e vícios e atitudes padronizadas. Pode mesmo acontecer, que esta reviravolta “apenas nessa área de vida” seja o que precisamos para dar muitas voltas de 180º à nossa realidade actual!! Quem sabe… pode ser possível! Certo certo, é que onde Urano toca, o novo surge, e se permitirmos, aceitarmos e ajudarmos poderemos ter surpresas.

No mapa desta Lua nova de Carneiro, podem ver-se que os todos os planetas, com excepção de Júpiter, estão dentro de um ângulo inferior a 180º. Mark Edmund Jones, o criador dos Símbolos Sabianos, identificou alguns padrões de distribuição de mapas astrológicos e estudou as respectivas características. Este mapa cabe dentro de um dos padrões por ele identificados, em que o planeta isolado ganha destaque pela importância que adquire, já que se comporta como o foco energético de todos os outros; neste caso este papel cabe a Júpiter, retrógrado em Virgem. Isto é, basicamente se queremos voar, temos que cumprir e estar à altura de rotinas eficazes, que promovam uma vida diária organizada, responsável, saudável. Elementar!

Outra boa notícia é que há entre Júpiter e Urano um biquintil, aspecto que fala de um qualquer talento ou criatividade original que fará a diferença na forma como podemos cumprir o crescimento pessoal que Júpiter garante, neste momento através das tarefas diárias. Estas, sendo de vital importância não podem contudo monopolizar a nossa vida, nem podemos ser de tal forma perfeccionistas que só a perfeição absoluta é aceitável. Júpiter faz oposição a Neptuno, mostrando como é necessário equilíbrio entre a atenção às tarefas do dia-a-dia, à eficácia das mesmas, à saúde, mas também é necessário deixar acontecer os momentos de descanso, de reflexão, de meditação, de não fazer nada, em suma sair da rotina! É aliás deste equilíbrio, que surgem os momentos de inspiração que podemos depois aplicar aonde for necessário, nomeadamente às famosas rotinas!

Os nossos voos dar-se-ão bem na terceira dimensão! Temos um mapa com muito fogo – entusiasmo, coragem, energia – e muita terra – capacidade de concretização. E Saturno é chamado ao cenário, ele que é o responsável pela descida ao concreto de todas as circunstâncias. Está em Sagitário, está retrógrado e está sugerido então, que será pela nossa própria estrutura interna, assente nas nossas verdades, nas nossas crenças, que temos a possibilidade de saltar para o tapete mágico, deixando o passado para trás; não são tanto as condições externas que o vão permitir, somos nós mesmos! Ou queremos ou não! Ou fazemos ou não! Ou, pelo menos tentamos, ou não! Ah e tal… e se não conseguirmos, e se falharmos? Ora…. retomamos e insistimos na primeira oportunidade que se apresentar. Não podemos é ficar quietos quando tudo à nossa volta muda constantemente e nos pede actualizações permanentes!

Saturno faz uma quadratura a Neptuno; foi referido que há muita capacidade de concretização nesta Lua nova, mas há regras! Neptuno em Peixes dissolve e devolve ao Todo o que ao Todo não serve. Sim… é paradoxal, mas porque Ele tem uma capacidade infinita de reciclar. Se queremos materializar alguma coisa, alguma mudança, alguma atitude, para ser viável e duradoura tem que estar em sintonia connosco mesmos, com o que temos estruturado internamente. A tensão da quadratura é o desafio de encontrar o que podemos concretizar e nos serve a nós, e se nos serve a nós, serve o Todo! E desta forma, o que criarmos de novo será um pilar sólido e seguro.

Há mais aspectos entre outros planetas, naturalmente! Mas o essencial de acordo com o meu olhar está dito, mesmo porque os outros aspectos servem o mesmo propósito! Sabem aquela canção do Pedro Abrunhosa, “Fazer o que ainda não foi feito”? É isso mesmo que esta Lua nova nos propõe! Vamos lá!

 

Mapa da Lua nova de Carneiro aqui

 

Consultas e análises aqui

Share Button

Lua Cheia em Balança, 23 de Março, Eclipse Lunar

5a3d865b4cbea091d22094cba6429262

 

Lua Cheia em Balança, 23 de Março, 12.00 h, Eclipse lunar

A Lua cheia é um momento que resulta do normal desenrolar de um ciclo iniciado na Lua nova anterior. No início da lunação, a consciência simbolizada pelo Sol, implanta um objectivo no inconsciente, simbolizado pela Lua; este terá então oportunidade de germinar, ganhar raízes e crescer até se tornar visível. No instante da Lua cheia o objectivo já tomou forma, já tem contornos, já o podemos observar e compreender do que se trata.

Seduzida pelos símbolos Sabianos, não abdico de os usar e são o meu ponto de partida. Relembro que tudo isto se passa no campo da abstracção simbólica; mas se permitirmos e nos abrirmos a estes processos, se os aprendermos, podemos ver os mesmos desenvolvimentos na nossa experiência, à medida da nossa realidade e com os nossos próprios objectivos dimensionados para se mostrarem viáveis.

Sigamos em frente! O símbolo da última Lua nova foi: Um mestre instruindo os seus discípulos.

Os símbolos para esta Lua cheia são os seguintes:

Lua: Em torno de uma fogueira um grupo de jovens sentam-se em comunhão espiritual.

Sol: Dois amantes passeiam por um caminho isolado

Neste ciclo da Lua há uma proposta de aprendizagem, há uma transmissão de conhecimento e sabedoria que desemboca em duas cenas onde pessoas se relacionam entre si. Relações humanas parecem ser o foco da aprendizagem; é curioso ser uma Lua cheia em Balança, com eclipse lunar que está relacionado também com aprendizagens importantes a fazer nos próximos meses. Será portanto fundamental, darmos a melhor atenção a esta área das nossas vidas, cada um de nós com as suas próprias circunstâncias e  portanto com aprendizagens diferentes mas em que o toque de fundo é o procura de equilíbrio entre nós e os outros.

O Sol, a consciência, aponta os dois amantes, que serão à partida um homem e uma mulher, como símbolos de energias opostas mas que se complementam e essa complementaridade lembra a unidade, o todo, é o círculo do yin e yang que só existe em total equilíbrio. Mercúrio está conjunto ao Sol, com apenas alguns segundos de desfasamento; portanto temos uma fusão íntima entre a consciência e a mente, mente esta que está relacionada com as aprendizagens que fazemos na relação com o meio ambiente. Isto resulta de Mercúrio ser regente de Gémeos, onde acontece a aprendizagem da realidade dual em que vivemos. Tudo o que existe na terceira dimensão tem o seu par complementar, o dentro e o fora, o muito e o pouco, o trabalho e o descanso, o eu e os outros. Para viver em harmonia sustentável nesta realidade é precisar aprender a equilibrar constantemente “pratos de balanças opostos”, não há outra opção, porque se tudo muda permanentemente, os equilíbrios conseguidos, a dada altura vão-se tornar desequilíbrios.

Aprendendo o que foi sugerido, o que sentimos (Lua) é o que podemos adivinhar ao imaginar a cena romântica do grupo reunido à volta da fogueira; todos diferentes, mas todos juntos, participando de uma intenção comum, onde cada um tem o seu papel, onde se está por prazer, onde é possível cada um sentir a importância de fazer parte de um todo e a ele levar o que tem para partilhar.

O ciclo vai continuar, e passando para os aspectos astrológicos fica claro que com Sol e Mercúrio em Carneiro, o foco nas nossas próprias vontades e objectivos é intenso; mas claro, não pode esquecer quais são as vontades e objectivos dos outros. Com equilíbrio neste sector temos pernas para andar com facilidade, já que Marte faz sextil à Lua e trígono à conjunção do Sol e de Mercúrio. Marte em Sagitário impele-nos a agir de acordo com a nossa verdade, com o que acreditamos ser correcto, temos energia e entusiasmo. A quadratura a Neptuno pede que atitudes “bélicas” e egocêntricas sejam ignoradas, que se tomem acções para concretizar ideais colectivos, acções criativas e inspiradas e sobretudo que tenham como objectivo um bem comum e maior. Vénus em Peixes defende os mesmos valores, os mesmo ideais mas há uma dificuldade em valorizar igualmente a realidade concreta; é a quadratura a Saturno e a oposição a Júpiter em Virgem que chamam a atenção para este desafio. Que fazer? Pois encontrar equilíbrios, já que é o tema actual. Não só estamos num ciclo lunar que foi proposto esta lição, como o eclipse lunar vai manter este quadro durante uns meses. Não podemos viver indefinidamente à volta de uma fogueira por mais fantástica que seja a experiência, certo? Pede-se equilíbrio em tudo, em como nos relacionamos com os outros mas como nos relacionamos também com o trabalho, com os momentos de descanso, com a saúde, com o dia-a-dia, até connosco próprios! Sonhar com ideias sim, colocar as mãos na massa também sim, mesmo que haja momentos em que menos apetece, em que distracções nos dispersem. Vénus faz ainda um sextil a Plutão, sinalizando que há o poder de transformação de valores. Coisas a que não demos importância no passado podem mostrar-se importantes agora, e vice-versa outras coisas a que dávamos tanto valor percebemos que não se sintonizam com quem somos neste momento. E seguramente que estas transformações terão importância no alcançar de uma vida mais equilibrada e justa.

Fica aqui como registo uma escolha completamente contrária ao que o Universo propõe, com resultados tragicamente tristes: os atentados de Bruxelas! Curiosamente agiram em nome de ideais, mas não ideais universais; agiram em nome de deturpações fanáticas religiosas; agiram por ignorância e causaram destruição, trauma, medo. Não lhes foi permitido aprender o que é a paz, o que é viver em harmonia uns com os outros. Marte e Saturno estão em Sagitário, e Sagitário pode ser mal aproveitado e ser manifestado como fundamentalismo religioso. Se uns agem por ignorância e intolerância outros têm o dever de agir com sinal contrário …. somos nós, eu e quem está a ler. Mais do que um privilégio é uma tremenda duma responsabilidade!!! Mas nós não estamos sozinhos! E nem precisamos sair pelo mundo fora fazendo remendos, basta agirmos no nosso próprio universo pessoal. Isto contagia-se, e aos poucos veremos a mudança no mundo que operarmos em nós 🙂

 

 

 

Consultas e análises aqui

 

Share Button

Lua nova de Peixes, 9 de Março, Eclipse solar

Peixes

 

Lua nova de Peixes, 9 de Março, 1.55 h…. tem brinde: eclipse solar

Esta é a última Lua nova do presente ano astrológico que se aproxima do fim, o que acontecerá quando o Sol sair de Peixes. Há portanto um ciclo que começa agora, dentro de um outro mais longo que termina. O símbolo do grau Sabiano onde se dá o encontro da Lua com o Sol é:

Um mestre instruindo os seus discípulos

Pista: A transferência de poder e conhecimento que mantém o impulso espiritual e criativo original do ciclo, activo e sem desvios.

Ciclos temporais começam e acabam sem que haja efectivamente uma demarcação que isole uns e outros. Cada momento é apenas a continuação do momento anterior, é aquilo em que o momento anterior se transformou, é um fluir de dados. Quando um ciclo é longo houve muitos dados coligidos, mesclados, transformados que não se irão simplesmente esfumar; vão continuar o seu processo de evolução natural depois que o próximo ciclo comece. É como se o período que termina, canalizasse todas as suas experiências e aprendizagens para o período que começa; o mestre que instrui o discípulo.

A Lua nova faz conjunção a Quíron. Quíron é a simbologia de uma energia que cura. E o que precisa de cura é o resultado de erros sucessivos. Ignorância gera crenças incorrectas, estas originam pensamentos e atitudes igualmente incorrectos, e com o decorrer do tempo surgem males vários que afectam o espírito, a mente e o corpo. Mas assim que a verdade é reposta, o processo pode reverter e a cura pode começar a acontecer. Isto está ao nosso alcance das nossas escolhas. Como aceder então à verdade, onde anda ela? Ela anda dentro de nós, mas temos que parar e aprender a sentir, aprender a perceber o que sentimos, aprender a confiar no que sentimos. Agir de acordo com o que sentimos e ver os resultados. Estudar os resultados, discernir o que pode ter contribuído para o melhor e o pior. Nós somos discípulos e podemos aprender com as circunstâncias, observando-as e compreendendo-as, fazendo experiências, jogando com elas. Agora sendo bem práticos e honestos vamos perceber que se ainda não temos este treino, se o discípulo que há em nós ainda não se sintonizou com o mestre que também há em nós e ao nosso redor, o que temos ao nosso alcance no decorrer de uma lunação é talvez um passo só, mas quem sabe o mais importante: querer a cura, querer dissolver os limites e as barreiras que nos impedem de experimentar a ligação que há entre nós e tudo o que nos rodeia, a mesma ligação que nos traz tudo o que precisamos para que a vida seja aquilo que deve ser, uma experiência de crescimento e felicidade. Fazer esta escolha de forma sincera, entregar-se ao Universo e deixar que aconteça o que tiver que acontecer. Confiar, não ter medo do que tiver que ir embora! Peixes é comparado ao um vasto oceano de energia que abarca tudo o que existe; entreguem-se então às ondas deste oceano, que é benevolente, a missão de levar para bem longe o que já não nos faz bem. Podemos falar de pessoas, de coisas, de circunstâncias, de atitudes, de emoções, de pequenas coisas até, que parecem não ter importância mas são como pedrinhas no sapato… ferem seriamente se as mantivermos enquanto caminhamos. Entregue-se tudo e abra-se o espírito a que o Grande Mestre nos mostre como fazer.

Mas algumas instruções podemos desde já recolher olhando o mapa. Para além da conjunção a Quíron a Lua nova faz oposição ao nodo norte em Virgem, isto é, se há assuntos que devemos entregar ao Mestre e aguardar, outros há que estão nas nossas mãos de forma mais directa e que se relacionam com a importância de cumprir rotinas que satisfaçam a vida do dia-a-dia de forma eficaz e saudável. Isto nem é novidade! Já que Quíron desempenha um papel importante nesta Lua nova, e que faz também oposição quase exacta ao nodo norte, vale dizer que não haverá cura real sem uma vida diária devidamente organizada, planeada, cuidada. Nós somos matéria e espírito, é por demais evidente a necessidade de rotinas responsáveis que integrem os dois pólos; discernimento do que é eficaz e saudável; o corpo precisa de movimento e ar livre tanto quanto de recolhimento e conforto; capacidade de aprendizagem de novas competências; alternar tempos de trabalho e tempos de lazer. Quantos dos nossos problemas, dos tais que precisam ser curados, não foram criados e se cristalizaram na nossa realidade por desequilíbrios nestas áreas? E a montante destes desequilíbrios estão muitas vezes feridas inconscientes e profundas, padrões que herdamos e nos obrigam a comportamos desajustados. Tanto a pedir cura!

Mercúrio está em Peixes, conjunto a Neptuno, marcando processos mentais menos racionais e mais intuitivos; podemos nos sentir confusos aqui e ali se insistirmos em entender a vida e as nossas circunstâncias de maneira puramente lógica. A lógica responde perfeitamente quando os problemas são meramente questões físicas e materiais. Mas a existência é também o que está para lá das três dimensões, e muitos não estamos habituados a lidar com essas outras áreas da vida. É natural sentirmo-nos confusos. É um processo de aprendizagem, afinal somos os discípulos. Para começar, basta talvez dar crédito a pensamentos que surjam do nada, talvez sem sentido segundo as normas estabelecidas, mas se surgem, sinalizam alguma coisa. Talvez seja a nossa verdade a bater à porta, o nosso mestre, o nosso curador.

Temos um desafio para ultrapassar, assinalado nas quadraturas de Marte a Vénus e a Neptuno. Marte está em Sagitário e haverá a tendência para desejar ardentemente desbravar caminhos rapidamente, com muito entusiasmo, muita impaciência, muito fogo. Vénus está em Aquário mas já no dia 12 vai transitar para Peixes e adquirir valores muito diferentes; vai sublinhar a importância de agir com tranquilidade, vai valorizar tempos de não acção mas de meditação e reflexão, de quietude, tempos de soltar a imaginação. Neptuno dilui o supérfluo, e as acções excessivas impelidas por Marte não têm viabilidade. E talvez a contra gosto teremos que aprender a agir com paciência, sensibilidade, com a sabedoria que o Mestre estará a transmitir. É no fundo, o que está indicado na oposição da Lua nova ao nodo norte, a necessidade de equilibrar o que se faz na vida concreta para ultrapassar as dificuldades, para curar as feridas, e como se escolhe abrir espaço à vida do espírito, que é de facto onde moram as soluções.

Em Peixes está Neptuno, um dos seus regentes. A função simbólica de Neptuno é colocar-nos em contacto com o Todo, onde todos os limites são transcendidos, todas as curas são operadas. No mapa desta Lua nova de Peixes todos os planetas sem excepção “trabalham” para Neptuno, ele é o dispositor final do mapa, ele é o Mestre; é de facto a energia do que chamamos habitualmente Amor Incondicional disponível para actuar em todas as frentes, mentais, emocionais, de acção, dissolvendo pelo menos uma parte daquilo que nos impede de crescer e evoluir, a parte necessária neste momento!

Temos ainda o eclipse solar que se deu no momento da conjunção do Sol e da Lua. No passado temiam-se catástrofes. Actualmente podemos esperar apenas mudanças. Nos mapas individuais a área de vida onde fica indicada a Lua nova, com o respectivo eclipse, será cenário de algum tipo de alteração, mudança de rumo talvez, alguma circunstância que acaba, alguma outra que começa. Não necessariamente nos próximos dias ou semanas, mas poderemos contar com novas circunstâncias. Seja o que for, como sempre, a intenção é proporcionar condições de crescimento pessoal, cortar com o que nos mantém estagnados, impelir-nos para a frente. Confiança, é sempre a palavra-chave!

Em 2015 a 20 de Março houve um eclipse solar em Peixes também. Tem boa memória? Este eclipse actual pode cair na mesma área ou na anterior.

Esta é uma Lua nova em que podemos vir a sentir o abraço que nos irá reconstruir. O Universo precisa de seres humanos brilhantes, felizes e saudáveis; a nossa experiência ajuda ao crescimento da Vida e Ela retribui apoiando-nos.

Mapa da Lua nova:
World of Wisdom -  para Lua nova

Imagem criada por Sue Ellen e o site dela é: http://www.zoolnart.com/

 

Consultas e análises aqui

Share Button