Céu astrológico para Sexta-feira 24 de Fevereiro

céuA Lua vai por Aquário e faz sextil a Vénus em Carneiro; aquilo que valorizamos, aquilo para onde dirigimos a atenção pode suscitar reacções diferentes do habitual. É possível que estejamos a sentir como é importante um pouco mais de individualismo, se a nossa tendência é sermos dependentes dos outros, e é possível também sentirmos que apesar de tudo há que manter igualdade entre as relações, sobretudo se tendermos a agir como líders ou como “a autoridade”. Mas independentemente do que nos tem caracterizado, a necessidade de descondicionamento de algumas regras pelas quais nos temos pautado, está na ordem de trabalhos. Cada um de nós sabe muito bem do que temos que desapegar… ou não sabe? Isso é que é pior! Nesse caso terá que desapegar de andar distraído!

A oposição de Marte a Júpiter e a conjunção a Urano estão a aproximar-se do fim (até 27 de Fevereiro) e fazem-se sentir cada vez mais. Os temas são genericamente semelhantes aos que estão referidos acima, no fundo reforçam-se mutuamente. É natural, sempre que se sublinha o que sentimos, mais facilmente se consegue detectar com exactidão os tais elementos que devemos descartar, neste caso ligados directamente com as pessoas com quem nos relacionamos. Enquanto isto sucede, há um trígono já em aplicação a Saturno até 5 de Março; quer isto dizer que andamos a deitar alcatrão numa estrada que nos leva algures para outras paragens. Vejamos portanto se as nossas atitudes nos estão a levar para o paraíso ou para o inferno. Pista infalível: relacionamentos equilibrados, sem nos submetermos, sem pretendermos submeter outros.

Símbolo Sabiano do dia: Oficiais vestidos em traje de parada

Oficiais são elementos de forças bélicas, e relacionam-se muito bem com Marte. Não há dúvida que os aspectos de Marte têm potencial para se tornarem bélicos, mas há antídotos vários espalhados pelo céu, que espelham o que se passa connosco. Se pensarmos que os oficiais vestidos daquela forma estão só a dar nas vistas, a causar impressão, percebemos que talvez seja de esperar a partir de alguns relacionamentos alguns “fogos de vista” sem gás para continuarem, apenas para melhor nos situarmos e fazermos as opções que conduzem à paz.

Imagem veio daqui

Boa Sexta-feira!

 

Serviços disponíveis aqui

 

Share Button

Céu astrológico para Quinta-feira 23 de Fevereiro

céuSímbolo Sabiano do dia: Um bazar de Igreja

Hoje dá jeito começar pelo símbolo, que sugere a conciliação entre os assuntos do espírito e os da matéria, nomeadamente a necessidade que temos para, usando as nossas artes e engenhos, de alguma forma, angariarmos este recurso, tão amado quanto odiado, chamado dinheiro!

A estabilidade e sensação de segurança de que todos precisamos não passa exclusivamente por termos mais ou menos recursos financeiros, mas que também passa por isso, passa! Que o diga quem vive, ou já viveu, momentos em que o rendimento disponível baixa drasticamente… ou nunca deixou de ser baixo! A Lua vai continuar em Capricórnio até ao final da tarde e temas como este sugerido pelo símbolo, podem muito bem fazer parte do cenário deste dia, adaptados naturalmente à realidade pessoal de cada indivíduo. Isto porque uma Lua capricorniana induz-nos a procurar estruturar uma vida materialmente sólida, resistente aos revezes naturais da existência, o que por acaso, ou nem por isso, só pode acontecer quando temos harmonia interna entre o lado material e não material do nosso Eu. Com a noite chega uma maior sensação de liberdade, talvez a consciência de que há aspectos da nossa vida que precisam ir embora, mas temos que não esquecer que só irão, se primeiro forem erradicados de dentro de nós mesmos. Há muito boa gente que precisa por exemplo, largar de vez a ideia de que ou temos dinheiro, esse vil corruptor, ou somos seres iluminados e evoluídos, altamente espirituais.

Para romper com conceitos ultrapassados nada melhor de facto, que o passeio actual de Mercúrio por Aquário, onde as ideias são livres, arejadas, a capacidade de olhar as questões com objectividade e racionalidade ajuda-nos a perceber alguns disparates sobre os quais construímos a nossa realidade. Atinge-se hoje um sextil a Saturno, consolida-se mais um passo rumo a uma realidade em sintonia com as nossas convicções, e por isso vale bem a pena reavaliarmos em que acreditamos. Também merece atenção um olhar atento ao que se vai concretizando à frente do nosso nariz; isto porque para além das nossas convicções conscientes, há uma série de outras “informações” inconscientes que nos podem ajudar, ou pelo contrário derrubar.

Imagem veio daqui

Boa Quinta-feira!

 

Serviços disponíveis aqui

 

Share Button

Céu astrológico para Quarta-feira 22 de Fevereiro

céuA Lua segue por Capricórnio, e a resistência emocional aos embates, desafios e obstáculos é significativa. Parece ser um dia em que precisamos de facto deste atributo, e de paciência também para não nos “saltar a tampa”… ai os aspectos de Marte que não ajudam nada! Temos uma quadratura a Marte, a Júpiter e a Urano; os outros parecem interpor-se entre nós, as nossas ambições, os nossos objectivos, o nosso trabalho, a nossa vontade de cortar a meta… mas eles fazem parte do cenário, mesmo que sejamos nós os protagonistas, quanto mais não seja do nosso próprio guião! Há uma conjunção a Plutão, nada do que sentimos é leve e superficial, bem pelo contrário, e grandes doses de impaciência podem aflorar, mas igualmente grandes doses de capacidade de transformação pessoal. Um sextil a Quíron pelo início da noite, oferece cura para todos os males, o fresco que pode acalmar o fogo emocional, assim o queiramos nós aceitar!

O Sol em Peixes conecta-nos à vontade de paz ou à ilusão de que somos mártires e vítimas dos outros; pode ser uma opção deste género que faz toda a diferença na forma como vamos enfrentar as circunstâncias. Escolha-se a paz, de alma e coração, e mesmo que não seja já hoje, será paz que vamos ter! Há uma conjunção a Neptuno em aproximação (até 2 de Março); o que não nos dá paz e tranquilidade pode efectivamente ser varrido da nossa vida, dissolvido de vez da nossa experiência, mas é fundamental usarmos o livre arbítrio neste sentido! Também a consciência de que pode levar tempo até se manifestar plenamente, mas… água mole em pedra dura tanto dá até que fura! Oh se fura!

Símbolo Sabiano do dia: Tráfego intenso num istmo estreito

Pois… já se percebeu que será um dia que rastilho curto, muita confusão num espaço pequeno, solicitações em excesso, pouca disponibilidade, sensação de sobrecarga. Pelo sim pelo não vou ali esconder-me numa caverna….. ehehehhehe… acabei de me lembrar duma canção dos U2! A beautiful day, onde ele fala que está preso no tráfego, preso sem conseguir sair dali, mas sente que está um dia bonito…. e há que não deixar fugir a sensação. Bem apropriado para hoje! Vou para a caverna mas levo música 🙂

Boa Quarta-feira!

 

Serviços disponíveis aqui

 

Share Button

Céu astrológico para Terça-feira 21 de Fevereiro

céuA Lua entrou em Capricórnio, estaremos mais compenetrados do nosso próprio papel, menos extravagantes ou extrovertidos, no fundo um estado de espírito que se alinha perfeitamente com trabalho, rotinas diárias, organização, eficácia; soa a nodo norte em Virgem e muito bem, há um trígono entre a Lua e o nodo. O Sol em Peixes não discorda de tais atitudes; aliás, especialmente para quem tem sonhos, ideais de vida que quer ver concretizados, convém lembrar que há tarefas indispensáveis a serem ultimadas. Ao longo do dia vai-se desenvolvendo uma quadratura a Vénus em Carneiro, e a este aspecto podemos ir buscar a importância do agir para conseguir atingir, fazer de novo se para trás algo não resultou, talvez fazendo de outra forma, iniciando outras atitudes, fazendo experiências. Com Mercúrio em Aquário, ideias novas não faltam. O início da noite chega com um sextil a Neptuno, e à objectividade e racionalidade com que a nossa mente está actualmente sintonizada, junta-se a sensibilidade ao que é do “outro mundo”, a intuição, a inspiração que nos é indispensável para escolhermos os passos adequados.

Mercúrio alcançou o sextil a Urano, como ontem referi, mas hoje ainda podemos ser invadidos por pensamentos e novos conceitos mentais, tão diferentes e originais que poderiam ser de origem ET… isto com Urano nunca se sabe, ehhehehehehehe…… Vai também culminar o trígono a Júpiter, e muito provavelmente tais ideias vindas sabe-se lá de onde, vão eventualmente impactar positivamente a forma como nos relacionamos com os outros. Os aspectos de Marte, nomeadamente a quadratura a Plutão e a conjunção a Urano, se mal usados, podem despoletar agressividade extrema, como é o caso infelizmente dos distúrbios que estão a acontecer em França – aqui eu falava metaforicamente em acidentes nucleares. Mas há muita humanidade espalhada pelo planeta que já está noutra, cansada de guerra, usa a mesma energia para construir a paz, para abrir caminho à Era de Aquário. É isto seguramente que faz parte da agenda de Mercúrio/Júpiter.

Símbolo Sabiano do dia: Uma floresta petrificada

A primeira imagem mental que me surgiu foi a de uma floresta negra como carvão, mas quando fui pesquisar percebi que não tem que ser assim! É como os aspectos de Marte! Há uma floresta petrificada no Arizona, e as fotos que surgem são de uma beleza inesperada! E faz tanto sentido! A floresta viveu no passado, a petrificação preservou-a em parte e manteve-a até aos nossos dias. Também do nosso passado continuam a existir aspectos inesperadamente belos, coloridos e luminosos. Os nossos talentos, os nossos saberes que jazem soterrados de lixo até ao dia em que temos coragem de começar em limpezas (nodo norte em Virgem outra vez?…. Talvez…!). Por outro lado, quando chegam à luz do dia, pela petrificação que sofreram são sólidos como uma rocha, estáveis, e neles podemos de certeza construir pilares seguros que suportem a nossa realidade actual. Como é que este símbolo se irá reflectir no nosso dia? Vamos ter que esperar mais umas horinhas, observar o dia e as experiências. Estou viciada neste jogo! 🙂

Imagem veio daqui; é uma amostra da tal floresta no Arizona. Tenho que investigar este assunto!

Boa Terça-feira!

 

Serviços disponíveis aqui

 

Share Button

Céu astrológico para Segunda-feira 20 de Fevereiro

céuA Lua vai continuar por Sagitário fazendo sextil a Mercúrio e a Júpiter, trígono a Urano e conjunção a Saturno. Há um clima de boa disposição a que podemos aceder, onde a facilidade de comunicação faz parte da forma como nos relacionamos uns com os outros; podemo-nos sentir entusiasmados com determinados aspectos que fazem parte da nossa vida, mas simultaneamente é possível manter um certo grau de objectividade, de distância em relação às várias questões que precisamos abordar, e não nos deixarmos levar por excessos de optimismo. Talvez novos elementos na forma como reagimos nos permitam este desapego, e nos proporcionem lidar com a realidade de forma construtiva, responsável mas também inovadora.

A mente participa; Mercúrio está em Aquário, novas ideias, novas forma de pensar fazem parte do nosso dia a dia actual. Um sextil a Urano está muito perto do culminar o que acentua a possibilidade de insights, ideias súbitas e geniais que aparecem para eventualmente, nos ajudarem a ultrapassar dificuldades. Faz outro sextil a Saturno (até 23 de Fevereiro) o que significa que estamos a dar um passo na solidificação de tudo o que mentalmente possa surgir de novo, ou tenha surgido recentemente; portanto há que ter cuidado no tipo de pensamentos que alimentamos! Há uma expressão bem adequada a este aspecto: “a energia segue o pensamento”.

Podia continuar, o céu fala pelos cotovelos, mas por hoje falta só o símbolo do dia: Um esquilo escondido dos caçadores

Podemos ficar então preparados para a possibilidade de alguma coisa nos fazer sentir de forma semelhante. Seremos caçadores? Francamente, que se deixem os esquilitos em paz! Seremos esquilos? De onde nos sentimos acossados? Hummmm… mas boas ideias para nos safarmos não faltarão, optimismos também não, já se viu que estamos mentalmente afinados, e emocionalmente temos capacidade de nos mantermos desapegados e objectivos face às circunstâncias. Em último caso, de for preciso fugir, com Marte em Carneiro ninguém nos agarra. Ah pois, mas isso também é válidos para os caçadores! Hey… dirijam os pensamentos para o foco correcto! Quanto aos caçadores… desamparem a loja tá? Neptuno em Peixes tem a função de apagar tudo o que impeça a Vida… xô xô

Imagem veio daqui

Boa Segunda-feira!

 

Serviços disponíveis aqui

Share Button

A propósito de “O campo de Ardath florido”

céuQuando quero muito alguma coisa vou e faço, fico obcecada e não vejo mais nada à frente até conseguir! Ahhh que se não fosse “civilizada e evoluída” arrasava com tudo à minha frente, irra! Mas pronto, sou uma versão aceitável de teimosa e casmurra! E ontem fui assim. E fiquei toda contente e feliz porque consegui o que se me enfiou na cabeça, isto é, perceber o que diabo queria dizer o símbolo Sabiano do grau onde estava o Sol quando nasceu. Que importância isso poderia ter? Bem…. nenhuma talvez para uma vastíssima maioria de pessoas, mesmo para aquelas que vão espreitando o que brota dos meus pensamentos, passa dos dedos para as teclas e segue por essa net fora. Mas para mim era, e tendo tido oportunidade para deslindar o caso, fiquei agradavelmente agradecida ao Universo por me ter proporcionado a liberdade de deixar para trás algumas outras tarefas e me ter facultado as pistas certas.

200px-ElsieWheeler
Elsie Wheeler

Depois de publicar o céu de ontem, meia dúzia de pesquisas no google, fui parar a uma curta biografia de quem foi a escritora Marie Corelli, encontrei um resumo do livro, e pasmem encontrei o livro na Amazon gratuito! Os símbolos Sabianos um dia apareceram e foram ficando porque fui descobrindo como são incrivelmente válidos. E tudo graças ao astrólogo Marc Edmund Jones, mas principalmente a uma mulher, à Elsie Wheeler que foi sua aluna e era mediúm. Podem ver, ou rever, aqui como estes símbolos surgiram. Continuando… tenho o livro do Rudhyar e tenho seguido o site de um canadiano “guru” destes símbolos, mas às vezes fico com a sensação que a interpretação deles não me enche completamente as medidas. Pois era o caso deste último grau de Aquário “O campo de Ardath florido”.

No livro “Uma Mandala Astrológica”, Rudhyar menciona que o símbolo se refere a uma cena dum livro de Maria Corelli. Como mencionei encontrei um resumo do livro e o próprio livro, ainda de manhã, fiquei satisfeita mas pus o assunto de lado e segui com o meu dia em frente. Durante a tarde, enquanto bebericava um café acabei por relembrar duas músicas do George Harrison, My sweet Lord e Peace on Earth; sei que na altura em que escreveu e gravou estas canções, ele estava muito dedicado à sua própria evolução espiritual, e encontrou nas práticas orientais, nomeadamente no hinduísmo a via para o fazer. Eu adoro aquelas duas canções, revejo-me nelas, revejo-me nas opções que o George fez, apesar de nunca ter seguido qualquer religião, nem seguir. Pratiquei Yoga, e entrei portanto em contacto com mantras, com Krishna, referido na primeira canção, e outras deidades hindus que aparecem nos mantras. Digamos que o ambiente energético, espiritual, com que qualquer praticante de yoga acaba por entrar em contacto, entranhou-se nos poros com prazer… aliás inconscientemente tenho a certeza que fui conduzida para isso mesmo! Era essa experiência que eu procurava, mas que de modo nenhum sentia que podia encontrar nas opções cristãs ao meu dispor, como cidadã de um país de tradição católica.

O café a arrefecer, eu a fingir que canto muito bem e a acompanhar o meu Beatle preferido, e acabo por ficar a pensar no meu próprio mapa, nas pistas que me apontam o meu passado kármico, algumas experiências desta vida que corroboram algumas certezas. A verdade é que hipoteticamente eu poderia ter começado a rejeitar as crenças instituídas já numa vida prévia, rebelar-me contra imposições e regras, nomeadamente as crenças religiosas e/ou espirituais, provavelmente sair-me bem nuns casos, noutros nem tanto! E claro, a Vida é uma continuação e foi assim que cheguei aqui! Mas mantendo-me estritamente na questão da minha relação com o mundo do espírito, porque é essa que vai fazer sentido no final deste palavreado todo, desde pequena, e apesar de ter pais católicos, a coisa nunca pegou; havia uma oração ao anjo da guarda que a minha mãe ensinou e segundo ela, eu bem criança ainda papagueava aquilo dizia aquilo a despachar, sem convicção… 🙂 E tudo o que cheirava a religião era firmemente rejeitado… ainda bem que nunca ninguém se lembrou de me enviarem para a catequese, porque a julgar pelas aulas de religião e moral na escola, seria o calvário (olha que apropriado…. ), ou a simples indiferença, sei lá!  Mas… simultaneamente achava estranho tudo se resumir à realidade palpável. No início da idade adulta comprei,e li, um livrinho pequeno o “Príncipe Sidharta Gautama”, para quem não sabe, aquele que viria a ser conhecido como o Buda. Gostei e interessei-me, e fui comprar outro livro do Bertrand Russel, um filósofo que fazia parte da bibliografia de Filosofia no secundário, e que se chamava “Porque não sou cristão”. Ah, este era cá dos meus! Reforcei a minha simpatia pelo Budismo, porque o livro abordava a visão de várias religiões. Passei uma parte da vida adulta a dizer, meia a brincar “quando for vegetariana e budista” isto e aquilo… Mas outros valores mais altos se levantaram na altura, ninguém me acompanhava nestas andanças, havia muita música, muitos concertos, um curso para tirar porque tinha que ser alguém, depois mesmo sem grande entusiasmo o casamento lá fez parte da realidade, procurar empregos, decidir dar continuidade à espécie…. blá blá blá… seja como for a sementinha duma espiritualidade diferente estava cá, à espera da humidade certa para começar a germinar. Acabo de me lembrar o que foi esta humidade, não vou falar disso agora, mas o yoga veio na sequência, claramente!

Reparem como uma pausa a meio da tarde para bebericar um café e ouvir um par de canções no youtube, acabou por me transportar para o passado onde temas de como vivi, e de como evoluiu na minha vida esta coisa da espiritualidade surgiram. Entretanto o café arrefeceu… quem me conhece mais de perto sabe as vezes que aqueço o café, há sempre mil coisinhas que me interrompem a tarefa… e havia mais que fazer que deambular pelo youtube! Por isso fechei a janela para o resto do mundo, o café entrou no microondas e fui à minha vida.

Só mais tarde, depois de jantar e de estar preparadíssima para o serão, me sentei novamente frente ao computador, desta vez decidida então a começar a ler o livro, o resumo da história e tentar chegar ao que o símbolo do dia poderia significar, usando também aquela que tinha sido a experiência da forma como o meu Sábado tinha decorrido, porque no fundo é isso que está em causa no símbolo Sabiano ao nascer de cada novo dia. Lendo então o resumo que encontrei, fiquei a saber que o protagonista é um jovem poeta que perdeu a inspiração e também a alegria de viver. Ao refugiar-se de uma tempestade num mosteiro nas montanhas do Cáucaso, acaba por viver um transe accionado por um dos monges com poder para o induzir. Nesse estado de consciência alterada, um anjo diz-lhe que é a sua alma gémea e diz-lhe para procurar o Campo de Ardath na Babilónia. Theos, o poeta, segue para as actuais ruínas, onde o anjo novamente lhe aparece mas ele cai sem sentidos. Acorda 7000 anos antes, vive várias peripécias na antiga Babilónia, peripécias também ligadas a como viviam os antigos a sua relação com o transcendente, até que acorda na sua cidade natal, Londres. É um novo homem, reúne-se à sua alma gémea, reconcilia-se com a forma como vive o cristianismo, e apesar de o resumo não esclarecer, imagino que retoma a inspiração. Como também comecei a ler o livro, posso acrescentar que ele estava de relações cortadas com o cristianismo, e mesmo tendo sido acolhido pelos monges, os pensamentos não eram simpáticos para com os pobres homens. Talvez por isso, quem sabe, andava com falta de criatividade para os seus poemas! Mais, só saberei à medida que for lendo o livro, mas para já é possível dizer que Theos vivia sem inspiração e zangado com a espiritualidade/religião. Vai para o campo de Ardath, entra em contacto com o passado e aspectos da espiritualidade desse passado, alguma coisa nele se cura e dá-se a reconciliação com o presente. Esta reconciliação dá-lhe uma nova perspectiva do que pode ser a vivência do cristianismo, junta-o à alma gémea e acredito devolve-se a capacidade de criar!

Conseguem ver os pontos de contacto com o que me aconteceu? Fui parar ao campo de Ardath pela mão do George Harrison e das duas canções que ouvi; durante uns momentos fico nas reflexões que partilhei e volto à minha vida, mas naturalmente só quando ao serão peguei no assunto, percebi as semelhanças. Mais… esta publicação é significativamente diferente do habitual, e mais parece ser o sublinhar das semelhanças! Continua a cheirar a astrologia, mas há acima de tudo um abrir da minha própria experiência pessoal, coisa que sinto há muito que quero fazer, nem eu sei porquê! Mamma mia! Querem ver que sou uma espécie de Theos? Ahahahah…. já agora quero o serviço completo, falta a alma gémea porque a reconciliação com a espiritualidade também já está bem encaminhada, apesar de não passar por nenhuma religião, apesar de continuar a simpatizar com o budismo, e apesar de não gostar da palavra espiritualidade, mas pronto por enquanto remedeia!

Sintetizando, no ultimo grau de Aquário, o que parece estar presente é uma visitinha ao passado para acertar assuntos do espírito mal vividos, ou mal compreendidos, porque logo a seguir o Sol entra em Peixes, energia do espírito, energia do Todo, e é conveniente entrarmos com o pé direito para aproveitarmos ao máximo o que a Vida tem reservado para nós! Agora digam lá se isto não é simplesmente fantástico, os símbolos, estas sincronicidades, a Vida, a nossa capacidade de descortinarmos estes mistérios! Se calhar o mais sumarento vem agora! O símbolo não foi só para mim como é evidente, eu tive esta experiência, mas com todos vocês algo de semelhante terá acontecido. Semelhante não na forma, obviamente, mas no âmago, na essência seguramente sim! Quem esteve atento ao dia de ontem? Quero saber.

Fechando com chave de ouro deixo as duas canções que me abriram o portão para o campo de Ardath, e estava florido, estava sim!

Imagem veio daqui

 

Serviços disponíveis aqui

 

Share Button

Céu astrológico para Domingo 19 de Fevereiro

céuSímbolo Sabiano do dia: Um mercado público

Será um dia de espaço amplo, contactos diversos, pessoas de todos os estilos, burburinho, aromas e sons, movimento, mesmo em espaços fechados a natureza está presente na fruta e nos legumes, há compradores omnívoros, vegetarianos e vegans, há de tudo, é uma amostra do Todo! Mesmo sem sairmos do nosso canto, podemos esperar a consciência de que fazemos parte daquele Todo.

A Lua vai agora por Sagitário, o que significa que procurarmos ambientes alargados, quer literal quer metaforicamente, alargar o conhecimento que temos do que quer que seja que nos interesse, por exemplo pode ser origem de bem estar; a liberdade que o contacto com a natureza permite é outra opção aplaudida por este posicionamento da Lua, e se repararmos que já vai cheirando a Primavera e é Domingo poderá ser mesmo uma escolha apropriada para muitos de nós. Temos trígonos a Vénus e a Marte e uma quadratura a Neptuno; Vénus e Marte estão em Carneiro, e os aspectos à Lua impelem-nos para a necessidade de sentirmos a importância e a capacidade de agirmos de acordo com os nossos próprios desejos e objectivos, também de nos mexermos mais, combater um estilo de vida demasiado sedentário que a maioria de nós tem. A ligação a Neptuno tem porém o condão que puder dificultar-nos as acções assertivas e directas ao foco, seja ele qual for; podemos dar por nós baralhados e dispersos sem facilidade de concentração, excessivamente imaginativos, sensíveis, dispersos. Será que conseguimos fazer valer Marte ou vamos nos deixar arrastar pelas névoas Neptunianas? Pelo início da noite as emoções sacodem as confusões e dispersões, e à ligação a Marte que continua, junta-se um trígono a Urano que nos vai acompanhar pela noite fora e acordar connosco no dia seguinte. Claro que Urano o que sempre nos pede é inovação; onde será que as experiências do dia vão indicar a necessidade deste virar de página? O que é que em nós precisamos revolucionar? Ou será que a revolução já segue a passos largos?

Imagem veio daqui

Bom Domingo!

Serviços disponíveis aqui

 

Share Button

Céu astrológico para Sábado 18 de Fevereiro

céuA Lua vai continuar em Escorpião até ao início da noite, altura em que termina a quadratura ao Sol que se vai aproximando desde já. Quer isto dizer que podemos ter um dia de emoções intensas e profundas, mas a que só nós temos pleno acesso, porque tanto quanto possível vamos mantê-las secretas… a menos que as condições tensas de Marte nos deixem “à beira de um ataque de nervos” e a agitação interior se manifeste no exterior. O atrito simbolizado pelo desacordo com o Sol deixa adivinhar mais tensão, mas talvez a objectividade e racionalidade de Mercúrio em Aquário prevaleça, ajudado pelos aspectos harmoniosos a Júpiter e a Urano, e acabe por ser fácil manter uma imagem calma e imperturbável, apesar de interiormente não ser exactamente esse o cenário.

O Sol pouco antes do meio dia sai de Aquário, entra em Peixes, e esta é uma energia de paz, entrega a valores elevados e uma maior consciência, logo de certa maneira é um deitar de água fresca em ânimos mais “em pé de guerra”. Com o início da noite vai-se a quadratura, entramos em quarto minguante, a Lua entra em Sagitário, somos invadidos por um maior optimismo, entusiasmo e fé na vida, tudo isto envolvido por um trígono a Vénus; é a altura perfeita para valorizarmos tudo o que são novas atitudes de assertividade, de independência saudável dos outros, de agir em nome dos nossos projectos, e que eles nos levem para outros horizontes de realidades mais sábias e conhecedoras das leis que regem a Vida. O Sol em Peixes ajuda-nos a querer isto mesmo!

O símbolo Sabiano que dá o tom ao dia, e que é determinado pelo grau onde se encontra o Sol ao nascer do dia, é para este Sábado: O campo de Ardath florido.

Gosto, e uso profusamente os símbolos Sabianos, mas alguns deles pedem alguma investigação para acedermos ao seu simbolismo. Foi aliás, por isso que durante algum tempo suspendi publicá-los diariamente, nem sempre tenho disponibilidade para tais investigações. Este é um desses casos. De qualquer maneira sempre posso adiantar que a frase relaciona-se com uma obra de ficção desenrolada na antiga Babilónia, autoria de uma escritora inglesa Marie Corelli. Mas como será que a frase nos impacta? O que nos faz sentir e/ou o que nos faz pensar? Pelo final do dia podemos actualizar as impressões, reflectindo, meditando; é uma forma de trabalharmos e treinarmos a intuição, essa ferramenta tão útil e tão mal aproveitada!

Imagem veio daqui

Bom Sábado!

 

Serviços disponíveis aqui

Share Button

Céu astrológico para Sexta-feira 17 de Fevereiro

céuSímbolo Sabiano do dia (corresponde ao grau do nascer do Sol): Uma borboleta emergindo de uma crisálida

As transformações continuam…

A Lua continua em Escorpião, indicando-nos como algum grau de transformação interna pode ocorrer; se levarmos o símbolo em consideração até é possível esperar alguma transformação radical e positiva, apetece-me acrescentar! A quadratura a Mercúrio que se iniciou ontem, vai ainda acompanhar-nos até às primeiras horas da tarde, e o atrito gerado entre o que pensamos e o que sentimos está exactamente a contribuir para alguma transformação emocional; há talvez a urgência em desapegarmos de crenças e ideias que fazem parte do nosso catálogo habitual de pensamentos. Terminada esta ligação a Mercúrio, aplica-se um sextil a Plutão o aspecto perfeito para quem precisa, ou quer, operar em si uma metamorfose interna, tão radical como a transformação de uma lagarta em borboleta. Se nos lembrarmos que são as metamorfoses internas que promovem as metamorfoses externas, não será preciso acrescentar mais nada. A cereja no topo do bolo é um trígono a Quíron; quaisquer que sejam as experiências pelas quais iremos passar, e elas podem ser agradáveis ou não, podemos ter a certeza que estão a contribuir para a cura de dores e feridas ancestrais, trazidas à nossa realidade pela nossa própria programação inconsciente, para que sejamos nós a curá-las.

Inevitavelmente lembrei-me do símbolo da Lua nova que marcou o início do actual ciclo lunar. Também ele fala de voar, Uma bandeira torna-se numa águia. Se queremos ser águias, hoje teremos que ser borboleta que rompe a crisálida.

Mercúrio em Aquário faz sextil a Urano (até 21 de Fevereiro)… só podia! Provavelmente do atrito que faz com a Lua começam a saltar novas e revolucionárias formas de pensar, exactamente as que precisamos para rasgar com as crisálidas mais duras de romper. A visão do futuro que escolhemos lá mais para trás, pode estar a dar sinais de manifestação; Marte em conjunção a Urano (até 27 de Fevereiro) faz-nos concentrar energia nas acções certeiras a este futuro, a quadratura a Plutão (até 26 de Fevereiro) provoca as reacções nucleares que geram energia quase inesgotável para que não nos falte combustível, e a oposição a Júpiter (até 27 de Fevereiro) pede atenção e equilíbrio com os outros, porque sem paz (externa e interna) não chegamos ao céu… e as águias voam no céu!

Imagem veio daqui

Boa Sexta-feira!

 

Serviços disponíveis aqui

 

Share Button

Céu astrológico para Quinta-feira 16 de Fevereiro

céuSímbolo Sabiano do dia: Uma árvore derrubada e serrada

Uma árvore derrubada morre, mas apenas uma parte da sua energia vital se dissipa. Transformada em lenha, a queima dos toros, permite a libertação dum calor que em alguns casos pode ser essencial para trazer as condições mínimas à sobrevivência humana. Transformação e esforço são palavras chave do processo; a transformação da árvore em pedaços de lenha, a posterior transformação destes, em calor, e o esforço para que tudo aconteça.

Transformação relaciona-se com a Lua em Escorpião, por onde ela transita agora. Aliás, a Escorpião é associada a imagem da Fénix que renasce das cinzas, e portanto o fogo possível a partir da lenha, volta a estar presente; mas também o esforço, porque o processo de deixar queimar o que não nos serve mais, para que daqui possamos renascer nunca é fácil, nem rápido, nem ligeiro . Renascer das cinzas, renascer das nossas chatices do dia a dia, é mais fácil neste períodos de lua escorpiónica, portanto vamos embora! Começa por fazer sextil ao nodo norte, dando portanto indicação que o mergulho no trabalho e nas rotinas comuns, pode ser um meio de regeneração emocional. A meio da tarde começa a aplicar-se um trígono a Neptuno; traz-nos sensibilidade ao que não é físico, intuição, e a capacidade de “lavarmos a alma” que é como quem diz a capacidade de deixarmos levar detalhes de nós mais sombrios e pesados. Não são processos que ocorram mentalmente, não são lógicos nem racionais, mas o início da noite traz uma quadratura a Mercúrio, talvez um esforço intelectual de compreensão das causas, das raízes das nossas dificuldades. Uma vez que Mercúrio está em Aquário vale a pena o esforço… mais??? 🙂 … de nos desapegarmos de ideias velhas e antiquadas, que nos prendem aos nossos cantos mais fantasmagóricos. E querem mais uma pista? Mercúrio começa a aproximar-se de um trígono a Júpiter em Balança (até 21 de Fevereiro)! Ah…. os outros já cá faltavam! Pois parece que precisamos de largar ideias acerca de como nos deveremos relacionar com os demais, e com isso trazer mais equilíbrio e harmonia à vida. Não se trata de nenhuma novidade, trata-se de algo em que é preciso aplicar tempo, persistência e desejo de acender um “fogo que arde mas não se vê”, nem se apaga à mais pequena corrente de ar! Será necessário acrescentar que vale a pena o esforço?  

Imagem veio daqui

Boa Quinta-feira!

 

Serviços disponíveis aqui

Share Button