Virá o dia em que não existirá mais o Dia da Mulher

Feminimo

 

Não gosto particularmente do dia Internacional da Mulher…. Se as polaridades femininas e masculinas estivessem equilibradas não seria preciso um dia desta natureza. A verdade porém é que nada é estático, e na realidade estamos em plena transição para que este equilíbrio seja atingido. É mágico ver nos Céus, mudanças há muito planeadas e em execução; a última Lua cheia de 5 de Março permite vislumbrar parte deste plano cósmico, e permite perceber o quanto a temática do feminino  está presente.

Tivemos então a Lua conjunta a Lilith em Virgem; há muito a dizer sobre esta Lilith, mas por agora e sinteticamente ela simboliza a energia feminina reprimida, suprimida, banida. O Sol conjunto a Quíron em Peixes lançava luz sobre a Lua e Lilith, permitindo que as respectivas energias aflorem ao consciente e sejam reconhecidas e aceites, para libertar o que for necessário. A conjunção com Quíron toca a ferida universal de nos sentir-nos separadas(os), abandonadas(os) à nossa sorte, num Universo hostil.

Quando é que Lilith, enquanto símbolo feminino, foi destronada? Aproximadamente há 6500 anos quando as sociedades humanas se transformaram de matriarcais para patriarcais. Foi um processo lento e inconsciente em que ambos os sexos estiveram envolvidos, e um progressivo desequilíbrio foi tomando lugar, afectando globalmente a Terra Mãe e os seus habitantes; desequilíbrio que surge porque a supremacia de uma das polaridades feminino/masculino ganhou cada vez mais poder de dominação e espírito de conquista. O desenvolvimento do conhecimento, nomeadamente do conhecimento científico e técnico, em estreita ligação com a valorização absoluta dos valores masculinos conduziu-nos, a este presente…. Um presente envenenado!

Como se isto não fosse pouco, há 2000 mil anos entrámos na Era de Peixes. Simbolizando Peixes o Todo Universal, o Oceano Absoluto que tudo abarca, parece contraditório que tenha contribuído negativamente para este cenário tão pouco espiritual. Mas de facto, uma humanidade em patamares iniciais de evolução, subaproveitou a oportunidade de crescimento e não compreendeu os sinais e lições que lhe foram colocados à disposição. Jesus foi um dos que desempenhou um papel importante na tentativa de expansão de consciência na altura, mas o que resultou dos seus esforços foi o aproveitamento de uns quantos que através das religiões instituídas apenas aprofundaram o fosso e associaram o feminino às trevas, aos demónios, fazendo crer que as mulheres eram as grandes causadoras dos males da humanidade.

Quíron da Era de Peixes representa, não só a dor de nos sentirmos separadas(os) do Divino, como de acreditarmos ser impuras(os) e demoníacas(os), não merecedoras(es) de felicidade, alegria e abundância. Sofrimento, castidade e sacrifício servirão para expiar os nossos pecados….. isto também pode estar associado a Peixes.

“Não há bem que sempre dure nem mal que nunca acabe” . A Era de Peixes termina, dá lugar à Era de Aquário.

Lua e Lilith em Virgem…. Virgem actualmente significa uma mulher casta e pura, que não conhece a experiência do sexo…. A ligação da pureza com a ausência de sexo, tão ao gosto das religiões, tão Era de Peixes, tão longe da Verdade!

Transcrevo um parágrafo do livro de Monica Sjöö “The Great Cosmic Mother: rediscovering the religion of Earth” (A grande Mãe Cósmica: redescobrindo a religião da Terra)

“Antigas sacerdotisas da lua eram chamadas de virgens. ‘Virgem’  significava não casada ou não pertencente a um homem, mulher que pertence a si mesma. A própria palavra deriva do latim que significa poder, força, habilidade; e posteriormente foi aplicado aos homens: como viril. Ishtar, Diana, Astarte, Isis eram todas chamadas virgens, o que não se referia a castidade sexual, mas a independência sexual. Todos os grandes heróis de culturas do passado, nasceram de mães virgens: Marduk, Gilgamesh, Buda, Osíris, Dionísio, Genghis Khan, Jesus – afirma-se que todos nasceram da Grande Mãe, e seus enormes poderes provinham dela. Quando os hebreus usaram a palavra, no aramaico original, significava “donzela” ou “jovem”, sem nenhuma conotação a castidade sexual. Mais tarde, tradutores cristãos não poderiam conceber “virgem maria” como uma mulher com independência sexual, desnecessário dizer: eles distorceram o significado para sexualmente pura, casta, nunca tocada.”

Claramente, o Sol na sua missão de trazer à consciência tudo isto não está sozinho! No último dia 5 encontrava-se ligado a Plutão por um sextil, e a Urano por um semi sextil. A Lua também ligada a Plutão por um trígono, e a Urano de forma mais tensa, mas a verdade é que um pouco de stress ajuda a seguir em frente; traduzindo, grande capacidade para morte ao velho e daqui renascer para “O Novo”, quer com a nossa vontade expressa (Sol) que com a nossa força emocional (Lua). Velho é Capricónio onde está Plutão, Novo é Carneiro onde está Urano. Velho é a submissão feminina, Novo é o equilíbrio entre o feminino e masculino.

Há mais sinais desta transição, e as cenas dos próximos capítulos seguir-se-ão a seu tempo.

Afinal do que gosto mais neste dia da Mulher de 2015? Saber que caminhamos para um horizonte em que não existirá mais, não fará mais sentido!

LUA Cheia 5 de Março

 

Share Button

Sol e Neptuno em Peixes: toca a reunir

Oval

 

O Zodíaco pode ser visto como um “relógio cósmico” em que a marcação do tempo começa quando o Sol sai de Peixes e entra em Carneiro a 20 ou 21 de Março de cada ano, sinalizando exactamente o início do ano astrológico, e coincidindo com o Equinócio da Primavera. Tanto Carneiro quanto a Primavera estão relacionados com o despertar da vida após os meses de Inverno em que tudo fica como que suspenso à espera das condições necessárias para mais um ciclo. E este, quando começa, fá-lo com uma intensidade, força e vitalidade típicas de todos os começos. Há muitas vezes a esperança de alcançar o que ainda não foi alcançado, sonhado e idealizado, talvez em Peixes, fim de ciclo, tempo de pausa, de afastamento da realidade, de imaginação e inspiração, de preparação para o novo que aí vem.

O Sol, que em astrologia se relaciona com o nosso propósito consciente, com a nossa vontade de brilhar, de alcançar os objectivos que nos vão surgindo, está precisamente em Peixes. Hoje dia 26 de Fevereiro juntou-se a ele em conjunção exacta, Neptuno, o planeta que rege Peixes, isto é, o planeta cujo simbolismo qualifica o signo onde ambos estão. Esta circunstância reforça o clima de sonho e fantasia em que o Sol está mergulhado, e onde se prepara para dar início a mais um patamar de evolução (hoje 2017, reforça na mesma já que estão em conjunção bem apertadinha). E se quando sonhamos “o mundo pula e avança”, neste ano de 2015, com a quadratura de dia 17, há espaço para muitos pulos e muitos avanços! Há que sonhar com os pés assentes na Terra, até porque Saturno anda por perto a inspeccionar e não permite devaneios nem projectos feitos em cima do joelho. Mas podemos sonhar alto, se aceitarmos a responsabilidade e a coragem que for preciso!

Símbolo Sabiano do dia 26 de Fevereiro de 2017: que corresponde ao grau onde Sol e Neptuno se encontraram é:

“Uma rapariga a tocar corneta”

Pista de Dane Rudhyar: Uma chamada à participação ao serviço da raça, em que uma crise evolucionaria se aproxima

Ocorre-me que nesta época de mudanças tão drásticas, em que de facto vivemos uma crise, dura e difícil como são todos os processos de crescimento, a saída está na participação colectiva, na consciência de comunidade que temos que fortalecer. O símbolo diz tudo, a corneta toca, está na hora de reunir!

Share Button

Urano em Carneiro versus Plutão em Capricórnio

Urano liberta-se

 

Muito em breve irá ocorrer a última de 7 quadraturas (ligação tensa de dois planetas) entre Plutão em Capricórnio e Urano em Carneiro. Vou traduzir o mais claramente que me é possível, começando por analisar separadamente:

A -Capricórnio (signo) é o “cume da montanha”, a manifestação de tudo o que um dia foi sonho, objectivo, projecto. Mas também de todos os medos, culpas, deturpações da Verdade que foram alimentadas ao longo do tempo. É sabedoria, comprometimento, trabalho, responsabilidade, organização. Mas é também excesso de materialismo e ambição, rigidez, arrogância, insensibilidade. É o Status Quo, são todas as organizações, instituições e estruturas, que suportam o nosso estilo de vida. Estruturas externas e internas, pessoais; estruturas de comportamento, de pensamento, crenças. É o sistema político, financeiro, social.

B – Plutão (planeta) é a destruição do “velho” para criar lugar ao “novo”, é morte e renascimento, é o processo pelo qual a Fénix renasce das cinzas. Trata-se de um processo purificador e libertador das formas que impedem a evolução; é um processo doloroso emocionalmente, porque no mundo físico desenvolvemos muito apego pelas circunstâncias da nossa vida, mesmo que sejam circunstâncias que não nos realizam nem nos fazem felizes. Este é um planeta ao serviço do desenvolvimento da consciência universal e individual.

A + B – Com Plutão em Capricórnio temos em funcionamento um processo de depuração, de purga de todas as estruturas sociais e pessoais. O que não serve será reestruturado ou eliminado. Mas há forte resistência; as diversas estruturas, muitas das quais concentram enorme poder, não entregam de livre vontade os privilégios e o que consideram garantir a sua própria segurança e sobrevivência. Reagem, violentamente se for necessário, num esforço para manter o sistema intacto!

C – Carneiro é o primeiro signo do ciclo zodiacal, com a força, impulso e entusiasmo associados a todos os inícios. É um símbolo que realça o domínio do individual, do particular, do auto-suficiente. Aqui a energia age para levar as suas próprias ideias para a frente, decidida e dona de uma forte vontade.

D – Urano é individuação, processo de nos tornarmos verdadeiramente quem somos, únicos e irrepetíveis, é libertação, é despertar, é descondicionamento. Este descondicionamento, esta libertação, diz respeito precisamente aos padrões que controlam a nossa vida, materializados, cristalizados por Saturno, o planeta que rege Capricórnio. Urano é também a visão do futuro que transcende as formas do presente. Fatalmente estas, tornar-se-ão igualmente em estruturas a serem substituídas; o ciclo é perpétuo.

C + D – Urano em Carneiro está no signo que marca o princípio de novos ciclos. Ganha um acréscimo de ímpeto, força, vontade de se libertar e partir rumo ao futuro, sem o peso do passado.

Desde 2012 que se tem mantido uma quadratura de Plutão em Capricórnio a Urano em Carneiro; uma luta tensa entre o “velho” e o “novo” que teve até agora seis pontos de quadratura exacta, em que, ora Plutão ora Urano estavam retrógrados, e portanto menos intensos. O próximo dia 17 de Março marca a última quadratura, mas esta é especial! Por um lado ambos estão em movimento directo, plenos de força, mas Urano leva vantagem já que ganhou como companheiro Marte, que no próprio signo que rege se encontra exaltado, isto é, com um potencial enorme de acção! Amanhã é dia 26 de Fevereiro tecnicamente Marte já está em conjunção a Urano, o que significa que as duas energias começam a cooperar, atingindo o auge a 11 de Março; a capacidade de agir segundo a visão de Urano com a energia e coragem de Marte é potente! Seis dias depois Urano em quadratura exacta a Plutão irá definitivamente romper e afastar-se daquilo que é simbolizado por Plutão em Capricórnio.

Cada um de nós individualmente, com os seus próprios processos a decorrer, iremos beneficiar desta energia de libertação e inovação. Dependendo no nosso próprio mapa, vamos sentir com mais ou menos intensidade. Muitos estamos prontos a arrancar com novos projectos de vida, outros estamos a terminar ciclos, alguns a pensar no que irão fazer a seguir…. Uns confiantes, outros mais assustados com os “plutões em capricórnio pessoais”! Mas Urano em Carneiro que deixa Plutão para trás e rasga um novo Caminho, derrama para todos a mesma proposta libertadora, visionária e corajosa! Aceite.

Embora um novo capítulo se abra, temos muito ainda por fazer, mudar, transformar. Mas o caminho faz-se com um passo de cada vez. Vamos tomando consciência do que somos, das capacidades que fazem de nós, seres cheios de recursos para criar um futuro infinitamente mais gratificante. Não aceite o razoável quando pode ter o melhor. Descubra-se e abra-se ao que o Universo lhe quer dar. Pouco a pouco, um dia de cada vez.

 

Share Button

Peixes

Peixes

De 18 de Fevereiro a 20 de Março o Sol está em Peixes. É o último dos 12 signos, é o que fecha um ciclo que começou no ano anterior, é uma ponte entre o que foi e o que tem potencial para vir a ser.

Peixes relaciona-se com o elemento água, e por isso sentimentos e emoções são a ênfase. Cada signo simboliza uma função diferente da vida terrena, e em Peixes há a síntese de tudo o que foi vivido e assimilado para trás. Conhecimento, experiências, sabedoria, crises ensinam o que é a compaixão, que somos todos iguais, que todos partilhamos as mesmas dores e as mesmas alegrias. É uma energia mística e espiritual, com grande capacidade de sacrifício e entrega. Também de sonho e criatividade; sonhar e criar permitem a contínua renovação da vida. Vida que irá brotar num novo patamar de evolução no próximo início de ciclo, em Carneiro.

Quem tem o Sol em Peixes experimenta como características de personalidade, simpatia e generosidade, adaptabilidade às diversas circunstâncias da vida, grande sensibilidade, permitindo mesmo acesso a níveis não físicos podendo ter capacidades psíquicas ou mediúnicas. Compreensivos e empáticos sempre prontos a ajudarem quem precisa. Podem ser distraídos, mergulhados num mundo imaginário com dificuldade em lidar com a realidade concreta, o que possibilita atitudes escapistas, do género “enfiar a cabeça na areia”; a forma mais saudável de escape será pela via da criatividade, e esta é abundante. Não a desperdice!

Rotinas e disciplina são desafiadoras, ou não fizessem estas, parte da realidade concreta! O mais certo é viverem dentro dum certo nível de caos. Mas afinal, como sublinhou Friedrich Nietzsche, “É preciso ter um caos dentro de si para dar à luz uma estrela cintilante”

Share Button

Lua Nova de 18 de Fevereiro de 2015

Lua Nova de Aquário

A nossa realidade é feita de ciclos, dentro de ciclos, dentro de ciclos, tal como as matrioskas, bonequinhas russas de vários tamanhos que se encaixam umas nas outras. A Lua Nova é o início de um desses ciclos, e como qualquer início é tempo de “semear” ideias, projectos, intenções. Amanhã às 23.47 h teremos a segunda Lua Nova em Aquário, no último grau, no último minuto do signo…. 29°59’! Em tempos de destruturação, em que é necessário libertarmo-nos do que impede o nosso desenvolvimento a todos os níveis, e criar novos paradigmas de sociedade, e de vida pessoal, é valioso uma segunda Lua Nova com os olhos postos no futuro! São as visões de futuro que permitem criá-lo, sendo que em Aquário é um futuro que visa o bem geral, a sociedade, a humanidade como um todo que é!

Mas esta conjunção do Sol e da Lua tem mais particularidades dignas de nota. Ela dá-se num ponto médio entre a posição de Plutão em Capricónio e Urano em Carneiro (ambos relacionados com o tempo de destruturação e a necessidade de nos libertarmos, referido acima). Desde Junho de 2012 que Plutão tem estado em quadratura (aspecto de tensão) a Urano, o que significa que se ligam por um ângulo de aproximadamente 90°, sendo este valor o equivalente ao aspecto exacto da quadratura. Durante todo este tempo estiveram ligados por ângulos mais ou menos aproximados e por seis vezes deu-se a quadratura exacta; a próxima vez que tal vai suceder será a 15 de Março e finalmente a quadratura irá entrar em separação definitiva. Irei abordar novamente esta quadratura daqui por pouco tempo, mas para já e resumidamente, digamos que Plutão em Capricónio é o Status Quo decadente, em tensão com a vontade de libertação e impulso para inovar de Urano em Carneiro. Ora a Lua Nova cai exactamente no meio desta circunstância!

Plutão e Urano estão em quadratura aproximada, e a conjunção do Sol/Lua ficando no ponto médio, está então em semi-quadratura simultânea aos dois planetas. É uma ligação que implica acção frustrada, isto é, agir para resolver o que quer que seja resulta em resultados nulos. A atitude mais ajustada é fazer uso da paciência e esperar mais algum tempo. 3 minutos depois da Lua Nova já os dois luminares estão em Peixes e vamos ter uma grande receptividade aos patamares inconscientes da existência, à intuição, à sensibilidade psíquica. A Lua ficará pouco tempo, mas o Sol vai permanecer por cerca de 30 dias, durante os quais os limites do consciente e inconsciente serão permeáveis, com informação que chega sem passar pelo pensamento racional. Vénus e Marte também têm estado no mesmo signo. A seu tempo todos transitarão para Carneiro onde está Urano, desejoso da libertação final, e para a qual vai contar com o impulso de todos os planetas que por agora estão em Peixes mas em breve se lhe juntarão. A espera é relacionada com esta entrada em Carneiro, início de outro ciclo, signo do elemento fogo, com força, entusiasmo e vitalidade para levar os projectos em frente!

Esta Lua Nova sendo imediatamente anterior à última quadratura exacta de Plutão e Urano marca sem dúvida um período de sementeira libertadora, assim estejamos preparados para as colheitas!

O símbolo Sabiano da Lua Nova é: “Profundamente arreigada no passado de uma  cultura muito antiga, uma irmandade espiritual, na qual muitas mentes individuais se fundiram com a resplandecente luz de uma consciência unânime, se revela à pessoa que saiu com êxito das suas metamorfoses”

LUA NOVA

Share Button

Panorama astrológico para Sábado solarengo

hoje

 

A Lua está oposta a Marte em peixes e a Mercúrio retrógrado em Aquário, facilitando o olhar interior, talvez com pensamentos virados para o futuro; Mercúrio por sua vez está confortavelmente ligado a Saturno e por isso ficamos com as ideias todas organizadas.

Sol e Júpiter continuam a dar tons optimistas. Mas sensatez também faz bem, e optar por um optimismo realista dá bons resultados.

Sol em Aquário a fluir com Urano dá-nos a capacidade de ver longe, intuir novos caminhos, novos rumos, talvez bem pouco convencionais! Aquário é regido também por Urano, e por isso eu digo …. É muitooooo Urano junto, é muito futuro, é muita vontade de liberdade e inovação!

Para construir o futuro nada melhor que sonhar! E para isso contamos com Vénus, Marte e Neptuno em Peixes. Há dores antigas (Quiron) partilhadas por todos nós, a serem habilmente transformadas por Plutão, permitindo um caminho mais leve.

Sonhem com os pés na terra, a mente no infinito de possibilidades…. Pelo meio há o coração, e se ele bater mais forte estão no caminho certo!

Mapa hoje

Share Button

Navegando pelas águas do último sábado de Janeiro

Fim de semana

Temos um sábado muito “aquático”, isto é, muitos planetas em signos de água; estamos por isso emocionais e sentimentais.

Em Peixes encontram-se Vénus e Neptuno conjuntos (idealismo, imaginação, ligação ao transcendente), Marte e Quíron também em conjunção; estando a simbologia de Quíron ligada a feridas emocionais antigas e profundas, com Marte a tocar o que dói, há a oportunidade de olhar, reconhecer para começar a aceitar e transcender. Olhe a imagem e visualize tudo isso empacotado, colocado no barquinho de papel, sendo levado para bem longe, arrastado pela corrente.

Com a Lua em Caranguejo activa-se a capacidade de sonhar, de imaginar, de sentir, de recordar, de intuir. Ela está em trígono com Vénus e Neptuno, o que acentua a sua natural sensibilidade, sendo um aspecto para aproveitar as capacidades de percepção de planos psíquicos da existência, inspirando-nos, dando-nos a possibilidade de encontrar resoluções para os nossos desafios.

Sol e Mercúrio estão em Aquário, colocando o pensamento e os objectivos no futuro. Mercúrio retrógrado liga-se muito bem ao que acima ficou descrito, e por isso os nossos processos de pensamento estão embebidos do que sentimos, mais do que é habitual. À luz do que acreditamos ser correcto, das nossas visões e intuições, podemos olhar e preparar o caminho que desejamos abrir.

A Lua liga-se também a Saturno em Sagitário. Em quincôncio, somos solicitados a perceber e reajustar as “energias” em causa. Ora o Sr. dos Anéis, é o responsável pela materialização do que quer que seja, a que damos origem nas correntes inconscientes alimentadas pelos nossos sentimentos, emoções, pensamentos. Vamos então aproveitar o dia “aquático” para fazer um reconhecimento “das teias de aranha que andam nas caves e nos sótãos” porque de facto, não queremos materializar mais “lixo”, certo?  A Lua Cheia não demora, e será uma ajuda extra na limpeza.

Mesmo que não tenha por hábito meditar, ficar em silêncio, reflectir, contemplar vale a pena começar já. Para aproveitar ao máximo o que nos é proposto, nada melhor que virar as costas aos cinco sentidos e abraçar o sexto!

A imagem é de Elen Alosa

31 Janeiro 2015

 

 

Share Button

Aquário

Aquário

O Zodíaco pode ser visto como um ciclo que começa   no signo de Carneiro e termina em Peixes, para logo a seguir se repetir o processo, mas num patamar diferente de evolução. Visualizando uma imagem, fica claro que o ponto mais “elevado” é aquele que em astrologia corresponde a Capricórnio, o culminar das nossas acções, a materialização dos desejos, dos impulsos que construíram uma determinada realidade. Relaciona-se ao Status Quo, e a todas as suas regras que se por um lado são necessárias à coesão dessa mesma realidade, por outro naturalmente muitas delas se tornam arcaicas e obsoletas.

Zodíaco

Tendemos a olhar a insatisfação como uma característica negativa, e no entanto é ela que permite caminhar com o horizonte como destino. Nunca se atinge o horizonte, mas se o foco for esse, caminhamos sempre em frente. Em Aquário surge esta necessidade de libertação do que foi alcançado e que serviu um propósito. Agora é tempo de inovar, olhar o futuro, revolucionar se preciso for. Para criar novas estruturas de sociedade é necessário olhar os outros como membros de uma comunidade a que pertencemos; então, o impulso de “derramar” a visão futurista para todos em geral, de forma impessoal, com o desejo de inspirar a mesma vontade de abrir novos rumos. O símbolo de Aquário está ligado à água. Em tradições antigas a água era vista como fonte de sabedoria e inspiração.

Temos então a energia de Aquário ligada às seguintes palavras-chave: inventivo, activista social, revolucionário, intelectual, tolerante, amigo, visionário, imaginativo, idealista e progressista.

Há uma frase que circula como sendo de Fernando Pessoa, mas na realidade é de Fernando Teixeira de Andrade e que na minha opinião é perfeitamente adequada a Aquário: “Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia; e se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.”

Share Button

Mercúrio Retrógrado

mercurioretrogrado

Em 2015, de 22 de Janeiro a 11 de Fevereiro, de 18 de Maio a 11 de Junho e de 17 de Setembro a 9 de Outubro mercúrio estará retrógrado.

Quando observamos a partir da superfície da Terra os diversos planetas do sistema solar, estes mostram uma trajectória com um determinado sentido. Devido à combinação de diferentes velocidades e movimentos, da Terra e dos vários planetas à roda do Sol, em certos intervalos de tempo, aqueles aparentam um percurso contrário ao habitual. Nestas fases diz-se que o planeta está retrógrado. Durante a retrogradação as funções inerentes ao planeta em causa ficam subjectivas, sujeitas a definições pessoais, os processos “viram-se” para o interior do indivíduo.

No caso particular de mercúrio, a energia simbolizada pelo planeta relaciona-se com a comunicação, a aprendizagem, a análise racional, a lógica, o movimento; quando segue em movimento directo, estas funções ligam directamente o indivíduo e o seu exterior. Mas nos períodos retrógrados o foco recai no interior, sendo um tempo para reflexão, para contemplação, para estar “quieto”; é o lado feminino, yin, que impera. Mas, especialmente na sociedade ocidental, em que a ênfase é posta no lado masculino, yang, que quer ir e fazer, que quer ir e conquistar, que quer ir e controlar, que é virada para o exterior, a proposta destas fases de mercúrio retrógrado não é perceptível nem aceite. Deste choque, entre o que é proposto pelas forças do cosmos e a vontade humana, no seu lado mais cego e surdo, surgem com alguma frequência as avarias em telecomunicações, telemóveis, computadores, veículos automóveis, enfim, nos dispositivos e meios utilizados habitualmente para nos relacionarmos com o meio circundante. O reconhecimento do aumento estatísticos deste tipo de avarias e interferências, é cada vez mais difundido, e não deixa de ser curioso, e até divertido, assistir à atitude de preocupação com que estes intervalos de tempo são recebidos.

keep calm no mercúrio

Pensando no nosso próprio bem-estar, que até inclui o “bem-estar” dos nossos telemóveis, computadores, carros, transportes, televisões, electrodomésticos e processos de comunicar em geral, vale a pena seguir a proposta que o Universo sugere, parar um pouco e olhar para dentro. Dentro deste âmbito do “olhar para dentro”, cabem aquelas tarefas que já foram iniciadas, talvez mesmo terminadas, mas precisam de reavaliações. Então podemos rever decisões, procurar reaver objectos perdidos, refazer obras, reparar equipamentos, repensar e esclarecer propostas e situações, retomar estudos e projectos. De certa forma, tudo o que precise da tal reflexão que nos é sugerida, fica beneficiado.

Share Button

Eu sou a Alma

I am the soul

Eu sou a Alma. Tenho um corpo físico, mas não sou o meu corpo físico. O meu corpo físico é uma parte de mim. Eu sou a Alma. Tenho emoções, mas não sou as minhas emoções. As minhas emoções são uma parte de mim. Eu sou a Alma. Tenho uma mente, mas não sou os meus pensamentos e opiniões. Os meus pensamentos e opiniões são uma parte de mim. Eu sou a Alma. O meu corpo, as minhas emoções e a minha mente trabalham harmoniosamente e em uníssono, sob a minha direcção Amorosa, para o meu bem maior e para o bem maior de todos. Eu sou a Alma.

Esta é uma afirmação retirada do livro “A Astrologia e os Sete Raios” de Alan Oken. Acredito ser uma adaptação da afirmação “Eu sou a Alma” de Choa Kok Sui.

Share Button