Céu astrológico para Segunda-feira 25 de Fevereiro

Símbolo Sabiano do dia: Uma cruz deitada sobre as rochas

Fazemos parte de uma tradição judaico-cristã e mesmo sem seguirmos preceitos religiosos, a associação da cruz ao sofrimento é quase imediata. Deitada sobre as rochas parece acentuar a aura de dureza e aridez com que a vida às vezes se reveste, prendendo-nos a circunstâncias agrestes e pesadas. Mas há uma magia nos símbolos, eles podem apontar outros caminhos, podem haver outras interpretações igualmente válidas; podemos por exemplo decidir deitar fora o sofrimento, atirá-lo às rochas e seguirmos mais leves, procurando dirigir os pés para onde há suavidade e fluidez no caminho.

A Lua em Escorpião faz trígono a Mercúrio em Peixes, sextil a Vénus em Capricórnio, trígono ao nodo norte em Caranguejo e a Quíron em Carneiro. Sentimos com mais intensidade, estamos mais reservados e introspectivos, circunstância que a ausência do elemento ar no céu vai acentuar desviando o foco da comunicação falada, embora possa fomentar formas de comunicação simbólica e intuitiva, também porque Mercúrio está em Peixes. É um estado de espírito que nos facilita a concentração nas áreas que mais nos importam de momento, e que atendendo ao posicionamento de Vénus, se situa algures no trabalho, responsabilidades, imagem que assumimos publicamente. Mas talvez a grande oportunidade que esta Lua nos dá, seja a capacidade de regeneração emocional; reconhecendo que estados emocionais não nos servem, podemos escolher comportamentos, atitudes, posturas que nos libertem. Isto pode significar “deitar a cruz às rochas” ou dito de forma mais coloquial “deitar as chatices às urtigas”. As chatices, os problemas podem continuar a existir por enquanto, mas sem negatividade emocional associada, ganhamos novas perspectivas, ganhamos capacidade de novas formas de agir, tornamo-nos mais independentes das circunstâncias e por isso mais capazes de as modificar ou de nos adaptarmos. Esta independência tem sido trabalhada por Urano em Carneiro que está próximo de deixar a tarefas a Quíron em Carneiro. Se ainda não foi possível ganhar tal liberdade, será talvez porque existem feridas abertas que dificultam este processo. Tempo portanto de Quíron curar o que ainda não permite sermos mais livres e donos do nosso nariz. Por hoje o melhor que esta Lua em Escorpião nos pode dar, é associar-se a Quíron. Por hoje regeneração emocional é equivalente a ganhos de liberdade e independência. A cereja no topo do bolo, é que o trígono ao nodo norte em Caranguejo diz-nos que ganhamos igualmente segurança emocional. Dores nas cruzes? Rochas com elas!

Desenvolver auto conhecimento, aprendizagem ou consultas ver aqui

Imagem veio daqui

Share Button

Céu astrológico para Sábado 23 de Fevereiro

Símbolo Sabiano do dia: Um bazar de igreja

Aos assuntos do espírito não são estranhos os assuntos da matéria. O lado material da vida de toda a gente, de todas as organizações, instituições, associações etc. necessita fontes de recursos para se manterem  vivos e operacionais. O material é também espiritual.

A Lua em Balança faz oposição a Urano em Carneiro, depois sensivelmente a meio da tarde entra em Escorpião e vai-se aproximando de uma oposição a Marte em Touro. Aos outros continuamos a atribuir um papel importante, eles são parte do que nos proporciona bem estar, segurança emocional. Algumas relações são tão importantes que a elas estão associadas os temas básicos da sobrevivência e qualidade de vida material. Quantos conflitos, grandes e pequenos, externos mas igualmente internos, se originam do impulso para sobreviver e viver com qualidade acrescida? Quantos desses conflitos nasceram da separação entre o espiritual e o material, como se um fosse superior ao outro? Ninguém pode menosprezar a importância da qualidade de vida, que passa pela existência de recursos financeiros, mas não só! Passa pela liberdade de escolha, por uma afirmação pessoal independente de dogmas espirituais, religiosos, familiares, sociais, civilizacionais. Também passa por nos valorizarmos, o que implica valorizarmos tudo o que sabemos e sabemos fazer, tudo o que gostamos de fazer, tudo o que é nosso, sejam recursos materiais, sejam recursos internos. É a capacidade de sermos independentes e de sentirmos o nosso valor que permite desenvolver relações que são fonte de tudo o que é  bom, bonito e elevado/espiritual… a prosperidade está incluída!

Desenvolver auto conhecimento, aprendizagem ou consultas ver aqui

Imagem veio daqui

Share Button

Céu astrológico para Sexta-feira 22 de Fevereiro

Símbolo Sabiano do dia: Tráfego intenso num istmo estreito

Muito movimento, pouco espaço, possibilidade de “falta de ar”. Os símbolos surgiram perto de San Diego na Califórnia, onde de facto existe um istmo numa zona balnear, conforme sublinhou Dane Rudhyar quando estudou estes símbolos. É portanto uma zona que muitas vezes está associada a momentos de lazer.

Tráfego intenso podemos talvez associar às tensões a que a Lua em Balança está sujeita; há quadraturas a Vénus, a Saturno e a Plutão em Capricórnio. Pode dizer-se que vamos ter que circular entre o valor que atribuímos à estabilidade e segurança materiais, à realidade tal como se apresenta, que pode ser  mais ou menos a nosso gosto, e às transformações que temos de operar para que tudo fique a contento. Com a Lua em Balança somos atraídos pela beleza, pela harmonia, pelas oportunidades de nos relacionarmos equilibradamente com os outros. O Sol em Peixes fala-nos de tranquilidade, paz, sensibilidade, momentos inspiradores. Mas para conseguirmos tudo isto, vamos ter que enfrentar o tal tráfego intenso. Valerá a pena?

E comecei a ouvir isto dentro da minha cabeça…. deve ser obra do par Sol/Mercúrio em Peixes:

Valeu a pena? Tudo vale a pena

Se a alma não é pequena.

Quem quer passar além do Bojador

Tem que passar além da dor.

Deus ao mar o perigo e o abismo deu,

Mas nele é que espelhou o céu.

Fernando Pessoa…. que por acaso até era astrólogo!

 

Desenvolver auto conhecimento, aprendizagem ou consultas ver aqui

Share Button

Céu astrológico para Quarta-feira 21 de Fevereiro

Símbolo Sabiano do dia: Uma floresta petrificada      

A Lua vai continuar em Virgem durante a manhã, depois entra em Balança e faz oposição a Quíron em Carneiro. Nos mapas pessoais valorizo bastante Quíron, o curador, mas em trânsito tem andado esquecido. Então, como por hoje o único aspecto que a Lua faz é a Quíron, vamos recapitular os últimos meses:

– Abril de 2018 Quíron sai de Peixes, por onde transitava desde 2010/2011, e entra em Carneiro. Depois ficou retrógrado em Julho e regressou a Peixes no final de Setembro. Fica directo em Dezembro e agora em 18 de Fevereiro voltou definitivamente a Carneiro onde vai permanecer até 2026.

Simbologia destes posicionamentos:

Em Peixes: Cura da percepção de que existimos num mundo material afastado, separado dum outro mundo invisível, cujas leis desconhecemos inteiramente. Quando a cura começa, percebemos que não é assim, começamos a aceitar que “O universo é um todo orgânico que consiste de seres vivos, todos trabalhando como um único ser. Todos os seres vivos juntos constituem um único ser”. A citação é de Martinus (Pesquisem a Cosmologia de Martinus).

Em Carneiro: Agora a cura vai incidir nos conceitos do que é uma existência independente, mas que já sabe que pertence ao um Todo. Como fazer para tornar saudável, ou para criar verdadeira harmonia entre o nosso projecto individual humano com os outros, eu diria humanos e não humanos. Que ferida não permite a verdadeira harmonia entre todos nós? É sobre ela que vai incidir a atenção de Quíron, mas a nossa ajuda é preciosa, precisamos ser uns bons colaboradores.

Quando a Lua entrar em Balança todos iremos ter uma atenção especial dirigida aos outros e ao equilíbrio que gostaríamos que existisse. O Sol em Peixes faz um quintil a Júpiter em Sagitário; existem condições para que propósitos inclusivos, que sejam sinónimo de paz e consciência de que somos células diferentes de um único ser façam parte da verdade que nos define.

O símbolo aponta para a possibilidade de “observarmos” vestígios de um passado muito arcaico mas que ainda se revela, apesar de “morto”. Sobretudo se os vestígios não forem do nosso agrado, serão elementos de informação úteis para sabermos que novas posturas devemos assumir (Urano em Carneiro nos seus últimos dias por este signo) e/ou que curas devem ser iniciadas (Quíron em Carneiro)

Desenvolver auto conhecimento, aprendizagem ou consultas ver aqui

Origem da imagem Pixabay

Share Button

Céu astrológico para Quarta-feira 20 de Fevereiro

Símbolo Sabiano do dia: Um esquilo esconde-se dos caçadores

Não dar nas vistas, manter a discrição para garantir a sobrevivência é o que ressalta imediatamente do símbolo. A Lua em Virgem faz oposição a Neptuno e Mercúrio em Peixes, trígono a Vénus, Saturno e Plutão em  Capricórnio, quadratura a Júpiter em Sagitário. “Garantir a sobrevivência” está mais a cargo de Marte, que em Touro dirige as operações no sentido da gestão dos nossos bens e recursos, de maneira a gerarmos o que precisamos para viver e já agora com o máximo de conforto e qualidade. Gestão sem organização não faz sentido, e é a discreta Lua em Virgem com a sua inclinação para a eficácia, para o escrupulosamente bem feito, que nos vai ajudar em termos de métodos de trabalhos que permitam o máximo de produtividade. Com o Sol em Peixes não combina trabalho “puro e duro” e portanto paira no ar um convite ao “fazer eficazmente para obter resultados com pouco esforço”. Mercúrio em Peixes responsabiliza-se por ideias inspiradas. Pelo meio vamos concretizando uma realidade que é o espelho da nossa verdade interna, uma versão actual que vai substituindo a que tem existido. Se nos sentirmos seguros, temos a confirmação de que estamos a criar estabilidade material, o “perigo” está afastado.

Desenvolver auto conhecimento, aprendizagem ou consultas ver aqui

Origem da imagem Unsplash

Share Button

Lua cheia em Virgem, Fevereiro 2019

Lua cheia em Virgem, Sol em Peixes, graus 0º42´, 15.53h

Na Lua nova de Aquário iniciou-se um ciclo cuja temática se relaciona com um futuro mais livre de condicionamentos, que muitas vezes não permitem sermos quem somos na essência, não permitem sequer darmos passos em termos de evolução pessoal e colectiva. Mas sabemos exactamente que condicionamentos nos limitam a liberdade de escolha? São as circunstâncias, feitas daqueles inúmeros elementos que nos exigem uma disponibilidade que gostaríamos de dirigir para outro lado, esses condicionamentos? É que essas circunstâncias surgiram porque a montante existia alguma coisa que as permitiu. Não será isso o verdadeiro condicionamento? Parece-me que sim, é o conjunto de crenças, sentimentos e padrões emocionais que se abrigam em nós, os responsáveis pela maneira como a nossa realidade vai tomando forma. Portanto será por aqui que há a possibilidade de libertação, de descondicionamento, introduzindo outras crenças, sentimentos e padrões emocionais com o poder de eliminar o que tem existido. Entretanto, não nos resta senão aprender a lidar com a realidade entretanto materializada, mesmo que seja um “osso duro de roer”, que no entanto é também uma pista para conseguirmos chegar à raiz do que temos para riscar dos nossos planos futuros. A Lua cheia acontece com o Sol em Peixes e a Lua em Virgem; pode ser um momento em que já identificamos o que precisa ir embora, para que o futuro não seja uma monótona repetição do passado.

Símbolos Sabianos:

Lua – Uma cabeça de um homem

Sol – Um mercado público

O símbolo da Lua nova era “Um grande homem de negócios sentado à sua secretária”, e agora na Lua cheia “Um mercado público” remete-nos novamente para “negócios”, uma vez que num mercado o que se faz é essencialmente comprar e vender. Por outro lado a Virgem associamos também o trabalho, o serviço prestado uns aos outros. Será que estamos numa lunação particularmente focada no mundo do trabalho? Não será assim tão estranho, já que se pensarmos em termos de evolução global da humanidade existem dois factores que chamam a atenção para a necessidade de desapegarmos do paradigma actual que define a forma como desenvolvemos as actividades a partir das quais adquirimos os recursos financeiros necessários para subsistirmos, para garantirmos pelo menos alguma independência e liberdade de acção. Refiro-me ao nodo sul da Lua em trânsito por Capricórnio e ao nodo sul de Plutão também em Capricórnio; ambos falam do mesmo, da necessidade de abandonarmos as velhas fórmulas que regem a maneira como existimos publicamente, o que inclui naturalmente tudo o que se relacione com actividades profissionais.

Urano desde 2010/2011 está em Carneiro, de onde vai sair no final do presente ciclo lunar, e este posicionamento relaciona-se facilmente com o tema em questão. Urano em Carneiro, tem sido símbolo de uma revolução na forma como procuramos nos afirmar, como procuramos independência e liberdade de acção. Será que nos apoiamos exclusivamente nas nossas actividades profissionais para conseguirmos esta independência? Será que descuramos outros factores igualmente importantes? Será que cedemos nos nossos valores em troca de estabilidade material? Tantas questões que podem ser levantadas, tanta matéria para reflectirmos! O símbolo da Lua indica que uma dose de racionalidade (a cabeça de homem como símbolo de uma mente masculina/racional), objectividade e sentido prático são sentidos como necessários  mas com o Sol e Mercúrio em Peixes isto dificilmente acontece. Peixes é exactamente o oposto, é o que está para lá da mente que pensa as coisas do dia a dia, é inspiração, é arte, é meditação, é espiritualidade, é quietude. Vamos ter que usar outras vias, ouvir mais o coração que segue os nossos valores, deixar que os impulsos nos mostrem o sentido para onde dirigir as acções. Vénus em Capricórnio e Marte em Touro podem compensar a falta de sentido prático dum Sol e Mercúrio em Peixes. Até pode bem acontecer, que a revolução associada a Urano em Carneiro, seja exactamente esta de aprendermos a nos guiarmos mais por uma sabedoria interna, que sabe bem para onde dirigir os nossos passos, do que por uma consciência moldada pelas crenças de uma civilização cujo prazo de validade expirou. De Marte gosto de dizer que  “é para onde seguem os nossos pés” e a verdade é que Marte em Touro faz sextil ao Sol e trígono à Lua. Marte vai naturalmente procurar que os nossos passos nos encaminhem para o que nos pode criar valor acrescentado, seja pelo aumento de amor próprio… o maior atractor de recursos, relações gratificantes e qualidade de vida de forma geral… seja pela concentração na gestão dos nossos bens, saberes e talentos.

Uma das posturas que precisamos deixar cair, para que o futuro não seja uma monótona repetição do passado, é a que se relaciona com a incapacidade de aceitarmos que no fundo não controlamos tudo e há momentos em que o melhor é colocar em modo pausa os nossos melhores planos, deixarmos que seja a Vida a nos mostrar qual é a próxima etapa.  Esta não é exactamente a maneira como fomos ensinados a proceder, não é a forma como a sociedade está organizada, muito menos o universo do trabalho, e portanto não é estranho pensarmos que sim, descondicionarmo-nos do passado passa por aprendermos que algumas vezes podemos fazer planos para a Vida, outras vezes é bom estarmos simplesmente abertos aos planos que a Vida tem para nós, em estado de confiança e tranquilidade porque só assim conseguimos que esses planos nos cheguem às mãos… ou nos façam pôr os pés no bom caminho!

Para terminar uma achega: a próxima Lua nova vai ser em Peixes e Urano vai já estar em Touro. A revolução vai ser em termos do que fazemos nós com os nossos recursos pessoais, com o que sabemos e sabemos fazer, com a maneira como nos valorizamos, como gerimos tudo isto, como colocamos este potencial ao serviço dos outros ou não. Quanto potencial inesgotável temos escondido numa gaveta fechada a sete chaves, e que poderíamos usar para gerar recursos próprios?  Percebe-se bem como o tema é para continuar…. mas já agora deixem-me acrescentar… a maioria das vezes sabemos lá o que temos na gaveta!!! Se não fossem os momentos em que percebemos que a Vida nos está a mostrar uma possibilidade não sonhada sequer, não chegaríamos tão longe quanto podemos chegar!

 

Desenvolver auto conhecimento, aprendizagem ou consultas ver aqui

Origem da imagem: Unsplash.com

Share Button

Céu astrológico para Segunda-feira 18 de Fevereiro

Símbolo Sabiano do dia: Os campos floridos de Ardath

Ardath é um romance de uma escritora inglesa, Marie Corelli, cujo personagem principal é um jovem poeta que perdeu a inspiração e também a alegria de viver, zangado com a vida, em parte pela destruição dos seus ideais quando confrontados com uma visão excessivamente racional e científica da sociedade na altura (finais do século XIX, princípios do século XX), também porque não encontrava na religião uma visão alternativa. Mas um estado alterado de consciência nos campos floridos de Ardath (perto da antiga Babilónia), permite-lhe viver uma experiência tal, que regressa “curado” e reconciliado com uma espiritualidade vivida à sua própria maneira, recupera a alegria e a inspiração.

Um peso excessivo do racional e do “cientificamente provado” pode estar relacionado com Aquário, signo por onde tem transitado o Sol, mas o tempo encarrega-se de nos mostrar que nem tudo se compreende e resolve apenas neste patamar da existência. Vivermos à nossa própria maneira, riscando tudo o que não se coaduna com o nosso ser interno, é também assunto aquariano e portanto é possível adoptarmos uma vivência da espiritualidade de forma muito individual, encontrando espaço para tudo, para o espiritual, para o racional, para o científico. Bem ao fim desta Segunda-feira, o Sol entra em Peixes e até lá temos tempo para nos reconciliarmos com o lado invisível da Vida, ou reforçarmos a reconciliação que já ocorreu, à nossa maneira! Porque com o Sol em Peixes “o essencial é invisível aos olhos, só se sente com o coração”. Incrivelmente há um quincúncio entre Quíron em Peixes e o Sol enquanto estiver em Aquário, aspecto que nos remete exactamente para o que se passou no romance de Marie Corelli, isto é para a reconciliação entre o material/mental/racional com o espiritual. Talvez tenhamos que levar um abanão (o quincúncio é um aspecto tenso) para abrirmos os olhos do coração!

A Lua está em Leão e faz trígono a Júpiter em Sagitário. Sentimos e reagimos de forma muito autêntica, não só porque a Lua está no signo associado ao coração, mas porque estamos em estreito contacto com a nossa verdade em expansão. Isto “apenas” para promover e consolidar a reconciliação entre os dois mundos, o de cá e de lá, que na verdade estão aqui e são um só.

Desenvolver auto conhecimento, aprendizagem ou consultas ver aqui

Origem da imagem: Unsplash.com

Share Button

Céu astrológico para Sábado 16 de Fevereiro

Símbolo Sabiano do dia: Uma árvore tombada e serrada

Segundo Lavoisier “na natureza nada se perde nem nada se cria tudo se transforma”. Uma árvore tombada, talvez porque chegou ao fim dos seus dias de vida de forma natural ou pela mão humana, pode ser serrada e aproveitada para queimar, para dela extrair luz e calor. As cinzas também têm utilidade, deitadas à terra fertilizam. Isto é um belo exemplo do aproveitamento de recursos associado a Touro; uma vez que Marte aqui se instalou, seduz-nos para gerirmos o que temos e gerarmos qualidade e conforto.

A Lua em Caranguejo faz oposição a Vénus e a Saturno em Capricórnio, trígono a Neptuno em Peixes. Maior sensibilidade, emotividade e a necessidade de nos mantermos no nosso casulo privado,  confrontam-se com uma realidade que pode ser percepcionada como limitadora daquilo que nos proporciona bem estar. No entanto, há um mundo lá fora onde existem responsabilidades que até valorizamos e que podem inclusive ser degraus até aos nossos sonhos e ideais de vida. Portanto resta-nos encontrar a fórmula para misturarmos com sucesso tudo o que está em causa. Sentido prático, imaginação e a ambição de conseguirmos os nossos intentos não falta. O que é preciso é aproveitarmos tudo o que está ao nosso alcance, sejam coisas, pessoas ou circunstâncias, porque tudo se pode transformar em algo de que retiramos proveito.

Desenvolver auto conhecimento, aprendizagem ou consultas ver aqui

Origem da imagem: Unsplash.com

 

Share Button

Céu astrológico para Sexta-feira 15 de Fevereiro

Símbolo Sabiano do dia: Um antigo pote de cerâmica cheio de violetas

Marte entrou em Touro, e sente-se já uma acalmia de ânimos. Até ao final de Março o tempo é para ser saboreado com vagar, enquanto tarefas que necessitam de persistência e paciência podem ser as preferidas. Gerir bens e recursos para conseguirmos obter mais conforto e qualidade de vida, também para gerarmos mais recursos, é outra vertente que se relaciona com este posicionamento de Marte.

De manhã a Lua está ainda em Gémeos faz trígono ao Sol em Aquário, sextil a Urano em Carneiro, entra em Caranguejo e faz sextil a Marte em Touro. Começamos o dia em versão sociável, mentalmente arejados e comunicativos mas com a entrada da Lua em Caranguejo é no aconchego dos locais familiares que encontramos verdadeiro bem estar. Praticidade, sensibilidade e cuidado podem ser palavras que descrevem o estado de espírito que prevalece. O símbolo reforça esta ideia, sugere um clima bucólico, talvez romântico que pouco se relaciona com o futurismo intelectual associado a Aquário. Mas pensando bem, porque não haveremos de usar os bens/recursos antigos que podem ainda salpicar a vida de beleza simples em contraponto ao excesso de tecnologia que nos rodeia? Parece ser um dia simpático!

Desenvolver auto conhecimento, aprendizagem ou consultas ver aqui

Origem da imagem aqui

Share Button

Céu astrológico para Quarta-feira 13 de Fevereiro

Símbolo Sabiano do dia: Uma borboleta com a asa direita mais perfeitamente formada

A Lua entrou em Gémeos, faz quadratura a Mercúrio em Peixes, sesquiquadratura a Saturno e a Plutão em Capricórnio. Há uma maior necessidade de comunicar, de procurar informação, de movimento e diversidade, de saciar a curiosidade. O impulso para satisfazermos esta necessidade está na quadratura a Mercúrio, uma tensão que pode surgir a partir de alguma coisa para a qual queremos encontrar solução, por exemplo. No entanto o perigo de dispersão em múltiplas direcções é real. Não só a energia de Gémeos é naturalmente propensa a dirigir o foco da atenção para diversos assuntos, como Mercúrio em Peixes vai acentuar esta tendência. É possível também estarmos mais distraídos e confusos, mesmo em termos de comunicação. Apesar de tudo, o símbolo sublinha a maior perfeição da asa do lado direito da borboleta, o “lado solar”. Com o Sol em Aquário o nosso consciente é objectivo e racional, e parece portanto que teremos condições para contornarmos os desafios de uma mente menos concentrada.

Paralelamente não será de estranhar algum grau de instabilidade emocional, nervosismo. Por um lado o posicionamento da Lua e a tensão a Mercúrio, por outro Marte que já fez conjunção a Urano mas cuja “electricidade” ainda se pode sentir, tanto mais que os dois estão no último grau de Carneiro e há urgência em adoptarmos posturas radicalmente diferentes do passado. Acresce que estamos numa lunação de Aquário que vai reforçar a necessidade de colocar pontos finais em muitas atitudes, comportamentos, reacções emocionais. Todos temos as nossas próprias circunstâncias às quais vamos reagindo. É urgente reagir diferente.

Desenvolver auto conhecimento, aprendizagem ou consultas ver aqui

Origem da imagem aqui

Share Button