Lua nova em Balança, Outubro 2016

lua-nova-de-balancaLua nova em Balança, 1 de Outubro, 1.10 h

A Lua e o Sol encontram-se; o Sol diz-lhe que tem vontade de viver paz, equilíbrio e harmonia, de se rodear de beleza, de relacionamentos que lhe tragam essa experiência. A Lua diz que sente necessidade do mesmo para alcançar bem-estar, e até um certo refinamento e elegância não seriam demais. Combinam trabalhar os dois para alcançar esse objectivo. Mas o céu que os acolhe, que condições proporciona?

A Lua nova faz quadratura a Plutão em Capricórnio, e aqui reside o grande desafio. O objectivo final não se consegue, sem se aceitar que a realidade concreta tem o poder de impor um conjunto de limites, levanta problemas e obstáculos para serem ultrapassados, aos quais não podemos fazer vista grossa. Plutão é a força que vai lentamente operando transformações em tudo o que se revela ultrapassado. A nossa tendência é de nos apegarmos ao que conhecemos, mesmo sabendo que estamos longe do que mais desejaríamos; sem um olhar consciente e objectivo deixamo-nos arrastar demasiadas vezes, e durante demasiado tempo, por situações que nos travam o crescimento. Mais tarde ou mais cedo é imperioso retomarmos o caminho correcto, e Plutão simboliza essa força transformadora que não nos deixa mais resvalar para patamares de existência demasiado desgastados. E pode doer fazer o que tem que ser feito. E pode não ser assim tão belo e harmonioso. Pode exigir muita atenção e muita concentração. Muito esforço e muita coragem. Às vezes podemos acreditar que descemos aos infernos. Mas tem mesmo que ser feito, se queremos relacionamentos e circunstâncias paradisíacas.

Todos temos uma área de vida que tem sido particularmente difícil e exigente, extenuante em alguns casos. Até há poucos dias atrás Plutão esteve retrógrado, período em que tivemos a oportunidade de operar transformações internas, capazes agora de se revelarem externamente como positivas, se foi essa a nossa opção. Plutão agora em movimento directo vai mostrar-nos até onde fomos capazes de implementar mudanças. Dependendo do que conseguimos ter feito, assim será possível ficarmos mais ou menos perto de um estilo de vida mais harmonioso, com relações humanas mais equilibradas. Há no entanto uma subtileza! Não quer dizer que aconteça, mas pode de facto acontecer sentirmos dificuldade numa determinada área da nova vida sem percebermos que ela ocorre porque há um outro sector sujeito a estes processos de mudança radical. Entender portanto o que a Vida nos está a pedir requer ver para lá das aparências.

Para além deste aspecto a Plutão, a Lua nova faz também sextil a Saturno em Sagitário. Os desenvolvimentos futuros da lunação vão assim estar ligados à materialização dum estilo de vida que estaremos a construir a partir das nossas próprias convicções, onde naturalmente os outros se incluem. É curioso e tranquilizador ao mesmo tempo, verificar o seguinte: Saturno é regente de Capricórnio e à medida que vamos trazendo à luz do dia uma realidade mais de acordo com aquilo em que de facto acreditamos, estamos indirectamente a ajudar as transformações a que Plutão se dedica. Então, mesmo sem sabermos exactamente o que Plutão quer de nós (eu por acaso sei o que ele quer de mim… 🙂  ) desde que sejamos verdadeiros connosco próprios salvaguardamos uma boa parte do nosso bem-estar, presente e futuro.

Este tema da necessidade de jogar com a realidade existente e a procura de relacionamentos mais gratificantes, volta a estar em causa através de uma segunda quadratura, a de Júpiter em Balança a Marte em Capricórnio. Júpiter está a proporcionar-nos crescimento através das nossas relações interpessoais, mas Marte leva-nos a optar por acções directamente relacionadas com a mesma realidade concreta em transformação por Plutão. Há aqui um reforço da necessidade de ajustarmos impulsos que nos impelem para os relacionarmos e outros para trabalharmos a nossa realidade material. Duas quadraturas a apontarem o mesmo tema, não é para deixar passar em branco!

Uma outra quadratura, entre Saturno e o nodo norte em Virgem, também merece ser referida. É um aspecto que se tem mantido há mais de três meses e que mostra a dificuldade que temos sentido, os ajustes necessários para criarmos as nossas circunstâncias de acordo com aquilo em que acreditamos mas simultaneamente dando atenção a inúmeros detalhes e tarefas indispensáveis a uma vida ordenada. Estamos nos momentos finais, e idealmente estaremos bastante mais organizados. Convém, já que o nodo norte diz que o futuro sorridente se constrói com organização e hábitos saudáveis.

Os desenvolvimentos da Lua nova interessam particularmente a Vénus, por ser a regente de Balança. Está em Escorpião, que lhe empresta uma intensidade extra a tudo o que considera valioso. A intensidade com que valorizamos determinados aspectos da nossa vida, serve de lupa e ajuda para mais facilmente entrarmos em contacto com desejos e impulsos, facilitando a compreensão do que de facto nos motiva, do que devemos manter e do que podemos transcender. E o que consideramos inoportuno, talvez alguns obstáculos à possibilidade de nos relacionarmos mais diplomaticamente, tem a possibilidade de ser dissolvido, levado para longe através dum trígono a Neptuno, sendo a nossa intenção o primeiro passo para que tal se verifique.

O símbolo Sabiano desta Lua nova de Balança é:

Três obras dos velhos Mestres penduradas numa galeria de arte

As grandes obras que perduram para além do tempo, são expostas habitualmente em espaços bem cuidados, elegantes, sofisticados até. Mas para se tornarem objectos concretos, quanto tempo decorreu? Quanto trabalho para aprender as técnicas correctas? Quanto esforço e dedicação exigiram aos seus autores? Quanto é necessário investir para as preservar?

E nós quanto estamos dispostos a investir, trabalhar, esforçar, não desistir, estudar como concretizar relações de paz e respeito pelo outro? Pode ser cansativo, desafiador, mas vale a pena!

A imagem veio daqui: https://pt.pinterest.com/pin/499336677410459490/

Consultas e análises aqui

Share Button