Lua nova de Peixes, Março 2019

Lua nova no grau 15º47´ de Peixes, 6 de Março, 15.59h

Símbolo Sabiano: Um fluxo de inspiração

A Lua nova faz quadratura a Júpiter em Sagitário, sextil a Saturno e conjunção a Neptuno. Mercúrio vai estar retrógrado durante três semanas. Urano acabou de entrar em Touro.

O sonho comanda a vida, sempre que um homem sonha, o mundo pula e avança como bola colorida nas mãos de uma criança, diz o poema de António Gedeão. Até onde permitimos que a nossa vida seja comandada pelos nossos sonhos, é talvez a grande interrogação que pode servir de pontapé de saída nesta Lua nova de Peixes. Porque se isso não tem sido a norma, pode começar agora a ser. Um dia sonhámos que poderíamos voar. Existem aviões, naves espaciais, helicópteros. Um dia sonhámos que poderíamos mergulhar fundo nos oceanos. Existem submarinos. Vivemos rodeados de máquinas e equipamentos que nos facilitam a vida. Um dia foram apenas sonhos. E continuamos a sonhar, com a paz, com a igualdade de oportunidade entre todos sem distinção, com melhores condições ambientais, com o dia em que a vida sobre a Terra possa ser uma experiência mais próxima do Céu do que do Inferno, colectiva e individualmente. Convenhamos, sob a energia de Peixes os grandes ideais humanitários podem ser um foco importante de atenção, mas na verdade se nos concentrarmos na nossa vida pessoal e nos empenharmos em fazer dela um “céu privado” já estamos a contribuir para um mundo melhor. Até porque as nossas experiências privadas podem ser um laboratório onde vamos testar pressupostos e teorias diversas, acerca de como conseguirmos o que idealizamos. Uma vez tudo compreendido, assimilado e quem sabe até melhorado, uma vez a caminho de algum objectivo um dia sonhado, o que sentimos só pode ser tranquilidade, alegria, vontade de viver, felicidade.  O que sentimos irradia para o colectivo, e se sentirmos amor… que é um composto de tranquilidade, alegria, vontade de viver, entusiasmo, felicidade, ausência de medo… estamos a construir um mundo infinitamente melhor. É por isso que se organizam por exemplo, meditações coletivas, em favor de determinados objectivos. Portanto os “céus privados” constroem a paz e a concórdia global. Aliás isto é a essência de Peixes, não há nada que não se relacione com tudo, com todos, com O Todo!

Lua, Sol, Neptuno fazem conjunção – Neptuno em Peixes “pretende” dissolver barreiras, limites, superfícies que restringem. Claro que como vivemos num espaço/tempo tridimensional muitos limites, barreiras e superfícies têm mesmo que existir! Portanto Neptuno simboliza a gradual e lenta dissolução daquelas que nos impedem o bem estar, o crescimento e a consciência de que somos células de um Todo. Com esta consciência apurada podemos estabelecer a vontade (Sol) de atingirmos objectivos em sintonia, o que passará também por trabalhar o plano do sentir, das emoções e sentimentos (Lua) que não podem contrariar a vontade, sob pena de não chegarmos onde sonhamos chegar. E assim se vê como tornar alguma coisa palpável, alguma circunstância concreta, está dependente do invisível pois são as nossas reacções emocionais, elementos do domínio do imaterial, que determinam se avançamos, se recuamos ou se nem para a frente nem para trás!

É possível generalizar e afirmar que para nós ocidentais actuais, pensar em atingir objectivos pode implicar acreditarmos que precisamos de muito esforço, muito trabalho, muita dedicação, muita organização, muito empenho, muito foco, muita acção, muita persuasão, muito marketing … porque há sempre outros que precisamos “convencer”… Mas trata-se de uma Lua nova de Peixes, e a energia de Peixes está nos antípodas de tudo isto! Peixes é parar, escutar os sons da alma, é descansar, é relaxar, é sonhar, é ouvir música, ouvir as ondas do mar, ver e fazer arte, é respirar devagar, meditar. Agora… quantos somos capazes de conseguir esse objectivo tranquilamente, sem stresses durante este ciclo? Vá lá, meio ciclo porque entretanto o Sol irá entrar em Carneiro mesmo em cima da Lua cheia! Até podemos querer e desejar muito entrar num ritmo tão doce e suave mas será que emocionalmente vamos responder à vontade? Será que a realidade que materializámos permite afirmarmo-nos desta forma? Aproveitámos o trânsito de Urano em Carneiro para agirmos de forma mais independente, sermos mais livres e podermos agora optar honrando a energia de Peixes? Quanto maiores as dificuldades em viver à altura do que esta energia simboliza, mais Neptuno precisa eliminar limites que são obstáculos.

A Lua nova faz sextil a Saturno em Capricórnio – Confrontarmo-nos com a nossa própria realidade material dá-nos imediatamente uma medida do quanto há para dissolver. Todos temos responsabilidades públicas e privadas a que não nos podemos furtar, e muitas delas simplesmente barram o caminho ao objectivo de “parar, escutar os sons da alma, descansar, relaxar, sonhar, ouvir música, ouvir as ondas do mar, ver e fazer arte, respirar devagar, meditar”… bem, pelo menos podemos estar afogados em trabalho que não tem nada de artístico e conseguir ouvir música e sonhar… já não é mau! No entanto podemos também já ter conseguido um estilo de vida onde exista a facilidade em adequar o trabalho e as responsabilidades aos fluxos energéticos naturais. Uma coisa é certa se o “céu astrológico” aponta para determinada forma de nos sintonizarmos com a Vida e nós vamos noutra direcção, mais tarde ou mais cedo colhemos frutos intragáveis! Pouco importa qual a razão! Pode levar muito tempo até conseguirmos nos resintonizar, realinhar ou religar à Vida, mas dar um primeiro passo, tomar consciência dos caminhos que percorremos será o mais fundamental. O símbolo fala de um fluxo de inspiração e talvez seja isso que pode abanar quem estiver mais adormecido!

A Lua nova faz quadratura a Júpiter em Sagitário – Há um sinal que emitimos para o Universo, é inequivocamente a nossa verdade, vem do inconsciente profundo e é a esse sinal que a Vida responde. Os resultados que obtemos, a forma como concretizamos as circunstâncias, podem não estar directamente ligados ao que pensamos ou escrevemos ou dizemos, mas estão sempre em sintonia com o invisível que irradiamos. Só sabemos qual é a nossa verdade global quando olhamos a forma como a nossa vida se vai desenrolando. Neste período em que Júpiter em Sagitário simboliza a expansão desta nossa verdade e simultaneamente Saturno em Capricórnio simboliza a materialização da mesma, temos uma oportunidade especial para moldarmos a qualidade do sinal emitido (tenho tido a sensação que tudo “acontece” mais rapidamente), que o mesmo é dizer moldar a qualidade do que sentimos. Este é o único botão que permite sintonizar o dispositivo que somos, de maneira a “apanharmos” o canal da nossa preferência (como num rádio ou numa TV). No Todo, em Peixes, existem todos os canais possíveis e imaginários. Um deles, corresponde à vida tal como se apresenta. Uma infinidade de outros canais correspondem ao que podemos imaginar. Alguns destes canais estão-nos interditos pois não temos mecanismos suficientemente desenvolvidos para nos ligarmos a eles. Mas a muitos outros podemos efectivamente nos vir a conectar. Aquilo em que acreditamos, vai determinar a maneira como vamos procurar aproveitar o “fluxo de inspiração” da Lua nova para conseguirmos estabelecer a ligação ao canal da nossa preferência. 

Mercúrio ficou retrógrado e assim se vai manter por três semanas. As nossa crenças não são imutáveis e alteram-se pelas experiências a que estamos sujeitos, pelas informações que nos chegam a todo o instante, algumas que decidimos procurar outra que vêm ter connosco “por acaso”. Mercúrio está em Peixes e esta retrogradação vai incluir revisões  acerca do que pensamos sobre temáticas humanitárias e globais, sobre espiritualidade, consciência do Todo. Podem haver fins relativamente a tudo isto, será a dissolução de formas de interpretação e pensamento, limites como outros quaisquer.

Urano definitivamente entrou em Touro, onde vai ficar até 2026. Algumas das problemáticas que se levantam pelo facto de vivermos tão desconectados dos ritmos naturais podem vir a ser abordadas por este trânsito que irá revolucionar a maneira como procuramos nos valorizar e subsistir. O que nos desconecta faz parte da nossa realidade e estará portanto simbolizado no sextil das Lua nova a Saturno a possível dissolução de alguma barreira, seja por vontade própria seja imposta. Em qualquer dos casos importante será levar em consideração o que tem sido para nós fonte de valorização própria, como usamos os nossos bens e recursos pessoais, o que consideramos qualidade de vida e como a procuramos. Este não é o elemento mais importante da Lua nova no meu entender, mas poderá beneficiar dos desenvolvimentos desta lunação. Não acredito em coincidências, e por coincidência Urano volta a Touro mesmo no início de uma Lua nova…. Digamos que vai arrancar uma revolução naquilo que Touro simboliza (amor próprio, auto valorização, valores) e certamente vai ganhar força com os limites que se esbatem.

Desenvolver auto conhecimento, aprendizagem ou consultas ver aqui

Imagem veio daqui

Share Button