Lua nova de Peixes, Eclipse solar, Fevereiro 2017

céuLua nova de Peixes, 26 de Fevereiro, 14.58, brinde: eclipse solar

Mais um fim de ano que se aproxima-se, e não me refiro claro ao ano civil, mas ao ano astrológico; no fundo trata-se da verdadeira, e natural passagem do ano! Estamos portanto num período de conclusões, onde fechar umas portas vai permitir abrir outras, com acesso a novos espaços, novas ideias, novos projectos; enquanto alguns sectores da nossa vida se preparam para terminar, outros concentram em si toda a inspiração possível para se iniciarem tão breve quanto for o tempo certo! O símbolo envolvido nesta Lua nova sugere que podem haver de facto metas/sonhos/ideais de vida para os quais já estamos preparados, portas cujas maçanetas estão já a rodar. Mas não vale forçar, há que simplesmente confiar, esperar que a maçaneta chegue ao fim, e com ranger ou sem ranger (eu gosto do ranger, acrescenta um certo mistério….. ), a porta comece a abrir-se. O símbolo onde acontece esta Lua nova é:

Um jockey

Não percebo grande coisa de corridas de cavalos, mas nos filmes… que por acaso é assunto de Peixes… há sempre uns momentos antes de ser ouvida a partida, onde os vários concorrentes se concentram, sabem que podem haver sempre imprevistos mas acreditam e confiam nas suas competências e nas do seu animal, entregam-se ao que tem que ser e … ouvido o sinal arrancam. Se estamos a falar duma Lua nova, estamos preparados à espera que o sinal se faça ouvir. Há uma corrida especial para cada um de nós, mesmo que possamos não perceber qual é; podem haver corridas onde o essencial é derrubar obstáculos, limpar o terreno, prepará-lo para as próximas oportunidades onde já estaremos mais preparados para atingir a meta escolhida. Um jockey precisa aprender e treinar antes de chegar à competição, e nessa fase os objectivos são relacionados com a sua evolução e aprendizagem, com a relação que precisa estabelecer, e fazer crescer, com o seu cavalo. Antes de tudo porém, tem que escolher no mar de todas as possibilidades, qual aquela que lhe convêm. Enquanto andar confuso entre ser jockey, maratonista, ou dedicar-se definitivamente ao yoga, não há corrida que o faça chegar a lado nenhum! E confusão é também assunto de Peixes!

E que mensagem nos enviam os Deuses, codificada nesta misteriosa linguagem simbólica que é a Astrologia? Vamos lá ver o aspecto do céu desta Lua nova de Peixes.

Mercúrio entrou em Peixes há poucas horas. Não será onde ele se sente mais confortável, já que em mar alto, às vezes a racionalidade e o pensamento lógico não dão resposta às evidências, e se insistirmos em querer compreender detalhadamente todos os pormenores, acabamos por gerar cada vez mais dificuldade em chegar a conclusões, se estamos confusos mais confusos ficamos, se não estamos, passamos a estar. Confusos? É natural, Mercúrio está em Peixes, como comecei por referir. Então o truque é esse, não querer compreender nada, deixar entrar a ideia de que há uma realidade que sabe mais do que aquilo que nos passa habitualmente pela cabeça, e que incansavelmente nos orienta para o caminho mais apropriado. Por isso o que quer que se apresente na nossa realidade é o que tem o poder de nos indicar por onde devemos seguir… tipo rally paper, ou peddy-paper, onde para chegar ao destino temos que ir seguindo as pistas… estão a ver?

A primeira pista nem deve demorar muito, e está sugerida pelo quintil a Saturno, precisamente quem tem a responsabilidade de materializar todos os eventos e circunstâncias de forma a que não hajam dúvidas. Se esta pista for do nosso agrado, perfeito, se não for, perfeito também! Porque em conjunção à Lua nova temos Neptuno, cuja função é lavar o chão que pisamos, levar para longe as pedras que nos ferem os pés; mas quando a única coisa que conhecemos são essas pedras, e as feridas que causam e nos obrigam a caminhar cada vez mais devagar, às vezes com vontade de desistir de caminhar e ficar ali eternamente parados, acreditando que curamos as feridas… mas não curamos e não percebemos porquê, afinal estamos parados de pés no ar, mas também já vimos que nem tudo tem uma explicação lógica… enfim, retomando a ideia, quando nunca tivemos a oportunidade de caminhar num chão liso sem pedras ficamos em pânico quando as pedras começam a desaparecer. Mas não é caso para isso! Está tudo bem, há que confiar na Inteligência Universal e não termos a mania que sabemos tudo… sabemos tão pouco! Eu só sei que nada sei, dizia o Sócrates… o filósofo! A primeira mensagem parece ser esta: segue o primeiro caminho que te aparecer pela frente, e não te assustes se houver “coisas” a menos. Se por acaso o que aparecer pela frente for um obstáculo gigante, então vira à esquerda, à direita, volta atrás um pouco, muda de perspectiva, talvez houvesse a certeza absoluta de que seguíamos a via correcta, e talvez não seja!

Marte está em Carneiro, já é “unha com carne” com Urano, já podemos por isso reparar como é mais fácil dirigir os pés por novos caminhos, por “mares nunca antes navegados”… afinal estamos em Peixes! Trata-se da conjunção entre Marte e Urano que está a poucas horas de ser exacta… pode até dar-se o caso de ser simbolicamente o som que marca o início da corrida! Tal como a parceria jockey/cavalo, para serem uma dupla vencedora precisam ter uma relação de confiança e respeito mútuos, assim nós precisamos ter com os outros relações semelhantes; e o que está representado na oposição entre Marte e Júpiter, que vai também terminar amanhã, é isso exactamente. Não chegamos à meta que queremos sem que todos os nossos relacionamentos nos tragam equilíbrio, paz, harmonia; mas chegaremos às metas que precisamos, para um dia destes, mais tarde, a grande meta ser cortada. Faz parte da tal limpeza das pedras…. Marte está também em trígono a Saturno; uma nova forma de andar para a frente, e de deixar para trás o passado, já que tem o carimbo de Urano, estrutura directamente uma nova estrada. Apenas se levem em consideração as pistas, observe-se com atenção o que nos aparece pela frente, nada de racionalizar, siga-se a intuição, escolham-se os trilhos mais bonitos, aprenda-se a viver ouvindo a voz dos Deuses.

Mais uma vez o mapa da Lua nova tem uma configuração, em que segundo Marc Lua nova 26 de FevereiroEdmund Jones, deve ser atribuído a Júpiter a liderança dos desenvolvimentos da lunação. E mais uma vez fica claro a noção de que a chave para os nossos sucessos está na correcta vivência dos vários relacionamentos. Depois podemos pensar que os nossos relacionamentos são sempre um espelho de aspectos que existem em nós; se não conseguimos que nos devolvam o que queremos, é porque em nós há aspectos que temos que eliminar, acertar, transformar, etc. Faz sentido então que uma segunda pista seja esta, de optarmos de acordo com o que a realidade que brota dos nossos relacionamentos nos estiver a mostrar. Já que Júpiter se mostra novamente como o líder, o planeta cuja energia vai fazer o jockey andar para a frente, poderia fazer sentido explorar a oposição a Urano e a quadratura a Plutão. Mas opto por não o fazer, já que o objectivo não é entupir ninguém de informações, mas antes disponibilizar as indicações básicas. E a verdade é que se todos conseguirmos optar segundo os aspectos já referidos para cima, o nosso cavalo branco segue ligeiro para onde deve seguir… a cor do cavalo decidi eu agora, achei que ficava bem!

Ainda há uma referência que me parece importante e diz respeito a Vénus. Está em Carneiro e vai ficar retrógrada no próximo dia 4; isto quer dizer que durante este ciclo lunar vamos ser convidados a personalizar a forma como valorizamos a nossa independência, a nossa capacidade de agir em nome próprio, a importância de sermos firmes e claros nos nossos objectivos, e como fazemos tudo isto. Para chegar à meta mais rápido, pico a barriga do cavalo com esporas porque assim me disseram que era o método! Ou o meu próprio sistema interno repudia tal procedimento (e é que repudia mesmo!) e vou ter que estabelecer aquilo que para mim é importante? Nunca chegamos aos nossos objectivos quando nos orientamos por valores que não são os nossos! Nunca! O que pode acontecer é um dia percebermos que não há maneira de chegarmos onde queremos porque andamos há séculos a dar importância a ninharias ultrapassadas, são personalizadas é certo, mas passaram de validade! Ora aqui está outra pista!

Estamos perto do fim, mas ainda falta o eclipse que acompanha este final de ciclo astrológico. É um eclipse solar, diz-nos portanto que vamos mesmo que ter que viver/expressar aquilo que é a energia de Peixes; para quem já aprendeu a viver confiando, sabendo que o que vem é sempre positivo, para quem já com facilidade tende a aceitar os outros tal como são, quando não gosta do que lhe sugerem ou do que lhe impõem, muda-se a si mesmo e sintoniza-se para outro lado, para quem já aprendeu a ter paciência e aceita que tudo tem um tempo certo para aparecer na nossa vida, especialmente os sonhos, para quem se chateou de desempenhar sempre o mesmo papel de vítima e descortinou a maneira de ser o capitão do seu próprio barco, para quem já recusa ser perfeito porque isso é um ilusão sem consistência, para quem já consegue orientar-se mesmo quando a vida nos envolve num nevoeiro cerrado, viver assim já são favas contadas. Para quem está a aprender, pode ser mais desconfortável, mas seguramente rapidamente será indispensável, porque apesar da Vida ser uma constante alteração das condições preexistentes, pode dar-se o caso do eclipse assinalar que está na hora de acelerar a mudança.

Imagem veio daqui

 

Consultas disponíveis aqui

Share Button