Lua nova de Escorpião, Outubro 2016

lua-novaLua nova de Escorpião, 30 de Outubro, 17.38h

Com a Lua nova em Escorpião, inicia-se um ciclo cujo objectivo pode ser a partilha com os outros daquilo que temos e mais valorizamos, que damos pelo puro prazer de dar, mas cujo efeito é inevitavelmente também o receber, nem que seja a satisfação de ter dado. Damos os recursos que temos de sobra, os talentos, os saberes, podemos dar materialmente, mas a carga emocional é sempre a mais importante, no fundo uma troca energética com algum poder de transformar as nossas vidas. Partilhar com genuína generosidade, transforma-nos em pessoas melhores, e indirectamente abre-nos ao poder pessoal que todos temos quando perdemos medos e necessidades de excessiva protecção em relação aos outros.

Somos uma humanidade ainda imatura contudo, e muitas vezes não existe de facto partilha verdadeira. Em grande medida as nossas motivações estão ainda muito ligadas a instintos primários de sobrevivência, damos mas a intenção básica é receber aquilo que julgamos precisar e não temos como obter. Recursos, segurança, afectos, todos precisamos mas às vezes ainda acreditamos que é preciso controlar, manipular, subjugar, dominar para não sermos “engolidos pelo inimigo”. Em determinados grupos humanos isto é ainda muito literal; noutros mais sofisticados, educados, supostamente civilizados os mesmos impulsos podem existir mas mais dissimulados e escondidos, menos assumidos, até desconhecidos, mas igualmente perigosos e castradores.

Apesar de tudo, há formas de irmos descobrindo e revelando estas motivações, que podem ser eliminadas pela força da nossa vontade consciente e informada. Os relacionamentos são uma das vias que nos ajudam a compreender que motivos são os nossos, e os relacionamentos mais próximos e íntimos estreitam mais ainda esta capacidade de nos mostrarem esta realidade. Neste contexto, intimidade tem que ser entendida como algo muito para lá da intimidade física presente em qualquer relacionamento entre parceiros amorosos, por exemplo. Partilhamos a nossa intimidade mais verdadeira e profunda sempre que nos ligamos aos outros através de áreas importantes da nossa vida. E o que estas relações nos devolvem mostram exactamente aspectos que existem em nós; se treinarmos o nosso olhar mesmo sem gostarmos do que vemos, vamos conseguir identificar o que é comum, e desta forma temos oportunidade de nos conhecer um pouco melhor e optar por uma versão mais actual, mais humana, mais compreensiva. Qualquer dificuldade que possamos sentir, aponta algo a ser reconhecido, para depois ser libertado, transformado ou trabalhado de alguma maneira.

O símbolo Sabiano onde a Lua nova acontece é:

O brilho da Lua atravessando um lago

A imagem deste símbolo invoca tranquilidade, serenidade e parece-me que nos indica que este será um ciclo em que, à medida que se vai desenvolvendo, nos proporcionará a possibilidade de atingirmos tal estado de espírito. Assim sendo, podemos partir do princípio que vamos ter a capacidade de detectar atributos em nós que estão ultrapassados, enquanto vamos partilhando os vários aspectos da nossa vida com os outros. Mercúrio como símbolo da mente concreta que processa a informação, quer chegue do ambiente exterior quer do nosso próprio interior, tem essa incumbência. Está em Escorpião, faz sextil a Plutão, e o que temos aqui é uma perspicácia apuradíssima, uma profundidade de compreensão que vai mais longe do que as aparências indicam. E este processo detectivesco de descobrir o que há para ser transformado, ou eliminado, segue a par e passo com o poder de dar uma reviravolta em concepções mentais em vigor até ao presente, acerca de como devemos ou não proceder para salvaguardar os nossos mais legítimos interesses.

A Lua nova faz trígono a Neptuno e neste aspecto há uma promessa de transcendência de aspectos contrários à partilha intensa, verdadeira e transformadora entre nós e os outros. A Lua faz conjunção a Mercúrio e o contacto estreito das emoções como a mente permite-nos desde logo comunicarmos facilmente o que sentimos, o que sentimos está intimamente ligado ao que a mente percepciona.

Plutão, por ser um dos regentes de Escorpião, é directamente interessado em como se irá desenvolver esta lunação. Está em Capricórnio, transformando profundamente alguma área específica da vida de cada um de nós, em alguns casos desafiando literalmente o senso de estabilidade e segurança. Portanto, temos que nesta lunação intenções de partilha profunda com os outros vão de alguma maneira ajudar a que essas transformações continuem a ocorrer, trazendo um pouco mais de tranquilidade, se nos lembrarmos do símbolo.

Mas, já desde a última Lua cheia, que em Plutão estava concentrada uma energia/tensão importante uma vez que fazia duas quadraturas, uma a Urano em Carneiro e outra a Júpiter em Balança. Estes aspectos mantêm-se e mostram que as transformações a que devemos aderir não prosseguem se não assumirmos novas formas de agir para conquistarmos independência, para seguirmos rumo aos nossos objectivos, nem sem nos abrirmos às aprendizagens que chegam pela via dos relacionamentos, que trazem também oportunidades de crescimento. Este trio vai manter-se na ribalta até ao fim deste ciclo, e vamos ter que responder a todas estas dinâmicas se queremos acabar este ciclo, calmamente a usufruir a fantástica imagem de um luar reflectido num lago! Uma ajuda inestimável é-nos oferecida por Vénus em Sagitário em trígono a Urano; ela está a dar valor a novos estilos de vida, inovadores, futuristas, com mais liberdade e independência dos padrões culturais/sociais/religiosos/filosóficos defendidos pelo sistema, mais éticos igualmente!  Porque o que está em baixo é como o que está em cima, connosco passa-se o mesmo!

 

Consultas e análises aqui

Share Button