Lua nova de Escorpião, Novembro de 2017

Lua nova de Escorpião, 18 de Novembro, 11.42 h

Dizem que uma imagem fala mais que mil palavras. Quando às imagens se junta música, comunica-se um universo inteiro de ideias e conceitos, assim, quase como se de telepatia se tratasse. Começo dessa forma, com uma canção que não sai da cabeça desde há uns dias. A letra, que se repete e repete e repete é o que me importa acima de tudo

Amor

Devoção

Sentir

Emoção

Não tenhas medo de ser fraco

Não tenhas orgulho por ser forte

Olha apenas para o teu coração meu amigo

Isso será o regresso a ti mesmo

O regresso à inocência

……..

O regresso à inocência

Se quiseres começa a rir

Se precisares começa a chorar

Sê tu próprio não te escondas

Acredita do destino

Não ligues ao que as pessoas dizem

Segue o teu próprio Caminho

Não desistas e percas a oportunidade

De regressar à inocência

………

Não é o princípio do fim

É o regresso a ti mesmo

O regresso à inocência

………..

É o regresso à inocência

 

Ok. Mas que tem isto tudo que ver com a Lua nova de Escorpião? Tem tudo que ver, porque em Escorpião se escondem todos os padrões emocionais que nos impedem de regressar/seguir o coração. Objectivo da lunação: eliminá-los o mais que conseguirmos! Por cada intenção de fazer o que o coração dita (Sol…. e repare-se como o Sol rege Leão que está associado ao chakra do coração) podem haver bloqueios que a Lua “sente” e para nos poupar a dores e dissabores acciona travões, faz-nos reagir em sentido contrário, bloqueia… procrastinamos. No limite afastamo-nos cada vez mais de quem somos, como tentativa falhada e paradoxal de nos afastarmos do que nos causa perturbação emocional. Em Escorpião estão sediados instintos de sobrevivência e de procura de bem estar, estão também vincados todos os traumas vividos, sempre que escolhendo ser nós mesmos sofremos retaliações, traições, humilhações, vexames, perseguições, até a morte. Os instintos servem a vida biológica, mas se queremos ultrapassar a barreira do biológico e chegar às paragens onde as Leis Universais são bastante mais elaboradas, refinadas, sofisticadas ditadas pela consciência e não pela Leis da sobrevivência dos aparentemente mais fortes, teremos que enfrentar os medos de voltarmos a ser alvo de retaliação, humilhação, vexames e perseguições sem contudo lhes darmos valor, sem lhes aplicarmos energia, desapegando da emoção correspondente, dando passos no sentido do coração, ouvindo cada batida mais forte de entusiasmo e confiança em nós mesmos, mesmo que seja uma batida ainda fraquinha e tímida. Porque são as emoções o primeiro bloco que cria a realidade. Depois de Escorpião vem Sagitário, o tal sítio de Leis elevadas, onde só conseguimos entrar quando nos tornamos magos alquimistas (ou Hermiones ou Harry Potters), com o conhecimento secreto de como transformar emoções densas, com cheiro a choro, medo e enxofre, em leveza, brilho, generosidade autenticamente sorridente, que exala o aroma a espaços amplos e a verde, a liberdade, e a poder, o verdadeiro, o poder que adquirimos quando vivemos sob a égide da Lei do Amor, ou seja quando o que fazemos foi indicado pelo coração (ele bate e sente-se, ficamos logo a saber…). Só por “acaso” Escorpião relaciona-se com poder… mas para Poder só mesmo com o coração envolvido… (Dica astrológica: ver onde está o Sol por signo e por casa, mas também a casa cinco que é a casa natural de Leão, e o regente respectivo)

Mercúrio está em Sagitário e faz conjunção a Saturno, trígono a Urano e trígono ao nodo norte em Leão! Se mantivermos a mente conectada ao “sítio das Leis elevadas, refinadas e sofisticadas” pensamos e comunicamos nesta frequência, logo vamos criando uma realidade concreta cada vez mais livre e mais reflectora da harmonia que o Universo é. Implicitamente, seremos nesta realidade, cada vez mais nós mesmos, cada vez mais regressaremos ao Eu, cada vez mais ao coração.

Plutão sendo regente de Escorpião, sendo também um símbolo de evolução, mesmo que para isso tenhamos que involuir, dar passos atrás, até mesmo descer aos “infernos” em alguns casos, está a “absorver”, a extrair o que de essencial acontece nos seus domínios. Estaremos a evoluir/involuir de acordo com o que fazemos das nossas intenções (Sol), das nossas emoções (Lua), do que consideramos importante também, melhor, das transformações necessárias neste sector; porque Vénus está em Escorpião e faz sextil a Plutão, há provavelmente motivações instintivas que nos têm sido caras, mas que se continuarem vão-nos sair caras, o que é muito diferente! Portanto, urge transformações radicais neste sector.

O outro regente de Escorpião é Marte, que está em Balança e faz quadratura a Plutão; somos impelidos a agir energicamente mas com sensatez, equilíbrio, diplomacia, consideração pelos demais. Nem outra coisa seria possível no “sítio das Leis elevadas”! Marte faz oposição a Urano em Carneiro e sextil ao nodo norte em Leão; ressalta aqui a necessidade de agirmos com liberdade, independência e autonomia se queremos de facto equilíbrio na nossa vida, nas relações com os outros, e novamente o “coração de Leão” a bater, a querer liderar. Foi visto para trás que a Lua tem a capacidade de nos travar, e Marte em Balança pode vacilar, hesitar. Pelo sim pelo não, Neptuno faz uma aliança estratégica, e entre Marte e Neptuno estabelece-se um biquintil, onde se proporcionem condições de dissolução do que nos possa impedir de agir em nome do superior interesse de todos nós, que é como quem diz do Universo inteiro!

Todos os planetas se organizam em metade do mapa, delimitados pela oposição de Marte a Urano; seguindo as directivas de Marc Edmund Jones cabe a Marte um papel importante como elemento responsável por desenvolver as energias em presença. Portanto se em cada instante procurarmos autonomamente, o que nos permite repor paz e equilíbrio interno estaremos a fluir e colaborar com o que nos é solicitado neste ciclo lunar.

Finalmente o Símbolo Sabiano da Lua nova:

Uma banda militar a desfilar

A Marte pode ser associado tudo o que é violento, agressivo, guerra, exactamente como a militares. Mas Marte em Balança remete-nos para o outro lado da moeda, para a procura da paz e da diplomacia. A ligação de Marte a Neptuno inclusivamente introduz uma dimensão de celebração dessa paz com música, tema perfeito para Neptuno em Peixes! Se pensarmos que as guerras nascem de instintos primitivos, e se imaginarmos que com o declínio destes instintos as guerras perdem sentido e espaço para se manifestarem, o que fazer aos militares? Pô-los a fazer música parece uma boa solução. E se no final deste ciclo lunar, alguns dos nossos instintos mais arcaicos morrerem em combate, não será caso para celebrar com música? Eu acho que sim! E só por causa das coisas já escolhi as minha bandas militares preferidas, o que significa que termino como comecei, com música para festejar o enterro de mais um pouco do passado!

Imagem veio daqui… Escorpião gosta de tudo o que é oculto, misterioso, mágico, e se calhar por isso sinto-me a Hermione… até tenho um caldeirão e tudo 🙂

Disponíveis consultas de carácter geral, vocacional, de aconselhamento parental, revolução solar, astrologia horária. Grupo de aprendizagem para auto conhecimento em breve. Mais informações pelo mail acasanafloresta.astrologia@gmail.com 

Nesta Lua nova de Escorpião que possamos fazer magia, ser menos lagartas e mais borboletas!

© Teresa Martins, A Casa na Floresta-Astrologia – Todos os direitos reservados

 

Share Button