Lua nova de Carneiro, 7 de Abril

Tapete voador

Lua nova de Carneiro, 7 de Abril, 12.25 h

Com a chegada do Sol a Carneiro, em 20 de Março, instalou-se o novo ano astrológico e trouxe-nos a Primavera. Decorria o ciclo lunar que tinha começado em Peixes, e havia por isso ainda um tom de fim de ciclo. Agora porém, entramos em pleno num novo caminho, com a Lua nova de Carneiro. É tempo para iniciar de novo ou para recomeçar o que ainda não foi conseguido, com uma energia renovada, sem medos de fracassos ou dos obstáculos ou dos inimigos. O símbolo Sabiano onde ocorre esta lunação é:

O tapete mágico do imaginário oriental

A imagem facilmente sugere a possibilidade de liberdade, voos para lá do que poderíamos imaginar, olhar a realidade duma perspectiva mais elevada, escapar do condicionalismo a que estamos sujeitos pela lei da gravidade! Que maneira fantástica de começar algo de novo! E se o tapete tivesse um qualquer dispositivo capaz de o dotar de uma capacidade extraordinária de velocidade, ou de visão extra, ou algum outro atributo inusitado? Quem quereria perder esta viagem? Bem… o tapete não sei se tem, mas esta Lua nova tem sim! Tem uma conjunção estreita (pouco mais de 2º) a Urano. Sol e Lua não fazem mais nenhum aspecto a outros planetas em aplicação, em aproximação, só mesmo a Urano. É como se as forças cósmicas nos quisessem bem concentrados apenas em levantar voo! Se estivermos preparados, a rota estudada e traçada temos de facto a possibilidade de sentados no tapete subirmos e seguirmos até ao objectivo desejado.

Vamos no entanto sair das imagens poéticas de tapetes voadores, e ser um pouco mais terra a terra. Uma Lua nova tem um alcance de aproximadamente 29 dias; não será talvez possível dar uma volta de 180º na nossa vida em tão pouco tempo, mas podemos dar uma grande reviravolta na área específica de vida onde temos a acontecer esta Lua nova (19º de Carneiro). Isto porque Urano é a libertação dos condicionamentos que marcaram o passado, é originalidade e inovação, é fazer o que nunca foi feito. E até talvez estejamos fartos de tentar, mas acabamos por voltar aos mesmos hábitos e vícios e atitudes padronizadas. Pode mesmo acontecer, que esta reviravolta “apenas nessa área de vida” seja o que precisamos para dar muitas voltas de 180º à nossa realidade actual!! Quem sabe… pode ser possível! Certo certo, é que onde Urano toca, o novo surge, e se permitirmos, aceitarmos e ajudarmos poderemos ter surpresas.

No mapa desta Lua nova de Carneiro, podem ver-se que os todos os planetas, com excepção de Júpiter, estão dentro de um ângulo inferior a 180º. Mark Edmund Jones, o criador dos Símbolos Sabianos, identificou alguns padrões de distribuição de mapas astrológicos e estudou as respectivas características. Este mapa cabe dentro de um dos padrões por ele identificados, em que o planeta isolado ganha destaque pela importância que adquire, já que se comporta como o foco energético de todos os outros; neste caso este papel cabe a Júpiter, retrógrado em Virgem. Isto é, basicamente se queremos voar, temos que cumprir e estar à altura de rotinas eficazes, que promovam uma vida diária organizada, responsável, saudável. Elementar!

Outra boa notícia é que há entre Júpiter e Urano um biquintil, aspecto que fala de um qualquer talento ou criatividade original que fará a diferença na forma como podemos cumprir o crescimento pessoal que Júpiter garante, neste momento através das tarefas diárias. Estas, sendo de vital importância não podem contudo monopolizar a nossa vida, nem podemos ser de tal forma perfeccionistas que só a perfeição absoluta é aceitável. Júpiter faz oposição a Neptuno, mostrando como é necessário equilíbrio entre a atenção às tarefas do dia-a-dia, à eficácia das mesmas, à saúde, mas também é necessário deixar acontecer os momentos de descanso, de reflexão, de meditação, de não fazer nada, em suma sair da rotina! É aliás deste equilíbrio, que surgem os momentos de inspiração que podemos depois aplicar aonde for necessário, nomeadamente às famosas rotinas!

Os nossos voos dar-se-ão bem na terceira dimensão! Temos um mapa com muito fogo – entusiasmo, coragem, energia – e muita terra – capacidade de concretização. E Saturno é chamado ao cenário, ele que é o responsável pela descida ao concreto de todas as circunstâncias. Está em Sagitário, está retrógrado e está sugerido então, que será pela nossa própria estrutura interna, assente nas nossas verdades, nas nossas crenças, que temos a possibilidade de saltar para o tapete mágico, deixando o passado para trás; não são tanto as condições externas que o vão permitir, somos nós mesmos! Ou queremos ou não! Ou fazemos ou não! Ou, pelo menos tentamos, ou não! Ah e tal… e se não conseguirmos, e se falharmos? Ora…. retomamos e insistimos na primeira oportunidade que se apresentar. Não podemos é ficar quietos quando tudo à nossa volta muda constantemente e nos pede actualizações permanentes!

Saturno faz uma quadratura a Neptuno; foi referido que há muita capacidade de concretização nesta Lua nova, mas há regras! Neptuno em Peixes dissolve e devolve ao Todo o que ao Todo não serve. Sim… é paradoxal, mas porque Ele tem uma capacidade infinita de reciclar. Se queremos materializar alguma coisa, alguma mudança, alguma atitude, para ser viável e duradoura tem que estar em sintonia connosco mesmos, com o que temos estruturado internamente. A tensão da quadratura é o desafio de encontrar o que podemos concretizar e nos serve a nós, e se nos serve a nós, serve o Todo! E desta forma, o que criarmos de novo será um pilar sólido e seguro.

Há mais aspectos entre outros planetas, naturalmente! Mas o essencial de acordo com o meu olhar está dito, mesmo porque os outros aspectos servem o mesmo propósito! Sabem aquela canção do Pedro Abrunhosa, “Fazer o que ainda não foi feito”? É isso mesmo que esta Lua nova nos propõe! Vamos lá!

 

Mapa da Lua nova de Carneiro aqui

 

Consultas e análises aqui

Share Button