Lua nova de Caranguejo, Junho 2017

Lua nova no grau 2,47 de Caranguejo, 24 de Junho, 3.31 h

Caranguejo é colo, é a casa, a família, o nosso passado, as memórias familiares onde os aromas, os sabores e as experiências da infância parecem estar ainda vivos. E é natural que estas memórias surjam profusamente, sobretudo algumas horas antes do instante em que Lua e Sol se encontram, uma vez que a Lua vai estar em conjunção a Mercúrio, também em Caranguejo, e portanto a mente literalmente mergulhada nestes temas da família e do passado. O que é bom, sobretudo para melhor podermos entender a nossa história, quiçá algum do nosso karma, e a partir da Lua nova podermos fazer as opções certas, largando, compreendendo, perdoando os elementos dolorosos, cuidando e acarinhando o que for amoroso, e o que permitir continuarmos a crescer saudavelmente.

Caranguejo é um signo cardinal, isto é, impele a agir; por seu lado a Lua nova ocorre no primeiro terço do signo (primeiro decanto) o que se relaciona também com acção, nomeadamente ao nível da vida material e o símbolo Sabiano não podia estar em desacordo, naturalmente! É ele:

Um homem enrolado em peles liderando um veado peludo

Que imagem estranha, convenhamos! Mas ela transmite uma ideia, e vamos lá ver o que pode ser. Primeiro não se trata duma agradável e confortável cena doméstica, passada agradavelmente em família; é antes, um ambiente externo, frio, talvez inóspito onde o indivíduo conta consigo para liderar forças não humanas, embora positivas e de suporte. A simbologia do veado está ligada à gentileza, à habilidade de contornar os obstáculos com elegância, à inocência, à sensibilidade e intuição, à magia da regeneração e do contacto com os mistérios da vida. O indivíduo conectado a este animal conta com grande sensibilidade e capacidade de ouvir a voz interna; é como se percorrendo um caminho exterior (porque já vimos que a Lua nova está relacionada com agir no exterior) não perdesse nunca o contacto com o seu próprio interior, que também é Caranguejo. Porque o homem está enrolado em peles, deduz-se que o ambiente em que se move é frio; porém ele está protegido, agasalhado e conta com o veado para o ajudar. No entanto, há um propósito, há a necessidade de conhecimento e sabedoria para poder liderar um animal que não precisa dele para sobreviver; na realidade talvez seja o homem que precisa do veado para chegar são e salvo ao destino!

Se há condições agrestes a vencer e ajuda também, haverá no mapa aspectos astrológicos que as assinalam. Para simplificar vou considerar as quadraturas como as condições agrestes e as ligações a Neptuno como a ajuda do céu…. ou do veado, é como quisermos. Começo por uma excepção às quadraturas enquanto indicadoras de desafios, e foco-me numa conjunção de Mercúrio a Marte, ambos em Caranguejo; os nossos pensamentos giram bastante à volta dos temas familiares, também dos temas ligados à família de origem, às raízes e com Marte envolvido, uma agitação e um nervosismo fazem-se presentes. Desagradável eventualmente, sobretudo se houverem memórias “frias e inóspitas”; mas útil porque a confrontação com o que nos faz mal é a forma de trabalharmos no sentido de ultrapassarmos, superarmos as dificuldades. E como só um desafio poderia ser pouco, temos um segundo (brincar um bocadinho com as coisas sérias sempre atenua o lado mais antipático, certo?)! Mercúrio faz quadratura a Júpiter em Balança; relacionamentos envolvidos, como Mercúrio está em Caranguejo, relacionamentos familiares, pensamentos em quantidade… porque com Júpiter é tudo à grande e à francesa… e o bem estar pode sair beliscado. Mas Júpiter em Balança está a fazer-nos crescer e amadurecer através precisamente das nossas relações, familiares incluídas.

Há quem tenha estratégias para descartar os assuntos da família, até porque quando a família não serve de suporte, temos os amigos, os vizinhos, os colegas; se for o caso, pode começar a preparar-se para refazer planos. Júpiter está também em quadratura a Plutão em Capricórnio; toda a nossa vida, toda a nossa realidade física está em transformações profundas, e tudo se passa para lá dos nossos desejos e da nossa capacidade de controlo. Assim, o que tiver que ser reformulado pela Vida será mesmo, e terá que passar necessariamente pelas nossas relações com os outros… todos, família também. Há de facto situações em que o corte de relações é irrevogável, mas o que está em causa não é fazermos as pazes e ficarmos unidos para sempre. O que houver a fazer, a curar, a resolver, a perdoar, é pessoal e interno. Caranguejo é acima de mais nada a nossa casa interior, o nosso plano emocional, e mesmo que hajam acções externas a serem efectuadas, elas primeiramente precisam ser organizadas e arrumadas internamente. Na verdade é internamente que as condições agrestes devem ser enfrentadas… mas também sabemos que contamos com a gentileza e a sensibilidade do veado para nos acompanhar.

Marte em Caranguejo “empurra-nos” para onde temos que estar neste momento, em casa e em família, quanto mais não seja em pensamento (a tal conjunção a Mercúrio…). Também faz quadratura a Júpiter, e se houver lugar a zanga e mesmo raiva, será com o toque de Júpiter… nada de coisinhas pequenas… zanga e raiva? E porque não fúria? Quem sabe desejos de vingança? Ahhhh porque Plutão apresentou-se ao serviço e faz oposição a Marte… que dupla destrutiva! Eu agradeço muito, aos Céus e à Terra, aos Deuses todos e mais alguns por não viver tais emoções… mas que elas existem por aí existem, e não são para serem reprimidas e engolidas. São para serem observadas, compreendidas e a energia que a elas está associada tem que sair. Como já foi referido, Caranguejo está relacionado com a família de origem e nem todos os pais e mães foram carinhosos e cuidadores; como terão sido os seus próprios pais? Eu já vi de perto situações semelhantes e também não tive pais modelos, também não sou perfeita como mãe, não escolhi o pai perfeito para o meu filho…. compreender e perdoar os outros e nós mesmos é a saída. Quanto às zangas e fúrias elas precisam sair sob a forma de acção, a energia precisa ser extravasada. Como? Há técnicas saudáveis como uns bons socos nas almofadas, atirar bolas a uma parede e como conversava com alguém um destes dias uns valentes pontapés em caixas de cartão também fazem milagres (o diálogo das caixas acabou numa risota que só visto)! Este aspecto de Marte a Plutão vai terminar já no início de Julho, mas a quadratura de Júpiter a Plutão vai estender-se até Agosto… portanto temos que saber lidar com as frustrações e dores que pode acarretar. E sem contar com outros desafios que irão surgir pelas esquinas astrológicas do dia-a-dia!

Vénus está em Touro, lembra-nos da importância da beleza, da abundância e do amor próprio; é quando irradiamos tudo aquilo, que o exterior nos devolve exactamente o mesmo. Como facilmente se compreende, sem relações resolvidas, não vamos conseguir viver à altura do que tanto ansiamos. E se nos lembrarmos que as experiências do nosso passado enquanto crianças, no seio da família são muitas vezes completamente castradoras de tais características, podemos verificar como para alguns de nós o período que se avizinha pode ser especialmente trabalhoso; para cúmulo, pode acontecer que actualmente as condições familiares também não sejam as mais felizes, mas é fundamental aceitar a tarefa, se queremos viver confortável e seguramente na nossa pele, habitando uma casa interior de sonho! Isto irá implicar que desde já haja transformação de alguns dos nossos valores (Vénus faz trígono exacto a Plutão); com valores reciclados e uma auto estima sólida e consistente, criam-se condições para que o crescimento nas relações aconteça (Vénus faz biquintil a Júpiter).

Para terminar, as boas notícias, a ajuda disponível. Em bom rigor, os desafios são eles mesmos uma ajuda a que possamos andar para a frente, evoluir, crescer. Mas são como um xarope com mau sabor… fazem bem mas sabem mal. Aquilo que temos disponível para atenuar o travo amargo são dois trígonos a Neptuno, um de Mercúrio outro de Marte. Quaisquer que sejam as nossas circunstâncias há um processo de erosão de conceitos antigos, talvez demasiado ligados ao concreto e material, ao visível, ideias que usámos para construirmos uma realidade que ao ser transformada exige pensamento e comunicação mais abrangentes, mais inspirados, mais universais, mais conscientes da realidade imaterial de toda a existência. Somos convidados a agir de acordo com ideias e pensamentos universais, de acordo com o que assegura o Bem extensível a todos, independente de quem são ou das acções que tomaram. Neptuno vai fazendo descer partículas de Céu à Terra, mas tem que banir o que possa impedir; há um quincúncio a Júpiter, e novamente todos os relacionamentos são visados, há ajustes a fazer na maneira de nos relacionarmos uns com os outros, há tensão. Cada um de nós tem a tarefa de se trabalhar a si mesmo, arrumar-se internamente, criar um ambiente seguro e confortável bem no centro do seu Ser. Temos Neptuno e um veado peludo para suavizar a empreitada, e temos que partir o mais cedo possível!

Estas são algumas ilações possíveis a partir das configurações astrológicas actuais. Personalizá-las, abre novas perspectivas pessoais. Para isso há consultas disponíveis e brevemente possibilidade de aprendizagem; veja aqui

Imagem veio daqui

Que consigamos avançar mais uns passos nesta lunação!

 

Share Button