Lua cheia em Caranguejo, Dezembro 2018

Lua cheia em Caranguejo, Sol em Capricórnio, graus 0°49´, 17.48h

 

A nossa vida, tal como se apresenta no momento presente, é uma miscelânea entre as opções que um dia considerámos correctas para nós, e a maneira como os acontecimentos se desenvolveram; crenças conscientes ditam escolhas conscientes que depois podem ter que se  confrontar com crenças inconscientes contrárias ao que pretendíamos. Este “jogo” entre o que queremos e o conseguimos obter resulta numa determinada realidade que olhamos e consideramos longe ou próximo das expectativas. Mas seja qual for a situação, foi a nossa verdade global, foi o conjunto das crenças conscientes e inconscientes que criaram o que se manifestou e se tornou na nossa realidade pessoal. Naturalmente fomos mudando as nossas perspectivas, estamos sempre a adquirir novos conhecimentos, novas forma de organizar o pensamento, até pelas experiências que o dia-a-dia nos proporciona e portanto a nossa verdade está em constante mutação; isto implica que constantemente procuramos adaptar o nosso estilo de vida aos novos conceitos que entretanto tomaram forma na nossa mente. Se entretanto, a consciência do poder que têm os elementos inconscientes para nos sabotarem as melhores intenções, nos levou a adoptar medidas preventivas, podemos esperar que a realidade concretizada constantemente estará mais próximas das nossas reais intenções.

O presente ciclo lunar começou na Lua nova de Sagitário; de lá para cá os desenvolvimentos a que estivemos sujeitos estiveram de acordo com a nossa verdade actual, o que significa que podemos ter já tido indícios relativamente ao caminho que estamos a percorrer, se no horizonte conseguimos identificar os contornos de uma realidade em sintonia com o que desejamos, ou não. Ainda estamos a meio caminho do ciclo, ainda temos oportunidade de gostar de olhar para o horizonte que se apresenta, bastando perceber o que a vida nos está a mostrar. No mapa da Lua cheia há poucos aspectos em aplicação o que facilita a compreensão da mensagem contida nos céus. Os símbolos Sabianos são também muito eloquentes.

Lua – Num navio, uma bandeira está enrolada outra está desfraldada

Sol – Um chefe índio exige reconhecimento

O Sol está em Capricórnio a Lua está em Caranguejo. Para que as nossa filosofias de vida prevaleçam, não podemos recuar perante as responsabilidades que isso pode acarretar, até mesmo perante a sociedade; não diria que devemos adoptar uma postura de exigência de reconhecimento como o símbolo do Sol transmite, mas podemos esperar sim reconhecimento, sobretudo da Vida, porque é Ela quem nos cruza com aqueles que podem tirar partido do que nos propomos fazer com aquilo em que acreditamos mais profundamente. É este “reconhecimento” que podemos sentir ter já acontecido perto desta Lua cheia e se aconteceu foi porque a bandeira associada aos padrões emocionais que bloqueiam a vontade foi enrolada, desactivada, e outro “paradigma emocional” está em vigor sinalizado pela bandeira que agora ondula ao sabor do vento, livre. Como dizia anteriormente, se no horizonte das nossas expectativas ainda não vislumbramos sinal da nova realidade para onde nos queremos dirigir, estamos a tempo de enrolar uma bandeira e desfraldar outra; pode não ser fácil abandonarmos as velhas reacções emocionais, isso não acontece de um momento para o outro, mas há sempre um ponto de viragem que pode ser constituído por uma mudança bem pequena, pode ser agora o princípio do fim de uma realidade que se tornou pesada demais, ou enfadonha demais ou perdeu simplesmente o colorido, pode ser agora que desistimos de uma qualquer postura emocional que não nos dá segurança emocional, logo, no limite pode fazer perigar a segurança material também. Não tem que ver com mais ninguém, apenas precisamos de nos responsabilizar pelo que sentimos e pelas interpretações que fazemos, mesmo quando, e talvez acima de tudo, não obtemos o reconhecimento da tribo a que pertencemos; eles apenas nos dizem que há uma troca de bandeiras necessária e urgente. O Sol faz uma conjunção a Saturno, a Lua faz oposição, é possível observarmos e sentirmos algum grau de restrição aos objectivos que temos e às emoções, principalmente nas horas que se seguem à Lua cheia, mas… há uma bandeira para enrolar e está relacionada com isto exactamente!

Mercúrio em Sagitário faz uma quadratura a Neptuno em Peixes; podem haver ideias pouco claras, nomeadamente acerca do que afinal é a nossa verdade, afinal qual é o nosso papel no guião da Vida? A resposta é sempre a mesma, emoções organizadas promovem as circunstâncias que nos trazem a clarificação que precisamos, e o final da quadratura precisamente na noite do dia 24 pode trazer a tomada de consciência que precisamos. Estamos em plena época festiva do Natal, onde a família ganha um destaque particular, seja no concreto seja apenas pelas memórias. A Lua vai estar em Leão, todos estaremos mais sensíveis a sermos reconhecidos e notados, e estes assuntos podem estar “feridos” pelas experiências da infância… em família… que eventualmente se vai reunir entre 24 e 25… altura em que Mercúrio e Neptuno fazem a quadratura exacta… no mínimo, interessante! O símbolo do Sol fala em “exigir reconhecimento” (comportamento infantil de quem pode ter feridas de infância), a Lua aponta para o enrolar/desactivar reacções emocionais associadas, e na noite do dia 24, com a Lua em Leão, podemos talvez compreender melhor o que está em causa para nós em particular. Vale a pena relembrar que muitas crenças inconscientes que contrariam o que conscientemente escolhemos, são herança familiar! Até lá, e começando desde já, desfraldar libertação emocional é o veículo que nos coloca no rumo dos horizontes que escolhemos.

Auto conhecimento, aprendizagem, consultas ver aqui

 

Share Button