Lua cheia em Balança, Março 2019

Lua cheia em Balança, Sol em Carneirograus 0º8´, 1.42 h        

A Lua nova em Peixes fazia conjunção a Neptuno – Para que os nossos objectivos sejam atingidos é de toda a conveniência que os propósitos estejam alinhados com os sentimentos e reacções emocionais. Em Peixes, talvez o propósito mais importante seja o de desenvolvermos a capacidade de relaxar, abrandar, perceber que há um tempo para fazer muitas coisas e outro tempo para fazer menos, à semelhança daqueles cozinhados que ficam devagarinho a apurar sem lhes tocarmos… a energia que aplicamos ao tacho faz o milagre acontecer sem ser preciso dedicarmos muito mais atenção ao processo de cozedura. De lá para cá conseguimos juntar os ingredientes de algum objectivo, deixando-os tranquilamente “a apurar”? Confesso que me fartei de levantar a tampa apenas para verificar que de facto sou muito impaciente!!!! Claro que não sou só eu, de certa forma todos vivemos muito acelerados convencidos que fazer muito e depressa é ser produtivo! Só a alinhar as ideias sobre esta Lua cheia me dei conta que rapidamente esqueci o que eu própria tinha escrito na altura. Repetindo: Peixes é parar, escutar os sons da alma, é descansar, é relaxar, é sonhar, é ouvir música, ouvir as ondas do mar, ver e fazer arte, é respirar devagar, meditar. Agora… quantos somos capazes de conseguir esse objectivo tranquilamente, sem stresses durante este ciclo?  

Eu andei mais sonolenta, precisava fazer as coisas habituais com mais vagar, mas esquecida do que eu própria escrevi, passei parte do tempo a reclamar por me sentir mais lenta. De qualquer forma, mais uma vez tive a minha lição. Algum dia serei capaz de aceitar mais tranquilamente que está na hora de entrar em modo off, sem queixas. Água mole em pedra dura tanto dá até que fura.

Chegámos à Lua cheia, em pleno início do Novo Ano astrológico, ou seja com o Sol acabadinho de entrar em Carneiro. Agora sim, agora somos envolvidos numa nova energia que nos impulsiona a agir com vigor renovado. Mas por favor, não para usarmos as mesmas estratégias, os mesmos hábitos viciados que absorvemos do actual paradigma de vida! Na Lua nova de Peixes, Urano era um recém chegado a Touro… ainda se pode considerar um “novato” mas é bem natural que de lá para cá já tenha havido a oportunidade para começarmos a revolução de valores que ele representa! Ocorre-me a seguinte pergunta: não será que o actual paradigma de vida valoriza tanto o estarmos permanentemente activos ao máximo, que nós, para nos sentirmos aceites e integrados, fazemos desse um valor nosso também, apesar de contra natura? Porque nada na Natureza está permanente com o mesmo nível de actividade! Aliás, acabámos de sair do Inverno um período de dormência da Vida! Será que associamos uma vida permanentemente activa, e já agora, bastante preenchida de afazeres “muuuuuuuito importantes” para nos sentirmos pessoas de valor?

Os símbolos Sabianos são os seguintes:

Lua em Balança – Uma borboleta tornada bela por um dardo que a perfura

Sol em Carneiro – Uma mulher sai da água, uma foca abraça-a

Com a Lua em Balança os outros tornam-se uma possível fonte de equilíbrio. Mas  … repito, para nos sentirmos aceites e integrados deixamo-nos perfurar por um dardo? Escolhemos  abdicar de vida verdadeira para nos adequarmos a conceitos de beleza e harmonia de outros, para ficarmos em exibição num catálogo de coisas mortas? Relações harmoniosas, uma vida harmoniosa consegue-se construindo sobre valores que nos colocam de costas viradas para os ritmos naturais? Está o nosso amor próprio preso nestes valores?

O Sol está em Carneiro, e quer iniciar, quer novidades, quer novas formas de afirmação pessoal tanto mais fáceis quanto deixámos que o trânsito de Urano em Carneiro nos tornasse mais donos do nosso próprio nariz! O símbolo fala de uma mulher que sai da água…. elemento de Peixes…. e entra no fogo de Carneiro. A foca pertence à água e as duas despedem-se; a mulher prepara-se para deixar o sítio de onde veio e partir para uma nova aventura. Porém, se leva consigo os velhos valores, mais tarde ou mais cedo acaba sem vida, perfurada por um dardo!

Este foi o raciocínio que fiz naturalmente com base nos símbolos. Porém há um aspecto que vem corroborar. É uma quadratura exacta de Vénus em Aquário a Marte em Touro. Há um ajuste necessário entre os nossos valores e a forma como procuramos agir por amor próprio, para conseguirmos mais qualidade de vida, para nos valorizarmos e valorizarmos todos os nossos recursos pessoais, sejam bens próprios sejam os nossos saberes, talentos e gostos pessoais. Há valores dos quais precisamos nos desapegar e assumir outros.

Pertencemos a uma civilização que nos desconectou profundamente dos nossos ritmos próprios, que são os ritmos do próprio planeta aos quais respondem todos os outros seres vivos, animais e plantas. É uma civilização que procura fazer de nós “objectos produtivos” e por isso há muito pouco espaço para aquilo que de melhor Peixes simboliza: o belo, o elevado, a quietude, a harmonia com tudo o que existe, a tranquilidade, a ligação a uma Vida Maior. Numa lunação onde é isto que fundamentalmente está em causa, vem a Lua cheia e diz-nos o quê? Por amor a nós mesmos, que é a mesma coisa que por amor à Vida e ao Universo, pois somos elementos criados por Ela/Ele, larguem valores que vos tiram a Vida e vos perfuram, talvez o coração! Isto não é uma tarefa nem simples nem rápida. Mas… água mole em pedra dura tanto dá até que fura.

Mercúrio retrógrado em Peixes tem sido responsável por irmos tomando consciência de formas igualmente retrógradas de pensamento que se relacionam com valores antigos e desactualizados. Assim vai continuar até dia 28. Colocar um fim numa certa maneira de organizar o pensamento é indispensável para nos abrirmos aos novos valores. Muita atenção portanto às associações de ideias que aparecem, também a memórias de um passado mais recente ou mais distante. O Universo conspira a nosso favor, é tão bom saber isso! Agora só temos que fazer a nossa parte! É preciso coragem para dizermos não a alguns valores, mas isso tem de sobra o Sol em Carneiro! De todas as formas esta é uma civilização que cai a olhos vistos! Quanto mais depressa lhe virarmos as costas, mas depressa a Vida nos acolhe!

Desenvolver auto conhecimento, aprendizagem ou consultas ver aqui

Imagem veio daqui

 

Share Button