Lua Cheia, Eclipse Lunar, 28 de Setembro

Lua cheia de Setembro

 

Lua Cheia, Eclipse Lunar, 28 de Setembro, 3.50 h

Depois do eclipse solar da última Lua nova, chega agora a Lua cheia e traz consigo um eclipse lunar. Qualquer eclipse marca uma época de mudanças e transformações mais acentuadas; em acréscimo, um eclipse lunar, através da simbologia do signo onde ocorre, fala do que é necessário integrar, assimilar, aprender. Desta vez o Sol estará em Balança, a Lua em Carneiro. E então qual é a proposta de aprendizagem? Independência, consciência da identidade própria, assertividade, coragem para empreender todos os inícios necessários. Numa Lua cheia os dois luminares estão em oposição, e em qualquer oposição, o que se pede é equilíbrio entre as duas polaridades em jogo; neste caso, com o Sol em Balança, conjunto ao nodo norte, aquela aprendizagem tem que honrar, obviamente, o respeito e o equilíbrio nas nossas relações com todos os outros. Será entre os dois pólos, o do “eu” e dos “outros” que as transformações amplificadas pelo eclipse irão decorrer. Para cada um de nós individualmente, as áreas de vida assinaladas por Carneiro e por Balança mostram onde esperar, com entusiasmo acrescento eu, essas alterações.

Símbolo Sabiano do grau onde se encontra o Sol:

“Um homem revela aos seus estudantes as fundações dum conhecimento interior, sobre o qual um novo mundo pode ser construído”

Conhecimento interior…. Mercúrio, relacionado com a estrutura mental, está retrógrado e por isso em processo de reflexão interna. Que conhecimento interno dentro de cada um de nós pode ser a fundação de um novo mundo? O nodo norte em Balança aponta o futuro, mas um futuro onde as relações humanas sejam de igual para igual, onde cada um de nós mantendo a sua individualidade respeite simultaneamente a individualidade do outro. Uma boa parte da humanidade tem este conhecimento, sabe que é o equilíbrio e o respeito mútuos que irão dar lugar às novas organizações sociais e familiares do futuro.

Mas se o futuro está em Balança, o passado (nodo sul) está em Carneiro conjunto à Lua. Uma Lua cheia, sendo um momento em que a iluminação atinge o inconsciente, é uma oportunidade para tomarmos conhecimento do que existe para largar, e o eclipse potencia esta circunstância. Carneiro contem em si, não só a aprendizagem deste eclipse, mas também a informação do que existe do passado para abandonar: excesso de individualismo, excesso de competitividade, excesso de agressividade, excesso de energia yang.

O regente de Carneiro é Marte, símbolo do masculino, energia yang. O regente de Balança é Vénus, símbolo do feminino, energia Yin. Desde há 6500 anos vivemos em sociedades patriarcais, em que a ênfase do masculino reprimiu exuberantemente o lado feminino da Vida. A Vida e a Terra rebelam-se. Urano está em Carneiro também, forçando a que novas ideias de sociedade emerjam. É preciso construir um novo Mundo abrindo portas e janelas a Vénus, ensinando Marte a ser, não o Deus da Guerra, mas o Deus da Acção corajosa, entusiástica e algo inocente que a Deusa do Amor precisa para gerar a tão desejada Paz na Terra.

Vénus e Marte estão em conjunção, como que assumindo comprometidamente o trabalho, lado a lado. Vénus ainda por Leão, valorizando o amor, a generosidade a criatividade; Marte recentemente chegado a Virgem agindo através do trabalho que ajuda os outros, que aperfeiçoa o dia-a-dia. É curioso observar a energia yang aplicada a tarefas yin, as tarefas de Virgem. E é de assinalar também que Vénus é dispositor de Marte; isto significa que, a função de Marte exerce-se sob a influência de Vénus. Revelador, no mínimo!

Nada disto é fácil, porém! Sol e Lua em quadratura a Plutão em Capricórnio mostram isso mesmo; há poderes instalados que lutam aguerridamente para manter o estado das coisas, que querem preservar o passado. Lançam-se medos vários, constantemente, numa tentativa de manter viva a atitude de luta pela sobrevivência que não permite considerações pelos outros. Não há lugar a relações equilibradas quando se acredita que o mundo é hostil, e é preciso estar alerta para defender a pele ou os recursos necessários à sobrevivência.

O Símbolo Sabiano do grau onde está a Lua:

“Um triângulo com asas”

O símbolo remete-nos para a capacidade de auto transcendência, que conduzirá a uma nova dimensão de ser. “Sê a mudança que queres ver o mundo”. Enquanto as grandes estruturas que nos suportam não abandonam de vez o nodo sul e abraçam definitivamente o nodo norte, façamos nós individualmente essa transição e a seu tempo teremos o tal novo mundo, pelo qual ansiamos, nem que seja à nossa escala, no âmbito das nossas vidas. Porque a evolução não pára, nem cede aos desejos pequeninos dos humanos, é de longe mais sensato alinhar com os planos que a Vida tem para nós. São eles que nos conduzem ao paraíso, eles foram traçados pela pura Inteligência Divina.

 

Share Button