Lua cheia de Caranguejo, Eclipse lunar, Janeiro de 2020

Lua em Caranguejo, Sol em Capricórnio, graus 20º00´, eclipse lunar, 10 de Janeiro, 19.21 h

Símbolos Sabianos:

Sol – Uma corrida de estafetas

Lua – Uma primma donna cantando

A Lua cheia faz oposição a Saturno e Plutão em Capricórnio. Saturno e Plutão estão em conjunção.

Chegámos a meio do ciclo que começou na Lua nova de Capricórnio, onde o lugar que ocupamos no mundo, ou que queremos ocupar, ganha destaque. Uma imagem tradicionalmente associada a Capricórnio é o cume da montanha simbolizando o atingir dos nossos objectivos mais desejados, para os quais precisamos despender muito esforço e dedicação. Não é só esforço e dedicação relativamente às tarefas envolvidas, é também muito esforço e dedicação para nos trabalharmos a nós mesmos de forma a adquirirmos o poder de escalar a nossa montanha. E francamente, “alpinismo” não será o desporto mais fácil! Para começar, nestas duas semanas, tivemos eventualmente que nos confrontar com vivências padronizadas, com circunstâncias que cheiram ao passado que herdámos e depois desenvolvemos pelos nossos próprios meios, circunstâncias que preferiríamos riscar de vez dos nossos cenários porque emocionalmente não se relacionam com bem estar, felicidade, satisfação. “Teve mesmo que ser assim”, senão como saberíamos qual o caminho daqui para frente!? Vou só repescar um pedacinho do que registei na Lua nova… que trazia eclipse, ou seja, um aflorar de padrões inconscientes mais enfatizados do que habitualmente:

“O eclipse dá-se no nodo sul da Lua e portanto o passado (associado a Capricórnio) pode apresentar-se muito sublinhado. (…) Se a nossa vida se pautar por uma postura rigidamente tradicional e conservadora, dificilmente vamos subir a “montanha” que nos satisfaz. O nodo norte está em Caranguejo, o “caminho da felicidade” passa pelo esforço e pela ambição de tornarmos a nossa vida privada e familiar um espaço de qualidade, pelo esforço e ambição de elevarmos a qualidade de sentimentos e emoções. É a qualidade interna que nos garante a qualidade exterior da nossa vida.”

A postura rigidamente tradicional e conservadora, pode ser apenas referente à nossa própria tradição pessoal. Somos “conservadores” quando sistematicamente reagimos da mesma forma a determinados eventos. A nossa “tradição individual” está repleta da repetição das mesmas posturas, pensamentos, crenças, padrões emocionais, comportamentos, que sabemos não resolverem rigorosamente nada sempre que alguma dificuldade se apresenta. O facto do eclipse solar ter marcado a Lua nova, simboliza uma incapacidade de fazermos valer a vontade de mudar, a menos que anteriormente este processo de mudança tenha sido posto em marcha. Aí sim, olhámos o passado muito ao longe, não nos causou qualquer perturbação emocional, foi talvez a despedida. Se ainda deixámos que as ondas emocionais se levantassem num redemoinho agitado, agora é a altura perfeita para começar a optar por paradigmas diferentes. Agora é a Lua que se eclipsa, são os antigos padrões emocionais que perdem poder face à vontade de chegarmos ao cume da nossa montanha. Essa é a intenção que o Sol em Capricórnio pode simbolizar. Claro que não vamos conseguir nada se não nos mexermos, se não fizermos nada para começarmos a entender e a modificar os padrões inconscientes que determinam a forma como a nossa vida se desenrola. Temos que elevar a qualidade de sentimentos e emoções, são eles que determinam se vamos concretizar os nossos objectivos, os nossos sonhos mais ambicionados.

Esta Lua cheia acontece em paralelo com duas circunstâncias relevantes. Por um lado Urano vai passar ao movimento directo apenas algumas horas depois da oposição entre o Sol e a Lua, por outro a conjunção entre Saturno e Plutão estreita-se para terminar no dia 12. De Urano podemos esperar o inesperado, seja bom ou nem tanto assim. É possível generalizar e dizer que se já nos libertámos internamente das nossas tradições mais arcaicas, resta-nos ver essa libertação no exterior. Se a tradição ainda é o que era, pode acontecer alguma coisa no exterior que nos vai mostrar a necessidade de deixarmos que a inovação entre nas nossas vidas… ou pode já ter acontecido.

Quanto à conjunção entre Saturno e Plutão, é o primeiro grande acontecimento astrológico da década! A probabilidade de tudo o que ficou registado anteriormente se referir ao fecho do ciclo entre estes dois planetas é altíssima! Sempre que um ciclo se encerra, há uma necessidade de revermos os temas que estão em causa, para podermos concluir o que deve terminar e o que pode transitar para o próximo ciclo. O ciclo entre Saturno e Plutão começou em 1982 em Balança. Ou seja, foram as relações com os outros o tema em desenvolvimento. Quanto aos acontecimentos desde a última Lua nova vejam se estão ou não relacionados com “os outros”. Nas corridas de estafetas (símbolo do Sol) há uma passagem de testemunho. Só a correcta interacção dos atletas permite a vitória, ou pelo menos a finalização da prova. Só as correctas relações uns com os outros nos permitirá chegar ao cume da nossa montanha. E então podemos cantar para celebrar… mesmo que seja apenas no duche!

Portanto, atendendo a que ainda temos mais duas semanas para chegarmos ao fim da lunação de Capricórnio, temos o “copo meio cheio”, temos tempo para nos responsabilizarmos pela qualidade das nossas relações com os outros, porque de uma forma ou de outra eles são indispensáveis para que os nossos objectivos se concretizem! A conjunção da Lua com o seu próprio nodo norte (daí o eclipse ser lunar) aponta para a grande solução estar bem dentro de nós. A grande solução para a qualidade das relações, é a qualidade emocional. De resto, a qualidade emocional é literalmente a solução para todos os males! Porque quando nos sentimos verdadeira e profundamente bem, tudo na nossa vida se encaixa no sítio exacto, à hora exacta!

Para consultas ou Manual de qualidade emocional use o mail acasanafloresta.astrologia@gmail.com

Imagem de DarkWorkX no Pixabay

 

Share Button