Lua cheia de Aquário, Agosto 2019

Lua cheia em Aquário, Sol em Leão, graus 22º24´, 15 de Agosto, 13.29 h

Com a Lua nova em Leão ficaram destacados os temas relativos a crianças, relações amorosas, lazer, criatividade, alegria, confiança, optimismo, o que fazemos por amor pelo retorno de pura satisfação. Leão relaciona-se também com o nosso Eu interno, que é o somatório dos quatro signos anteriores e que se referem à maneira como nos afirmamos e agimos, aos nossos valores, ao pensamento, aos sentimentos e emoções. E tudo isto que somos, exteriorizamos de uma forma visível pelos outros, mas mais importante exteriorizamos também energeticamente e com essa energia damos formas à nossa vida, criamo-la. A qualidade da realidade que temos está directamente ligada à qualidade daquilo que exteriorizamos, ou emitimos. Portanto vale a pena o trabalho e o esforço para conseguirmos viver o melhor que pudermos aquilo que Leão simboliza, porque naturalmente quem vive sentindo maioritariamente amor, alegria, satisfação, felicidade ganha uma vida em concordância. Podemos ter circunstâncias muito contraditórias com esta meta, mas se queremos melhorar temos que saber encontrar as sementes desta forma de estar na vida e alimentá-las.

Agora chega a Lua cheia e logo teremos oportunidade de saber se as nossas sementes já germinam ou se precisamos melhorar a forma como as regamos. Há sempre um outro momento mais sombrio, é a oportunidade perfeita para percebemos se já sabemos o que fazer para minimizar, e eventualmente anular tudo o que seja contrário ao brilho que adquirimos quando nos sentimos felizes. Um dia destes lembrei-me da frase “Viver não custa. Custa saber viver.” Custa porque precisamos ganhar uma nova consciência da natureza da realidade (podem ver aqui), e porque depois vamos precisar de paciência, de saber esperar até assimilarmos novas atitudes, precisamos dar tempo ao tempo.

Há poucos aspectos astrológicos a considerar. Sol, Vénus, Mercúrio e Marte em Leão fazem conjunção entre eles, e em oposição à Lua. Estamos a dedicar muita atenção ao que Leão representa, mas simultaneamente a Lua pede distanciamento emocional. Distanciamento de quê? Seguramente de sentimentos e emoções que contradizem aquilo que se pretende atingir num ciclo dedicado à energia radiante de Leão. Não devemos alimentar a negatividade mas também não a podemos “combater”, porque como dizia Carl Jung aquilo a que resistimos não só persiste como aumenta. Se a insatisfação bate à porta, deixamos entrar, reconhecemo-la embora preferíssemos não a receber, e vamos escolher alguma actividade de nos traga alívio e boa disposição. Há sempre alguma coisa que está ao nosso alcance, alguma coisa que fazemos porque gostamos ou porque nos faz bem é um antídoto perfeito. O que não vamos fazer é ficar a remoer no assunto porque isso é alimentar, nem vamos querer à viva força que se vá embora porque isso é lutar contra. Se ignorarmos, a insatisfação desvanece-se mais facilmente. Treinando esta atitude vamos aos poucos ficando cada vez mais especialistas e aí….. ah aí somos invadidos por uma confiança inabalável em como seremos sempre capazes de espantar tudo o que nos impede de brilhar. A vida vai responder em sintonia!

Símbolos Sabianos

Lua – Um grande urso sentado acenando as patas

Sol – Cavalgar sem sela

A confiança em cavalgar sem sela é a confiança e a liberdade que ganhamos quando olhamos todas as contrariedades como um animal feroz, porém domado sob a nossa vontade.

Há ainda um facto curioso. A Lua está em Aquário e este signo refere-se também a causas humanitárias. Muitos de nós sentem um chamado para ajudarmos os outros. Mas há um conto de Mia Couto muito interessante, é este:

Um macaco passeava-se à beira de um rio, quando viu um peixe dentro de água. Como não conhecia aquele animal, pensou que estava a afogar-se. Conseguiu apanhá-lo e ficou muito contente quando o viu aos pulos, preso nos seus dedos, achando que aqueles saltos eram sinais de uma grande alegria por ter sido salvo. Pouco depois, quando o peixe parou de se mexer e o macaco percebeu que estava morto, comentou – que pena eu não ter chegado mais cedo!”

Nunca sabemos realmente do que as outras pessoas precisam e às vezes somos nós que interpretamos uma situação como má e não é, outras vezes os maus momentos são absolutamente necessários para crescermos! Mas de facto podemos contribuir para um mundo infinitamente melhor se apenas nos dedicarmos a nós mesmos e a sermos mais felizes. Porque dessa forma as boas energias que o nosso coração bombeia vão limpando a densidade emocional que envolve o planeta. Tão mais simples e tão mais dentro das nossas capacidades! Por isso o Gandhi recomendava para sermos a mudança que queremos ver no mundo! Estou absolutamente dedicada a ser cada vez mais feliz e ponto final!

Serviços prestados ver aqui

Imagem veio daqui

 

Share Button