Lua Cheia de 4 de Maio

f0bd144ded7b1bfd_shutterstock_89720368.jpg.xxxlarge_2x

 

Lua Cheia, 4 de Maio de 2015, 4.42 h

O tema de qualquer lua cheia é sempre aquilo que, mantido sob o resguardo do nosso próprio olhar, o inconsciente simbolizado pela Lua, nos é revelado sob a luz do Sol. Assim, os nossos luminares são sempre os dois intervenientes principais, e a iluminação acontece quando os dois se encontram frente a frente, em pontos diametralmente opostos no zodíaco. No entanto, outros elementos podem ter lugar de destaque, e desta vez o planeta Júpiter reclama para si um papel igualmente importante a desempenhar.

Temos então o Sol a 13°22’ de Touro, a Lua a 13°22’ de Escorpião e Júpiter a 13°34’ de Leão. Júpiter faz quadraturas exactas ao Sol e à Lua. Começo por analisar os símbolos Sabianos referentes à posição dos três planetas:

Sol – Na praia, crianças brincam enquanto crustáceos juntam-se na borda da água

Pista: Voltando às alegrias simples, para revitalização.

Este símbolo carece de um pouco mais de elucidação; Dane Rudhyar assinala o mar como representação das dimensões humanas não conscientes; estas sempre estão presentes independentemente daquilo que façamos, ou do grau de sofisticação e maturidade dos intervenientes humanos. As crianças brincam alheias aos crustáceos, que fazem parte do cenário, vindos do mar, sem qualquer ligação aparente com as actividades infantis.

Lua – Homens da empresa de telefones a trabalhar nas instalações de novas conexões.

Pista: A necessidade de estabelecer novos canais de comunicação.

Júpiter – A alma humana buscando oportunidades de manifestação exterior.

Pista: O desejo de auto-realização.

 

Por aqui, “debaixo do Sol”, tudo o que fazemos, directa ou indirectamente, visa alcançarmos o que a nossa alma estabeleceu como caminho evolutivo. Desse caminho fazem parte a aprendizagem de tarefas aparentemente tão simples, tão básicas e primárias, como aquelas que constituem brincadeiras de crianças, à beira mar, na praia! Frequentemente também, esquecemos, ou ignoramos mesmo, que podemos alcançar a nossa auto-realização com filosofias de vida simples, em partilha com os outros, fazendo o que nos proporciona bem-estar, fazendo o que nos dá prazer. E disto fala o Sol em Touro, signo do elemento terra.

A Lua aponta a necessidade de estabelecer novos canais de comunicação. Que canais serão esses? Escorpião é um signo relacionado com o elemento água, que por sua vez está ligado ao inconsciente. É a nossa dimensão mais importante, a mais directamente ligada à alma que busca manifestar-se. No entanto é a mais ignorada, desconhecida, escondida, reprimida, da qual sentimos medo, culpa e vergonha tantas vezes! Tal como os crustáceos chegam à praia sem impedimento, muito do que corre nos nossos rios subterrâneos inconscientes tenta chegar à superfície mas pode encontrar o caminho atulhado de regras e crenças e obrigações que alguém, algures no exterior, estabeleceu como politicamente correcto, como adequado a boas pessoas, como fazendo de nós cidadãos exemplares. Comportamo-nos não de acordo com quem somos, mas de acordo com a utilidade que temos para outros, ou de acordo com crenças que não são próprias. Assim não há alma que se possa exprimir, tornamo-nos corpos mais ou menos funcionais ao serviço sabe-se lá de quem, de que poderes, de que interesses! Então, são de facto precisos novos canais, limpos e de caminho livre, que permitam o afluir de tudo o que anda escondido. O que está desactualizado e é inútil deve ser banido, mas neste processo aquilo que somos verdadeiramente vai igualmente sendo revelado, a tal alma que nos anima!

Júpiter está por Leão, procurando então oportunidades para a alma se manifestar. Como tenta cumprir este desígnio? De Leão fazem parte a generosidade, a autoconfiança, o optimismo, a criatividade a fé e a vitalidade. Mas também pode haver a ditadura do ego, o orgulho sem sentido e a mania da grandeza… “ah eu sou o Rei da Selva! Eu quero e posso! Ou prestam vassalagem ou estão fritos!” Depois, onde se encontra Júpiter tudo cresce e se expande, tanto o generoso quanto o orgulhoso, tanto o luminoso quanto o ditador. Júpiter está ligado por trígono a Urano em Carneiro. Por um lado há muito fogo: Carneiro, Leão, e Júpiter regente de Sagitário, os três signos de fogo. Por outro Urano, regente de Aquário, signo de ar. Reparem como o ar pode atiçar o fogo! Urano não é paciente, é a rapidez dum relâmpago. Estes podem ser ingredientes dignos de uma revolução, mas completamente inibidores do propósito de manifestação da alma. Atitudes de egos inflamados e egocêntricos surgem como consequência de vivermos segundo padrões de terceiros, acreditando que somos impotentes, insignificantes, nalguns casos apenas “carne para canhão”. Entramos em modo de sobrevivência, queremos salvar a pele a todo o custo, é preciso impor para não ser subjugado! Queremos ser os melhores, não podemos falhar, há uma reputação a defender! No fundo isto é o Sistema Vigente. Felizmente quem anda por aqui, a fazer trabalho de regeneração, de reformulação, transformação e mesmo de algumas “mortes” é Plutão! E eis que ele também está ligado a Júpiter! A grande mensagem é que, com o poder de transformação, intenso e profundo, de Plutão em Capricórnio e a Visão de Urano, futurista e humanitário, estimulador da nossa originalidade, Júpiter em Leão pode ser apenas a criatividade, a generosidade, a alegria pura de crianças que brincam à beira do mar. E estas sim, são qualidade energéticas que podem fazer surgir com a pompa e circunstância que Leão tanto gosta, a alma que está em cada um de nós.

Não é no entanto uma tarefa fácil, mesmo quando apenas está em causa manifestar a alma de forma pura e verdadeira; as duas quadraturas, apontam isso mesmo, e a ligação a Plutão implica igualmente alguma fricção também. Plutão em Capricórnio são estruturas em metamorfose, não só estruturas sociais mas igualmente estruturas pessoais; até mais as pessoais, uma vez que Plutão está retrógrado! É fundamental mas demorado. Urano na jogada tem pressa de ver a alma liberta de condicionamentos. Mas lembro-me que “depressa e bem não há quem”. É necessário paciência, leva algum tempo o estabelecimento de novos canais, a limpeza dos existentes e a definitiva alteração de estruturas. É preciso ajustar emoções e objectivos permanentemente. Estes ajustes contam com o apoio efectivo de Plutão, mais uma vez, e com Neptuno em Peixes, ambos ligados ao Sol e à Lua por trígonos e sextis. Plutão regenerando e dando força, Neptuno sendo um canal sensível de acesso ao inconsciente, ao Todo, onde todas as soluções são encontradas, desde que a opção seja encontrá-las.

Entretanto, observe o que surge e lhe entope os “canais”; quando tomamos consciência já uma parte do trabalho está feito. Liberte-se, desapegue da carga que não tem que ser sua.

 

Lua Cheia 4 de Maio

 

 

 

 

 

 

 

 

Share Button