Éris = Caos e discórdia

À pergunta quais os planetas que constituem o sistema solar quase toda a gente responderia Mercúrio, Vénus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Neptuno e Plutão. Mas em Janeiro de 2005 um novo planeta bem para lá de Plutão é identificado. Recebe a designação de Éris (uma deusa grega) e agora vou simplesmente fazer copy past da wikipédia. O link é este https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%89ris_(planeta_an%C3%A3o) Sugiro também que pesquisem mais sobre esta Deusa, e se puderem em inglês porque se encontra informação mais diversificada.
“Éris era a deusa da discórdia. O planeta foi chamado assim porque a sua descoberta lançou a discórdia entre os astrónomos quanto à definição de um planeta e causou, indirectamente, a descida de estatuto de Plutão de “planeta” para “planeta anão”. Na mitologia grega Éris é famosa por ter causado, indirectamente, a Guerra de Troia. Era também conhecida por acompanhar o seu irmão Ares (Marte) para o campo de batalha e, quando os outros deuses iam embora, ela ficava rejubilando-se da carnificina”.
Quando em astronomia se descobre um novo corpo, depois deste receber a respectiva designação definitiva, os astrólogos começam a notar como a simbologia se faz notar. Há aqui uma circunstância absolutamente fenomenal que mostra inclusive a real natureza da realidade. É isto: o novo corpo, neste caso o novo planeta, vai “comportar-se” como a entidade da qual recebeu o nome. Se Éris era a Deusa da discórdia, então o planeta vai comportar-se como um “adepto da discórdia””. E assim se tem verificado.
Em 2015 um acontecimento banal acabou por ter consequências de tal forma que a minha vida virou de pernas para o ar. Na altura havia uma quadratura de Urano à minha Lua natal em aproximação e sempre considerei este como o principal indicador das circunstâncias que vivi, se bem que nunca fiquei completamente satisfeita já que o aspecto estava longe de ser exacto. Mas por mais que procurasse não encontrava mais nenhum trânsito que se relacionasse com o evento. Até que…. Me lembrei de ir verificar por onde andava Éris na altura. Bingo!!!!!!! Éris fazia um trígono exacto ao meu Urano natal. Estava tudo “explicado”. As consequências tinham o tom do lado negativo de Urano (doses maciças de stress, a roçar o trauma) discórdia e caos a satisfazer Éris! Mas do caos nasce a ordem, e de facto eu precisava de uma nova ordem! Isto faz lembrar aquele fantasma da nova ordem mundial! Eu acredito que sim vai haver uma nova ordem, mas não a que estaria planeada por mentes perversas e aberrantes. Será algo verdadeiramente benéfico para todos, mas não antes de atravessarmos todos o caos colectivo e individual. Acredito também que haverão graus diversos de caos individual, uns maiores, outros menores. Mesmo colectivamente a forma como os países estão a viver este caos e discórdia é diferente.
Tudo isto foi a introdução para a verdadeira intenção deste artigo: no meio de tudo o que se vive onde encaixa este Éris? Olha… encaixa perfeitamente! Vamos lá ver!
A China dá a conhecer à OMS uma “nova doença misteriosa” em 31 de Dezembro de 2019. Saturno estava a 21º16´ de Capricórnio, Éris a 23º13´ de Carneiro e portanto a quadratura estava próxima. Plutão estava a 22º21´ de Capricórnio, a quadratura a Éris estava ainda mais próxima. Vou continuar sem incluir Plutão no raciocínio apenas para facilitar. Porque Saturno materializa a realidade e se estivermos a permitir que as transformações (Plutão) necessárias ocorram, vamos materializar uma realidade benéfica. Enquanto humanidade, enquanto um colectivo não temos aderido à evolução (Plutão), logo Saturno nunca poderia materializar uma realidade segura e gratificante. Individualmente pode ser muito diferente! Eu por exemplo dado o caos que se estabeleceu em 2015 na minha experiência individual fui obrigada a mudar, tive que evoluir de tal forma, que recebo a confusão instalada actual em circunstâncias que me permitem uma relativa tranquilidade.
A 15 de Janeiro de 2020 Saturno estava a 23º03´ de Capricórnio, Éris a 23º13´. A quadratura está em pleno! Vamos espreitar a cronologia dos acontecimentos:
10 de Janeiro
É registado o primeiro morto, um homem de 61 anos, frequentador do mercado de Wuhan. Oficialmente há 41 pessoas infectadas na China. As autoridades chinesas identificam o agente causador das pneumonias como um tipo novo de coronavírus, que foi isolado em sete doentes.
13 de Janeiro
Primeiro caso confirmado fora da China, na Tailândia.
15 de Janeiro
Primeiro caso reportado no Japão do novo coronavírus, entretanto designado como 2019-nCoV.
Primeira declaração das autoridades portuguesas sobre o novo coronavírus. A diretora-geral da Saúde estima, com base nas informações provenientes da China, que o surto estará contido e que uma eventual propagação em massa não é “uma hipótese no momento a ser equacionada”.
Júpiter, que tudo expande, vem atrás. A 11 de Março a OMS declara oficialmente a existência de uma pandemia. Júpiter está a 21º18´de Capricórnio, a quadratura a Éris a apertar, e claramente temos uma situação com uma dimensão bastante maior do que aquela que Saturno materializou. Com Júpiter é assim mesmo, tudo à grande! Portanto sendo Éris o representante do caos e da discórdia, chegámos ao que está à vista de todos!
Saturno ficou retrógrado, voltou ao movimento directo e vai estando cada vez mais afastado da quadratura que assinalou o início do actual caos. Com Júpiter é diferente. Ele está neste momento a 22º11´ de Capricórnio, Éris a 23º46´. Discórdia e caos em pleno processo de expansão! Já repararam? Vamos saltar para 14 de Novembro: Júpiter estará a 23º06´ de Capricórnio, já estamos com a quadratura em máxima tensão que se vai manter até ao aspecto exacto a Éris no dia 17 de Novembro. 14 de Novembro é o primeiro Sábado do recolher obrigatório a partir das 13.00h mas entretanto agora a partir das 23.00h todos os dias temos que estar em casa.
Em relação a estas quadraturas, de Saturno e Júpiter a Éris, aqui é o ponto final! Será o princípio do fim desta doideira toda? Acredito que sim, há mais indicadores astrológicos que me dão essa esperança, mas não quero alongar-me por agora! Até porque ainda não terminei. Agora vamos espreitar Marte em Carneiro. Marte fez conjunção a Éris em Agosto. Estaríamos a agir para aumentar o caos? Não me lembro de nada especificamente nesta altura, mas se alguém se lembrar de alguma coisa em particular o comentário será bem vindo. Entretanto Marte fica retrógrado faz novamente conjunção a Éris e no dia 14 de Novembro vai voltar ao movimento directo. A última conjunção a Éris será no dia 21 de Dezembro, em pleno solstício de Inverno. A simbologia deste dia é a do regresso da luz, uma vez que os dias irão progressivamente se tornando maiores. No dia em que a “Luz regressa”, Marte depois de todas as revisões em relação à forma como nos afirmamos, como agimos em nome dos nossos interesses, da nossa liberdade e independência faz conjunção a Éris. Como será que vamos agir? A descoberta deste planeta é recente, e por isso perceber como se manifesta em contexto astrológico está ainda sob estudo. O lado negativo é claramente perceptível, mas tudo tem o seu oposto. Só observando podemos recolher dados. Estou a postos, nomeadamente com os mapas de personagens que todos conhecemos, monitorizando trânsitos de Éris a planetas pessoais desses personagens. Na altura desta conjunção, Saturno já estará em Aquário materializando uma realidade com os contornos de Aquário naturalmente! E claro, as nossas acções (Marte) irão ser nesse sentido.
Abstenho-me de opinar vou apenas dar algumas palavras chave para Aquário:
Humanitarismo – liberdade – libertação de regras, normas e limites -igualdade – progresso – mente racional, objectiva, visionária – futurismo – revolução – interesse por ciência – tecnologia – internet – divulgação de informação – amigos – grupos de pessoas com as mesmas visões e opiniões – futuro – desapego do passado.
As características negativas relacionam-se com: Excesso de frieza e desapego na relação com os outros, distante, teimosia extrema, radical, rebelde sem causa, excentricidade, sentir-se de lado, sentir-se colocado à parte, sem pertencer, inquietação “eléctrica”/stress, trauma
De qualquer forma, aconteça o que acontecer, não se esqueçam que do caos nasce a ordem, depois da escuridão que temos vivido a Luz vai regressar!
Share Button