Astrologia do dia – 8 e 9 de Julho

Durante o dia a Lua esteve em Aquário. Sempre que isto acontece lembro-me dum poema de Fernando Pessoa cujo título é Liberdade… tudo que ver com a energia de Aquário.

Ai que prazer

Não cumprir um dever,

Ter um livro para ler

E não o fazer!

Ler é maçada,

Estudar é nada.

O sol doira

Sem literatura.

O rio corre, bem ou mal,

Sem edição original.

E a brisa, essa,

De tão naturalmente matinal,

Como tem tempo não tem pressa…

Como não sou poetiza diria…. ai que prazer fazer o que me apetece! De facto, a sensação de liberdade é condição para bem estar interior sempre que a Lua transita por Aquário. Mas muito melhor do que fazer o que nos apetece, é apetecer-nos fazer coisas que eventualmente não nos apetece habitualmente, mas que sabemos serem coisas que precisamos mesmo fazer para que o nosso grau de liberdade seja cada vez maior! Ou seja, desapegarmo-nos de padrões habituais de comportamento que já provaram conduzirem-nos sempre a becos sem saída, é algo a aspirar mesmo que sejam comportamentos a que associamos um retorno positivo. Repare-se se este retorno positivo não é apenas transitório! Deixarmos para trás o passado que nos condiciona, que nos limita a liberdade que sempre alcançamos quando aceitamos o nosso caminho, é o tesouro de Aquário.

Mercúrio retrógrado em Caranguejo fez quadratura a Marte em Carneiro. O que é que nos passou pela cabeça que nos impeliu a agir? Recuem a memória até meio da manhã… por aí…. Mercúrio em Caranguejo são processos mentais intimamente associados a sentimentos e emoções, à vida familiar, às memórias do passado distante, sobretudo pela retrogradação de Mercúrio. Algures por estes temas houve talvez um gatilho que nos pôs a mexer. Não seria de estranhar que estes desenvolvimentos tivessem apontado padrões dos quais devemos nos distanciar de uma vez por todas… o que ficou registado para a Lua em Aquário.

Entretanto agora, Quarta à noite, a Lua já entrou em Peixes e aplica-se uma quadratura a Vénus em Gémeos e um trígono a Mercúrio em Caranguejo, aspectos que se prolongam até amanhã de manhã, altura em que aparece um sextil a Urano em Touro. Este é um período para desligar tanto quanto nos for possível, para descansar e relaxar, para melhorarmos a relação que temos com o invisível e o intocável, o espiritual. Na minha opinião isto não tem  necessariamente que nos conduzir a práticas místicas, esotéricas ou semelhantes. Podemos escolher inclui-las nas nossas rotinas diárias, mas há muitos outros hábitos igualmente eficazes e bastante mais acessíveis ao comum dos mortais. Basta seguir as pistas astrológicas. Vénus está em Gémeos. Se pegar num livro cujo tema me interessa e retirar disso bem estar e tranquilidade, a minha relação com o “outro lado do véu” fica perfeita. Mercúrio está em Caranguejo. Se mimar algum recanto do meu “lar doce lar”, ou alguém da minha tribo familiar, ou se cuidar de mim mesma, eu que sou o templo que serve de abrigo à minha alma, a minha relação com o “outro lado do véu” fica perfeita. São opções tão simples, tão comuns, tão terra a terra, tão acessíveis a toda a gente e ao mesmo tempo tão espirituais como as “outras” que todos sabemos. Mas para conseguirmos ver nestas tarefas a mesma importância de outras bastante mais exóticas e com aromas a new age, temos que nos permitir uma grande revolução de valores, a revolução de Urano em Touro.

Amanhã ao final do dia, ainda podemos retirar mais informação dum trígono da Lua ao Sol em Caranguejo. Sol em Caranguejo, numa lunação que começou em Caranguejo pede o quê? Qual o “grande propósito” que nos deve motivar? Os “mimos” referidos no parágrafo anterior, pois então! Mime-se esta área da vida e a Lua fica automaticamente de boas relações com o espiritual, com o campo quântico de todas as possibilidades.

Para consultas ou solicitar o Manual para a Qualidade Emocional, contacte por msn privada ou pelo mail acasanafloresta.astrologia@gmail.com

Imagem de Oskar Kadaksoo no Unsplash

Share Button