Astrologia do dia – 30 de Setembro

A Lua esteve, e ainda está em Peixes e eu estive muito espiritual, mas de forma muito personalizada! Saiu-me isto:

Há coisas que me deixam de olhos em bico, literalmente! Agora se acrescentar que uma coisa que me deixou de olhos foi ler um artigo numa revista budista sobre o normal de mulheres no Nepal, algumas são monjas, podem ter a certeza que os olhos ficaram duplamente em bico!

Um dia destes pensava: no Ocidente, aí pelo início do século XX, começaram a ser introduzidos alguns conhecimentos orientais, como a meditação e o yoga. Vem o movimento new age e tudo isto cresce pelo menos em grupos específicos de pessoas, talvez os mais rebeldes em relação ao sistema, os mais excêntricos, os mais curiosos, os mais desiludidos com as religiões cristãs…. Sei lá eu! Sei que me situo um pouco em cada uma destas categorias. Mas pergunto-me,  no oriente, berço destas práticas as pessoas vivem melhor? Não!!!!! Mal por mal prefiro ser ocidental! Fui verificar e no Nepal a religião oficial é o hinduismo, a religião da ìndia, onde surgiu o yoga! Alguma coisa tem que falhar redondamente para que a suposta sabedoria antiga veiculadas pelas religiões mais antigas permita a existência de castas na Índia, ou isto no Nepal:

“As mulheres geralmente casam-se cedo e ficam privadas do direito de controlar os seus próprios sistemas reprodutivos. A taxa de mortalidade materno infantil nas zonas rurais do Nepal é elevada (170 mortes para cada 100.000 gestações) e o tráfico de mulheres continua a ser parte integrante do tecido social e económico do Nepal. Mulheres são tratadas como um produto ou mercadoria; prática esta que causa uma degradação incalculável e um enorme sofrimento físico e mental.”

Acabo de me lembrar duma circunstância de vida que ouvi pela boca de uma senhora que foi empregada doméstica na casa da minha mãe. Tinha sido criada por freiras. Os banhos eram tomados vestidas porque se considerava pecado olharem o próprio corpo!!!!! Quando ouvi isto fiquei de olhos em bico, claro!

Tanta sabedoria, tanta meditação, tanto yoga, tanta espiritualidade e deu nisto? Sendo que isto é a pontinha dum iceberg!!! O que é que  faltou?

Com a Lua em Peixes, a energia espiritual do Zodíaco, só me apetece deitar  às urtigas… e para dizer a verdade desde que me conheço deitei mesmo… todas as formas comuns e tradicionais de alimentarmos a relação com o Todo, com o Universo, com o Espírito, com Deus ou com aquilo que quiserem chamar! Sou daquelas pessoas que estaria bastante zangada com Deus, se acreditasse que as coisas são de uma determinada forma! Vou buscar outro pedacinho da revista, que felizmente tem sido a minha crença fundamental apesar de não ser budista. Curiosamente,  é um elemento presente na astrologia evolucionária:

“Em primeiro lugar, cabe recordar que, segundo a sabedoria do Buda, somos sempre co-responsáveis por tudo o que experimentamos, pois a realidade não é dual: o mundo não existe separado das nossas percepções, o que vemos como eu é interdependente do que chamamos não-eu, o sujeito é inseparável do objecto. Os acontecimentos e o modo como os percepcionamos, as nossas experiências, individuais e colectivas, são assim consequência das nossas intenções e acções, passadas e presentes, que tendem, se não forem interrompidas e os seus padrões alterados ou suspendidos, a continuar a ter os mesmos efeitos no futuro. É o que na visão budista se chama lei do karma, que quer dizer acção e se refere a tudo o que intencionamos e fazemos em termos mentais, verbais e físicos (se fosse eu acrescentaria emocionais), com as suas consequências imediatas e a curto, médio e longo prazo. O karma, contrariamente ao que por vezes se pensa, não significa destino ou fatalidade, pois podemos sempre alterar o curso da nossa acção e assim modificar as suas consequências. A lei do karma adverte que somos co-criadores da realidade que percepcionamos, a qual deste modo podemos sempre transformar para nosso bem e dos outros.”

Muito incrivelmente tomei conhecimento da revista ontem, primeiro dia em que Saturno, o Sr. do karma, ficou directo. Ontem perguntava em que obstáculos tinham esbarrado, porque temos que trabalhar para os eliminar. Os obstáculos existem porque temos uma percepção da realidade em que eles existem. E como alterar essa percepção? Tem sido o meu trabalho interno, e só vos digo que é um trabalho hercúleo. Pessoalmente não acredito em chazinhos e paninhos quentes. Podemos usar o yoga, as meditações, as preces todas que quisermos, e mais uma série de técnicas espirituais porque ajudam sem dúvida a melhorar o estado emocional. Mas se queremos viver uma realidade completamente renovada, temos muita montanha para escalar! E as montanhas são escaladas com os pés e as mãos na terra! Nos momentos de descanso então meditemos, oremos, e entreguemo-nos ao yoga. Porque o ponto de polaridade de Peixes é Virgem!!! Sem ordem, sem organização, sem rotinas, sem estudo, sem higiene, sem mente racional e sentido crítico, sem saúde física, sem mãos na massa não há espiritualidade que nos valha! 

Querem saber? Virgem é o meu templo onde me entrego ao Divino. A minha casa 12, a casa natural de Peixes, abre com Virgem. Por isso com a Lua em Peixes, sinto-me bem espiritual em Virgem. Comigo é mesmo tudo ao contrário! E querem saber outra coisa? Quando estou no meu templo, o espiríto fala e eu entendo. Quantos andam nos templos errados?

Só mais uma coisa: estamos numa lunação de Virgem. Virgem e Peixes são duas faces de uma só moeda. Na Lua nova de Virgem introduzi  este conceito de ponto de polaridade. Amanhã a Lua entra em Carneiro e é dia de Lua Cheia. 

Se gosta de ler os meus conteúdos e gostaria de ir sabendo mais, considere apoiar o meu trabalho através do Patreon: https://www.patreon.com/TeresaM?fan_landing=true

Serviços disponíveis: http://acasanafloresta.com/servicos-e-contacto/

Imagem

Share Button