Astrologia do dia – 11 de Novembro

Mercúrio entrou em Escorpião. Para uma grande parte das pessoas a mente está a operar em território minado… é o território dos instintos, dos medos, das revoltas, dos ressentimentos, dos desejos de vingança. É um território que pode ser muito sombrio. Só mesmo quem já fez um enorme trabalho de casa em limpar a fundo o conteúdo inconsciente estará mais tranquilo. Mas como sempre há um lado bem positivo! A capacidade de ver para lá das aparências, do superficial, a perspicácia, a determinação para investigar a fundo seja lá o que nos interessa, estão activadas. Eu sou super fã de policiais e por isso digo que Mercúrio em Escorpião é a mente em modo detective. Olha… acabei de me lembrar de outra…. é a mente de um jornalista de investigação! É precisamente uma mente neste estado, que pode instigar-nos a procurar perceber porque vivemos… ou porque atraímos situações que suscitam medos, revoltas, ressentimentos etc. e eventualmente terminar com tal circunstância!

Plutão faz conjunção a Júpiter em Capricórnio. Em Abril foi a primeira conjunção, depois Júpiter ficou retrógrado e fez novamente conjunção e agora depois de ficar directo é a terceira conjunção. Este aspecto marca o início de um ciclo, neste caso entre Júpiter e Plutão.

Júpiter – regente de Sagitário, relaciona-se com crenças, com conhecimentos, com expansão. Ultimamente chamo a Sagitário/Júpiter uma rampa de lançamento ou para as estrelas, ou para outro sítio qualquer menos interessante… até pode ser para o inferno, se bem que segundo Carl Jung disse que “Qualquer árvore que queira tocar os céus precisa ter raízes tão profundas a ponto de tocar os infernos”.

Plutão – regente de Escorpião, relaciona-se com transformação, metamorfose, morte/renascimento, purificação, poder pessoal… isto é o lado luminoso. O lado sombra está referido a propósito de Mercúrio em Escorpião.

Fundam os dois. A rampa de lançamento para as estrelas precisa, para já, do lado positivo de Mercúrio em Escorpião, porque Plutão está a “absorver” o que acontece em Escorpião. Digamos que Mercúrio em Escorpião é aquele momento da contagem decrescente. Depois a “nave descola” e o ciclo começa. Um ciclo que se fechará daqui a 12 anos e tal. O momento da descolagem não garante o sucesso do ciclo. Mas sem sucesso nesta fase o processo sofre atrasos, e tem um elevado custo no nosso bem estar actual e no futuro. Trata-se de um ciclo em que vamos transformar profundamente a nossa realidade material! E Júpiter encarrega-se de fazer tudo à grande! Percebem o calibre do que está em jogo? E quanto ao que se passa no mundo não interessa nada! Se os outros fizeram ou deixaram de fazer vale zero! Temos que nos concentrar em nós e na nossa própria metamorfose/purificação, ponto final, parágrafo!

Entretanto já temos a Lua em Balança. Neste momento sentirmo-nos equilibrados, sentirmos que dentro de nós há harmonia, é o bilhete para mais uma grande aventura…. perdão…. é um simples ciclo entre Júpiter e Plutão em Capricórnio! Mas pronto, eu tenho a mania das aventuras!

E bem… a propósito de tudo e de mais alguma coisa… faz todo o sentido referir o Manual de Qualidade Emocional como uma ferramenta para um dia alcançarem o desejado estado de graça interior!

 

 

Share Button