Aquário

Aquário

O Zodíaco pode ser visto como um ciclo que começa   no signo de Carneiro e termina em Peixes, para logo a seguir se repetir o processo, mas num patamar diferente de evolução. Visualizando uma imagem, fica claro que o ponto mais “elevado” é aquele que em astrologia corresponde a Capricórnio, o culminar das nossas acções, a materialização dos desejos, dos impulsos que construíram uma determinada realidade. Relaciona-se ao Status Quo, e a todas as suas regras que se por um lado são necessárias à coesão dessa mesma realidade, por outro naturalmente muitas delas se tornam arcaicas e obsoletas.

Zodíaco

Tendemos a olhar a insatisfação como uma característica negativa, e no entanto é ela que permite caminhar com o horizonte como destino. Nunca se atinge o horizonte, mas se o foco for esse, caminhamos sempre em frente. Em Aquário surge esta necessidade de libertação do que foi alcançado e que serviu um propósito. Agora é tempo de inovar, olhar o futuro, revolucionar se preciso for. Para criar novas estruturas de sociedade é necessário olhar os outros como membros de uma comunidade a que pertencemos; então, o impulso de “derramar” a visão futurista para todos em geral, de forma impessoal, com o desejo de inspirar a mesma vontade de abrir novos rumos. O símbolo de Aquário está ligado à água. Em tradições antigas a água era vista como fonte de sabedoria e inspiração.

Temos então a energia de Aquário ligada às seguintes palavras-chave: inventivo, activista social, revolucionário, intelectual, tolerante, amigo, visionário, imaginativo, idealista e progressista.

Há uma frase que circula como sendo de Fernando Pessoa, mas na realidade é de Fernando Teixeira de Andrade e que na minha opinião é perfeitamente adequada a Aquário: “Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia; e se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.”

Share Button