Céu astrológico para Sábado 1 de Dezembro

Símbolo Sabiano do dia: A Deusa da oportunidade com cabelos dourados

Até às primeiras horas da tarde a Lua está ainda em Virgem, entrando depois em Balança; pelo caminho faz sextil a Mercúrio retrógrado em Escorpião, a Júpiter  em Sagitário e quadratura a Saturno em Capricórnio. Estaremos mais capacitados para enfrentar as rotinas, responsabilidades e trabalho durante a primeira parte do dia, mas bastante mais extrovertidos e sociáveis quando se der a transição para Balança. Levarmos em conta o papel que os outros desempenham na nossa vida, pode contribuir para nos posicionarmos de forma a retirarmos o melhor das nossas relações e a dar também aquilo que temos e somos de melhor, pois afinal é este equilíbrio entre o dar e receber que todos pretendemos. A ligação a Júpiter em Sagitário, pode mostrar como há um clima de optimismo e sensação de expansão através dos relacionamentos, que aliás transparece no símbolo do dia! Porém, com Júpiter no signo em que rege, os exageros de vária ordem podem fazer-se convidados, e de facto nada melhor que a quadratura a Saturno para não perdermos o sentido prático e alguma dose de maturidade; Mercúrio retrógrado está em modo observador para detectar que interpretações erróneas fazemos, e de seguida reajustar a maneira como a mente opera. Hoje ainda vai fazer uma reentrada em Escorpião e vamos entrar em revisões relativamente a que padrões emocionais/comportamentais precisam ser transmutados.

Entretanto o Sol em Sagitário faz quadratura a Marte em Peixes. Estes dois fizeram conjunção em Agosto do ano passado em Leão, e por isso esta quadratura faz parte do ciclo que começou nessa altura e que pretendeu aliar a vontade consciente, às acções que nos pudessem conduzir à criação de uma vida mais próximo daquilo que corresponde a cada um de nós individualmente. Agora, a vontade de chegarmos a esses horizontes personalizados, deve contemplar a capacidade de não agirmos controlando os acontecimentos segundo aquilo em que acreditamos conscientemente, mas deixando que a vida se vá revelando, ente outras coisas, através de impulsos que surgem e pretendem nos guiar numa determinada direcção.

Imagem veio daqui

Auto conhecimento, aprendizagem, consultas ver aqui

Share Button

Céu astrológico para Sexta-feira 30 de Novembro

Símbolo Sabiano do dia: Uma mãe e as suas crianças numas escadas

Ou vamos para cima ou vamos para baixo, e se nos sentirmos inseguros há por perto quem nos possa apoiar. Creio que o símbolo se refere a uma qualquer transição e uma oposição de Vénus em Balança a Urano em Carneiro, aponta para aquilo que pode ser a passagem de um nível para outro, em termos de como nos relacionamos; se as nossas relações são mais ou menos gratificantes, depende da nossa postura habitual perante os outros e as circunstâncias onde eles existem. Vénus esteve retrógrada, houve a oportunidade de refazer valores de forma a conseguir mais harmonia dos outros; Urano está retrógrado em Carneiro, um empurrão para acertarmos a maneira de agir no sentido de sermos mais autónomos, independentes, livres. E esta oposição é o momento em que podemos perceber se já houve a transição, se já nos sentimos mais donos da nossa vida, ou se continuamos a precisar de apoio.

A Lua em Virgem faz oposição a Neptuno e trígono a Plutão; a ligação a Neptuno também pode indicar uma transição, de um sentimento interno que nos faz sentir vítimas de circunstâncias diversas, para o resultado de uma higiénica lavagem à alma… coisa de Virgem esta da limpeza… que nos coloca em contacto directo com uma saudável sensação de paz interior enquanto nos atiramos às nossas tarefas típicas de quem anda a pisar este chão feito de terra, com o intuito de criar transformações positivas na nossa vida. É um “dois em um” porque quando criamos algo de positivo para nós, o bem estar resultante exterioriza-se e causa impacto em quem nos rodeia, e em última análise no mundo.

Imagem veio daqui

Auto conhecimento, aprendizagem, consultas ver aqui

Share Button

Céu astrológico para Quinta-feira 29 de Novembro

Símbolo Sabiano do dia: Rochas e coisas que se vão formando ali

O dia começa com a Lua em Leão, e um trígono a Urano em Carneiro é a oportunidade para introduzirmos alguma coisa de novo nas nossas atitudes, na forma como nos sentimos internamente, fruto das experiências vividas no dia anterior, por exemplo. A meio da manhã entra em Virgem; agora, o trabalho, a organização,  a necessidade de introduzirmos melhoramentos na nossa vida, que passa também por criar uma realidade material estável e sólida (trígono a Saturno) adquirem uma atractividade própria. No entanto há outros apelos que não passam despercebidos; uma quadratura ao Sol, a Mercúrio e a Júpiter em Sagitário colocam em evidência, que para além da vida tal como ela existe aqui e agora, há um cenário mais vasto, há fronteiras que podemos atravessar se ao menos não nos esquecermos de as incluir na lista das mil e uma tarefas que nos propomos concluir hoje mesmo. Coisas tão simples como a indicação dada pela oposição a Marte em Peixes, que sugere algo muito próximo aos planetas em Sagitário: há uma realidade muito grande para lá da realidade tridimensional, e todo os nossos trabalhos, esforços e dedicação no plano material devem ser entendidos como uma pequena parte do muito que temos para concretizar nesta vida. É que sem a consciência de fazermos parte de um Todo que funciona segundo regras muito próprias, algumas “Rochas e coisas que se vão formando ali” levantam  paredes de prisões em vez de caminhos para a outra margem.

Vénus em Balança faz quincúncio a Neptuno em Peixes, uma tensão que nos pode revelar se há alguns outros dos quais nos sentimos vítimas, porque a ser assim estamos certamente a “levantar prisões”. Claro que Vénus enquanto esteve retrógrada, pretendeu eliminar elementos que impediam harmonia e equilíbrio nas relações com os outros; mas quem sabe algum detalhe passou despercebido e temos agora uma oportunidade para afinar o processo. A Lua em Virgem dá-nos uma especial capacidade de detectar todos os pormenores que não servem.

Imagem veio daqui

Auto conhecimento, aprendizagem, consultas ver aqui

Share Button

Céu astrológico para Terça-feira 27 de Novembro

Símbolo Sabiano do dia: Um velho mocho no alto de uma árvore

A Lua vai entrar em Leão bem cedo pela manhã, faz trígono ao Sol, a Mercúrio e a Júpiter, todos em Sagitário; Mercúrio faz conjunção ao Sol e também a Júpiter.

Com a Lua em Leão diz a teoria que temos mais necessidade de nos fazer notar; o que tenho observado, é que quando a Lua está em Leão, de uma forma geral expressamo-nos com mais autenticidade, com todos os atributos positivos e negativos, isto é, revelamo-nos com mais autenticidade; podemos por isso aproveitar para analisarmos as nossas próprias atitudes e as dos outros. Há um realce muito grande de Sagitário, associado a sabedoria, tal como aos mochos; Mercúrio retrógrado,  “iluminado” pelo Sol  e passando pelo fenómeno “lupa” de Júpiter vai talvez mostrar-nos que crenças devemos reformular para que a nossa vida seja dirigida por uma mente mais sábia, com mais capacidade de não se deter nos inúmeros detalhes aparentemente separados que a constituem, mas pelo contrário desenvolver a lucidez capaz de nos mostrar a realidade de uma perspectiva mais elevada… como o mocho.

Marte em Peixes faz sextil a Saturno em Capricórnio – Enquanto Marte transitar em Peixes, escolher com mais critério para onde dirigimos a nossa energia é uma das decisões sábias que podemos tomar, visto que as reservas de energia física estão mais limitadas. Por outro lado, e aproveitando a autenticidade da Lua em Leão, deixarmos que os nossos impulsos nos mostrem quais os critérios segundo os quais devemos agir é, não só nos conhecermos melhor, como simultaneamente podemos estar a trazer à matéria, uma realidade em sintonia com as nossas ambições. Quando Marte em Capricórnio fez conjunção a Saturno, em Abril, foi isso o combinado. Nesta fase, menos acções, mas mais inspiradas, podem fazer toda a diferença.

Auto conhecimento, aprendizagem, consultas ver aqui

Share Button

Céu astrológico para Segunda-feira 26 de Novembro

Símbolo Sabiano do dia: Uma criança aprendendo a andar    

Hoje, Domingo, o Sol fez conjunção a Júpiter em Sagitário – novo ciclo que nos dá a oportunidade de usar a vontade para criarmos outras formas de vida, mais adequadas ao caminho que viemos trilhar. Claro que este pode ser o primeiro passo necessário, saber que caminho é esse, quem somos, de onde viemos para onde vamos; o auto conhecimento é a grande aventura da nossa vida, é a única viagem que nos possibilita atingir o nosso potencial mais elevado. Num ano em que Júpiter vai transitar pelo signo que rege, esta conjunção pode marcar o primeiro dia do resto das nossas vidas, exactamente como no dia em que uma criança dá os seus primeiros passos. Não é certamente uma viagem isenta de tombos, mas… não foi assim que todos aprendemos a andar?

Segunda-feira:

Mercúrio em Sagitário faz quadratura a Marte em Peixes bem cedo pela manhã, a Lua que entretanto segue agora em Caranguejo faz oposição a Plutão.

Cada um à sua maneira, procura sistematicamente melhorar a sua vida, procura outros horizontes, e fá-lo da forma que considera mais correcta e que é ditada por aquilo em que acredita; são as crenças que servem de pilares ao nosso entendimento da Vida, de quem somos, do papel que desempenhamos, daqueles que aspiramos desempenhar, que estão em processo de revisão pela retrogradação de Mercúrio. A quadratura a Marte indica uma força que procura nos impelir para a compreensão que nem tudo conseguimos antever, planear, calcular, preparar, é fundamental aprendermos a agir e a nos afirmar com a consciência de que há uma Inteligência Superior que pode subtilmente nos trocar as voltas, mostrar como é apelativa a direcção X, apesar dos nossos esforços para seguirmos a Y… e confiar nessa Inteligência! Com a Lua em Caranguejo vamos estar mais emotivos e mais “conservadores” na forma de reagir, a tendência é optarmos pelas posturas habituais, algumas das quais são responsáveis por nos mantermos a marcar passo nas mesmas “lutas” de sempre; é preciso encontrar outras estratégias, aprender a andar em frente, transformar a maneira como nos sentimos a nós mesmos.

Auto conhecimento, aprendizagem, consultas ver aqui

Share Button

Céu astrológico para Sábado 24 de Novembro

Símbolo Sabiano do dia: O oceano coberto de ondas espumosas

Agitação “marítima”; porque o Sol é o responsável pelo símbolo e faz conjunção a Júpiter podemos até esperar um exagero de agitação. Acontece que Neptuno em Peixes vai ficar directo na próxima madrugada, e esta agitação pode se relacionar com as “lágrimas” simbólicas, ou reais, associadas aos nossos desgostos, desilusões, à vitimização que sentimos nos ser imposta pelas circunstâncias. A acontecer, é só para reconhecermos o que ainda existe e não nos permite viver em “estado de graça”, em paz e tranquilidade com a Vida. Que as lágrimas lavam a alma é verdade, mas depois é entregar tudo às ondas do mar, deixar levar. Marte em Peixes é a proposta para agirmos dessa forma, e o sextil que faz a Saturno, fala de como assim podemos esperar uma realidade concreta mais feliz e estável. Mas a “agitação marítima” também pode ser aquela azáfama de quem está a olhar os sonhos, e mesmo ainda distantes, já nos mostram os contornos.

Entretanto a Lua segue por Gémeos, e pelo menos até meio da tarde, o facto de não fazer aspectos a outros planetas, indica com grande probabilidade a existência de agitação emocional, em sintonia com o que está referido acima. Depois, um trígono a Vénus em Balança começa a aplicar-se, a tendência para sociabilizar encontra nos outros uma via possível para a comunicação e troca de experiências, até com algum poder de dissolver tristezas e afins.

Imagem veio daqui

Auto conhecimento, aprendizagem, consultas ver aqui

Share Button

Lua cheia de Gémeos, 23 de Novembro 2018

Lua cheia em Gémeos, Sol em Sagitário, graus 0°52´, 5.39 h

O presente ciclo lunar começou em Escorpião. Neste signo, o objectivo mais nobre, é a transformação de padrões emocionais que dão origem a obstáculos difíceis de remover da nossa experiência, aqueles que, façamos nós o que fizermos parecem não desaparecem; muitas vezes nem há nada para fazer, não está nas nossas mãos fazer nada. Não é com indiferença que enfrentamos dificuldades aparentemente intransponíveis, mas é exactamente essa indiferença emocional o truque, a chave que abre o portão, em frente do qual se estendem os horizontes que antes não pareciam possíveis de alcançar (Sagitário). O princípio é simples, a dificuldade está em aplicar. Foram estes processos que Júpiter em Escorpião facilitou, e o presente ciclo lunar é a continuação, que irá incluir ainda a reentrada de Mercúrio retrógrado em Escorpião (uma reavaliação destes processos a partir de um ponto de vista lógico e racional); Vénus também regressará a Escorpião, mas em movimento directo, depois de há algum tempo atrás ter sido feita uma regeneração de valores, ao ponto de nos permitirem a capacidade de nos mantermos mais estáveis emocionalmente, mesmo perante os problemas mais bicudos.

Entretanto chegámos à Lua cheia, e à oportunidade de constatarmos até onde conseguimos, com autenticidade, rasgar a cara num sorriso (o símbolo da Lua nova de Escorpião), mesmo perante as maiores adversidades. Como dizia anteriormente, nem sempre é fácil até porque a grande maioria de nós tem a tentação de contornar os problemas usando as estratégias comuns para situações similares, habitualmente assentes no paradigma lógico/racional até mesmo científico; e quem disse que tudo se soluciona desta forma? Quantas vezes acreditamos ter encontrado soluções, usando o senso comum, apenas para concluir que os resultados ficam aquém do que seria expectável. E nestes casos, como nos sentimos? Serenos, e tranquilos perante a nossa aparente incapacidade? Ou perdemo-nos num emaranhado de medos, preocupações, revoltas e companhia? Esquecemo-nos frequentemente… ou será quase sempre?… que a vida tem leis desconhecidas da maioria das pessoas, e que por vezes temos que largar, entregar a resolução ao Universo, sem que entendamos exactamente o modo de operação. Estas são as leis sob a alçada de Sagitário, onde se encontra o seu regente Júpiter, Mercúrio retrógrado e o Sol, que é um recém chegado. Com o Sol em Sagitário, ir para lá do que conhecemos, inclui deixar as adversidades e as lutas inerentes para trás, o que significa também, sabermos manter a segurança emocional, ou repô-la se for necessário. Quantas vezes, já depois de determinados acontecimentos terminarem, damos por nós repetidamente relembrando e sentido o que nos perturbou; assim as adversidades e as lutas não ficam para trás, carregamo-las, mantemo-nos em território conhecido. Faz sentido lembrar que o nodo norte vai estar em Caranguejo por largos meses, precisamente uma motivação para nos empenharmos em conseguir usar as nossas emoções de forma benéfica, como uma espécie de varinha mágica que nos pode conduzir à Terra dos sonhos. Marte está em Peixes, motivando-nos a agir com plena confiança perante a Vida, e portanto sem necessidade de alimentar negatividades nem de procurar controlar seja o que for, mas pelo contrário devemo-nos deixar levar pelos acontecimentos, por mais incongruentes que possam ser. Há uma inteligência cósmica muito mais abrangente do que a nossa capacidade intelectual pode abarcar!

A Lua vai está em Gémeos, e este posicionamento pode ser o mais exigente visto que se trata de uma Lua agitada, instável, mais conectada às leis físicas do que às leis metafísicas, eventualmente uma Lua mais céptica porque em Gémeos estamos no domínio da mente concreta, construída para entender a materialidade, não tanto o que está para lá dessa materialidade. Logo, se não houver ainda a capacidade de fluir e confiar para onde a corrente nos está a levar, as emoções darão sinal.

Temos portanto o Sol dedicado a ir para horizontes desconhecidos onde imperam leis igualmente pouco conhecidas, e a Lua no sentido oposto, procurando segurança e bem estar no conhecido racional; os dois fazem quadratura a Marte em Peixes, que está menos afirmativo do que o habitual, menos focado, numa de contrariar mais a Lua e apoiar mais o Sol. Sol e Lua precisam encontrar equilíbrio, entre a mente concreta e a mente abstracta, mas as emoções têm muito poder, e a nossa capacidade de nos afirmarmos, de agirmos numa direcção que contemple todo o jogo de forças em presença, pode sair debilitada se não reina a harmonia entre o consciente e o inconsciente. A Lua cheia acontece no final da madrugada e será durante o dia que mais informação podemos retirar relativamente ao que está em consideração, ou seja, como conseguimos nos manter imperturbáveis perante as circunstâncias da nossa vida. Será até mais correcto colocar a questão de outra forma: até onde conseguimos dirigir a nossa energia para onde queremos, para onde a nossa escolha consciente nos aponta como sendo o alvo correcto. Será inevitável sentirmos uma tensão instalada, mas se a usamos de forma favorável ou não, eis a questão.

As emoções dão uma informação, e porque a Lua está num signo regido por Mercúrio, este imediatamente recolhe os dados, processa-os e eventualmente isto irá influenciar o processo de revisão das crenças que nos servem para interpretarmos os acontecimentos. A qualidade inerente a uma dada forma de sentir está sempre relacionada a uma forma de olhar a realidade; mude-se essa forma… ou mude-se a crença que nos impele a olhar dessa forma… e podemos mudar a qualidade do que sentimos.

Símbolos Sabianos

Lua – Um barco com o fundo de vidro em águas calmas

Sol – Um acampamento do grande exército da República

Este exército da República era um grupo de veteranos da guerra civil americana que existiu entre 1866 e 1956; unia-os as experiências e as memórias da guerra, mas posteriormente, intervinham na sociedade com intuito de participar e colaborar para a sua evolução. Aplicando os símbolos à Lua cheia, parece-me que há uma alusão à necessidade de ultrapassarmos as dores e os traumas de todas as “guerras” que já travámos, de todas as guerras vividas pelos nossos antepassados também, e todos estes conflitos ainda vivem em nós através da expressão dos mesmos padrões emocionais, que se prolongam no tempo enquanto não desenvolvermos a tal capacidade de “indiferença”. Só conseguimos partir rumo a novos horizontes, quando deste passado restar apenas uma memória mental, sem a contraparte emocional. O barco (a Lua, as emoções) tem o fundo de vidro, vamos saber com clareza o que se passa em profundidade, apesar das “águas calmas”.

Imagem veio daqui

Auto conhecimento, aprendizagem, consultas ver aqui

Share Button

Céu astrológico para Quarta-feira 21 de Novembro

Símbolo Sabiano do dia: Uma mulher índia suplicando ao chefe pela vida dos seus filhos

A Lua vai entrar em Touro, e refugia-se no conforto associado à matéria, ao palpável, e às decisões que podem manter ou aumentar a qualidade de vida a este nível, não esquecendo a importância do amor próprio, que deve sempre estar ao leme; esta predisposição pode ser um contributo válido para estruturarmos com mais estabilidade toda a nossa vida (faz trígono a Saturno em Capricórnio) e darmos corpo aos nossos sonhos (sextil a Neptuno).

O símbolo porém parece apontar para alguma “perturbação da ordem pública”. O ano passado por esta altura, no céu não haviam tensões de maior, e no entanto recordo-me tão bem de sentir uma espécie de aperto no peito que relacionei imediatamente ao símbolo. Desta vez não será de admirar se algo semelhante suceder, mesmo porque há um quincúncio do Sol a Urano e uma quadratura a Marte, já próxima da conclusão o que faz aumentar a tensão; Vénus em Balança também está em aproximação de uma oposição a Urano e a relação com os outros pode vir a conter algum elemento mais desafiador. Para cúmulo, o Sol vai passar para o ultimo grau de Escorpião, e os últimos graus de cada signo são considerados pontos de “crise”. Enfim…. algum “aperto no coração” pode mesmo vir a sentir-se.

Auto conhecimento, aprendizagem, consultas ver aqui

 

Share Button

Céu astrológico para Terça-feira 20 de Novembro

Símbolo Sabiano do dia: O rei das fadas aproxima-se dos seus domínios

Talvez haja a sensação de estarmos a deixar para trás uma jornada, enquanto nos aproximamos de um território nosso, mais familiar. A Lua cheia não demora, e também pode ser uma demarcação importantes para alguns de nós, alguma meta pode estar perto de ser atingida. Seja lá o que for, é sempre bom sabermos que estamos a chegar ao lugar onde pertencemos.

A Lua continua em Carneiro, faz oposição a Vénus em Balança e conjunção a Urano. À partida, depois da retrogradação de Vénus, estaremos mais aptos a criar condições para que dos nossos relacionamentos possamos esperar mais harmonia e equilíbrio entre os interesses de todas as partes; esta oposição é uma oportunidade para percebermos o quanto os nossos valores foram reequacionados de forma correcta, e também até que ponto os nossos impulsos emocionais permitem uma postura de “igual para igual”. Veremos se reina a concórdia ou a discórdia! Com a aproximação da Lua a Urano, um certo grau de insatisfação pode acontecer, embora não necessariamente; de qualquer forma a conjunção marca um novo ciclo em que algo deve ser renovado na forma como reagimos aos acontecimentos.

Imagem veio daqui

Auto conhecimento, aprendizagem, consultas ver aqui

Share Button

Céu astrológico para Segunda-feira 19 de Novembro

Símbolo Sabiano do dia: Uma banda militar a desfilar

A Lua entrou em Carneiro hoje, Domingo, ao inicio da tarde, e logo uma maior necessidade de actividade se fez notar… eu pelo menos, larguei a pasmaceira que me acompanhou desde ontem, e liguei as pilhas duracell, embora tenha tido o cuidado de não exagerar porque Marte, regente de Carneiro, está em Peixes e não permite exageros, desperdícios de energia, sendo por isso boa ideia dar prioridade ao que valorizamos acima de tudo. Assim vamos continuar amanhã, Segunda-feira, com a Lua a fazer trígono a Mercúrio retrógrado em Sagitário e quadratura a Plutão em Capricórnio; o que sentimos e o que pensamos encaixam sem esforço, e tudo aponta numa só direcção, aquela definida pela nossa verdade pessoal, pelos horizontes em direcção aos quais queremos caminhar. Para isso precisamos ter um certo grau de liberdade, essencialmente liberdade mental, porque o mais certo é haverem circunstâncias solidamente agarradas à nossa realidade que não nos deixam ser tão livres para decidir como gostaríamos; é natural que as emoções sirvam de gatilho para transformarmos alguma coisa na nossa maneira de reagir habitual, de forma a gradualmente adquirirmos a liberdade que nos permite honrar as nossas filosofias de vida. Mercúrio retrógrado (o plano mental) indica as revisões a que as nossas crenças estão sujeitas, e isso faz parte de todo o processo.

Símbolo Sabiano do dia: Uma banda militar a desfilar

Marte está em Peixes e poder-se-ia associar a este posicionamento o famoso dizer dos anos sessenta, Make love, not war. Mas Peixes para além de paz também se associa a música, e o tema do dia sugeriu-me uma ligeira adaptação, Usa a tua energia para fazer música, não a guerra. Ora, Marte faz uma quadratura a Júpiter em Sagitário, que se segue à conjunção (foi no início deste ano) onde aconteceu uma fusão entre a capacidade de agir, a afirmação pessoal com a sabedoria, com a ética, com a verdade, com a honestidade, com a universalidade de valores, e tudo isto a abrir caminho para uma realidade com mais poder pessoal. Esta quadratura agora, é o primeiro momento em que a proposta tem mesmo que seguir em frente, e até tem banda sonora!

Imagem veio daqui

Auto conhecimento, aprendizagem, consultas ver aqui

 

Share Button