Lua cheia em Sagitário, 21 de Maio

 

 

Lua cheia, Lua em Sagitário, Sol em Gémeos,  21 de Maio, 22.14 h

Quando escrevi sobre a Lua Nova em Touro, várias considerações extra astrologia foram surgindo e decidi falar sobre elas numa segunda parte, bem como a análise do símbolo Sabiano. Tive que mudar de planos, deixar as considerações para outra altura e começo então pelo símbolo onde se deu a Lua nova, não sendo de todo descabido, já que a Lua cheia é apenas o natural desenvolvimento do céu da altura, e portanto também o natural desenvolvimento do tema do símbolo. E ele era:

“Uma batalha entre espadas e tochas”

Júpiter era o planeta através do qual a energia de todos os outros era canalizada, e com esta importância seria de prever que a batalha poderia interferir com o normal decorrer das funções por ele simbolizadas. Mas afinal que batalha tem sido esta? Sobretudo a partir do dia 15, em que uma oposição do Sol a Marte se instalou, as nossas convicções começaram a opor-se à vontade. Queremos uma coisa mas aquilo em que acreditamos leva-nos a agir em sentido diverso; gera-se tensão e pelo meio dificilmente vamos fazer o que Júpiter preconiza. A Lua nova em Touro foi um convite a criarmos mais estabilidade na nossa vida, mas as circunstâncias parecem dificultar a tarefa, levantam um muro de espadas às nossas melhores intenções. Responder como, desembainhando as nossas próprias espadas para lutar em nome da verdade? Júpiter agita-se e pede atenção, baixem as espadas e ergam as tochas, vejam a importância dos pequenos detalhes do dia-a-dia, compreendam como são importantes e como as aprendizagens respeitantes são fundamentais para vencerem batalhas futuras. Não é por acaso que Júpiter era a “válvula de escape” de todos os seus companheiros!

Muito bem, chegamos à Lua cheia, temos o Sol em Gémeos, a Lua em Sagitário, andámos meio caminho e temos outro tanto para andar. Vendo já os Símbolos envolvidos:

Lua: O oceano coberto de ondas de espuma branca

Sol: O Pai Natal enchendo meias furtivamente

A Lua faz conjunção a Marte, e este por sua vez, continua em oposição ao Sol. Emoções agitadas, não há dúvida, e por esta altura já teremos recebido feedback das opções que fizemos, mais ou menos conscientes, mais ou menos alinhadas com a proposta da Lua nova. Basta tomar atenção a como nos sentimos e observar o que obtivemos por estes dias. Gostamos do que ganhámos nas meias ou nem por isso? Estamos a meio do ciclo, temos ainda tempo de corrigir, se for necessário… e provavelmente é, somos humanos e nem estamos habituados a ouvir o que o céu directamente nos diz!

O mapa da Lua cheia é semelhante ao da Lua nova; especificando, Vénus continua dispondo de todos os planetas excepto Neptuno, e Júpiter continua a assumir a responsabilidade de ser a válvula de escape de todos os planetas. Dito de outra forma, a valorização do lado material da existência continua e matiza as funções de todos os outros planetas; por outro lado nada de sustentável podemos atingir se não procurarmos aperfeiçoar todas as tarefas que constituem os nossos dias, tarefas de trabalho caseiro, profissional, de estudo, de atenção a uma vida saudável. Não se trata de perfeccionismo, que de resto não promove a saúde de ninguém, trata-se de procurar sermos eficazes, quem sabe fazermos bem menos mas muito melhor!

Mercúrio em Touro vai ficar directo já amanhã, dia 22; houve revisões relativamente a questões práticas que podem agora ser implementadas e mostrar resultados. No entanto os obstáculos à função de Júpiter em Virgem vão continuar e no geral estão indicados pela quadratura de Júpiter a Saturno retrógrado em Sagitário; são obstáculos resultantes das nossas crenças, de convicções pessoais, da estrutura interna que suporta a nossa própria realidade. É daqui que podemos esperar espadas em riste até ao fim da presente lunação, e vão cerrar fileiras especialmente depois de 27 de Maio quando Marte retrógrado entrar em Escorpião. Da nossa realidade fazem parte padrões fortemente arreigados, que caracterizaram outros tempos, outras formas de defendermos o que era nosso, em que o mais forte vergava o mais fraco, temos medos, apegos vários, e tudo isto vai ser posto a descoberto pela acção de Marte. São as tochas os instrumentos que devemos usar, é a consciência do que se passa que nos deve guiar; as espadas vão tentar desviar-nos das tarefas de Virgem, as tochas vão lembrar que se formos bem-sucedidos o retorno vai valer a pena, e é um retorno a longo prazo. Se dúvidas houvesse do que está aqui em causa, a conjunção de Júpiter ao nodo norte aparece como reforço; o nodo norte indica, que o futuro é de momento, alcançado através da energia de Virgem. Que nada vos demova, vos faça desistir do aperfeiçoamento/crescimento da vossa vida através das simples, algumas humildes, outras consideradas desagradáveis, tarefas do dia-a-dia.

Para terminar, acredito que vale a pena transmitir o seguinte: desde há vários anos neste dia da Lua cheia no eixo Gémeos/Sagitário é celebrado o Dia Mundial da Grande Invocação. Quase não é conhecido em Portugal mas como eu sou muito “viajada” … via internet, entenda-se… e tenho espírito de jornalista (sou Gémeos) entendo que merece ser divulgado. Há uma intenção inerente a este dia de que a Luz desça à Terra (que apropriado nesta lunação…), e vou apenas traduzir o seguinte:

“Somos todos parte de uma Vida partilhada. Sabemos também que enquanto as formas passam, a vida é eterna. Estamos todos dentro de grandes formas de pensamento criadas por Seres de infinitamente maior consciência que foram postas em movimento muito antes de termos chegado à festa.

O Dia Mundial da Invocação é quando a Grande Invocação soa em todo o mundo. Este evento global vem acontecendo há muitas décadas. Este é um dia de profunda intenção global, acelerando a afirmação colectiva que declara: “Que a Luz, o Amor e o Poder restabeleçam o Plano na Terra.” Em suma, esta é uma festa colectiva onde milhões se sintonizam com o Ser que eles conhecem como o Professor do Mundo para trazerem energias espirituais para todos”

 

Com tochas, ou outro instrumento qualquer, que a Luz guie a nossa vida e a Terra em que vivemos! Que assim seja!

Foi daqui que retirei este texto, um site que acompanho com grande admiração: http://www.aquariuspapers.com/astrology/2016/05/world-invocation-day-a-global-gathering-and-the-great-invocation.html

A autora da imagem é Ata Alishahi

Consultas e análises aqui

Mapa da Lua nova em Touro aqui

 

 

 

 

 

 

Share Button

Lua nova de Touro, 6 de Maio

Lua nova Touro

Lua nova de Touro, 6 de Maio, 20.31

O primeiro signo no Zodíaco ligado ao elemento terra é Touro, energia que nos torna matéria palpável, percepcionada pelos cinco sentidos. Para que o lado material possa existir, é necessário no mínimo reprodução e alimentação; no entanto, mesmo ao nível de organismos microscópicos, verifica-se que é uma constante a procura daquilo que está para além do indispensável, procura-se abrigo, conforto, bem-estar, segurança, estabilidade. Touro é tudo isto, e é regido por Vénus a que estão associados os prazeres da existência e não apenas o indispensável à existência. Bem sabemos que o nosso estilo de vida actual tem a capacidade de nos proporcionar todos os prazeres possíveis e imaginários, até em excesso doentio, mas há dois elementos a que devemos aceder, dinheiro e senso de valor próprio! Não vivemos sem dinheiro, nem usufruímos plenamente do prazer de viver sem estima própria. Em relação ao primeiro todos sabemos do que se trata, uns temos muito, outros temos pouco, podemos desejar ter mais ou estar satisfeitos com o que nos calha em sorte. Mas quanto ao valor próprio, todos temos imenso, o problema é quando acreditamos que não temos, ou nem nunca nos lembramos de tal questão! Ou quando nos comparamos com os outros e sentimo-nos menores, menos adequados, menos merecedores, um zero à esquerda, uns azarados. E o mesmo estilo de vida com a capacidade de nos proporcionar prazer em excesso, por via dos bens ou serviços que adquirimos com dinheiro, tem a capacidade de nos retirar em excesso igualmente, o valor que intrinsecamente todos  temos, sobretudo se não nos encaixarmos nas normas existentes. Com a Lua nova em Touro há a oportunidade extra de nos abrirmos ao contacto com o que de mais valioso guardamos em nós, com o valor que os nossos talentos e recursos internos possuem, porque se existem é porque servem toda a Existência, a começar por nós mesmos. Posso ter talento para criar grandes empresas, ou posso ter talento para criar pequenas peças de artesanato, ou para fazer bolos, ou cuidar de pessoas, ou de animais, ou serem as plantas aquelas que me apaixonam e me fazem dar o meu melhor! Não há talentos maiores e talentos menores, todos são aquilo de que somos feitos, e todos são merecedores de serem trazidos à luz do dia, colocados ao serviço dos outros para que possam melhorar as suas próprias vidas. Como então não nos sentirmos importantes?!  Sentirmo-nos importantes porque somos bons a fazer o que nos dá prazer, é caminho aberto a percebermos como somos valiosos. Este é um ponto importante e fundamental a ser desenvolvido, e que agora tem a força das energias cósmicas a nos proporcionarem dar passos em frente, ou talvez apenas o primeiro passo. E importante é também percebermos que o dinheiro não corrompe só por si, não é sujo nem mau, é apenas uma “energia” de troca, que nos permite facilmente adquirirmos tudo o que necessitamos, desde o tecto, passando pela alimentação, pelos bens básicos e pelos que não sendo aparentemente básicos, são o meio para fazermos expandir a consciência que temos da Vida, do Mundo do Universo. Sem dinheiro, ou sem dinheiro suficiente, facilmente nos submetemos a situações que nos escravizam e nem mais será preciso acrescentar para valorizarmos, na medida certa, o dinheiro. Está na hora portanto de colocarmos as atenções e as intenções em melhorar ao máximo a auto estima, a capacidade de gerir e valorizar talentos, reconhecer recursos internos, reconhecer o que fazemos com gosto e prazer, gerir o dinheiro que temos, e gerar mais se for caso disso! O céu ajuda, querem ver?

Em Touro, para além do Sol e da Lua, temos Mercúrio retrógrado; ele simboliza os nossos processos intelectuais e de comunicação colocados a funcionar precisamente para uma melhor compreensão de como gerir e gerar recursos. Tão simples quanto isto! Como está retrógrado a sua função está voltada para o interior, revendo o que mais recentemente foi aprendido, ou percebido ou planeado e que nos poderá facilitar a criação de uma estabilidade física e material duradora, sustentável e proporcionadora de paz, harmonia e bem-estar. Vénus está perfeitamente instalada e reina nos próprios domínios, tem portanto uma função de poder. Não só Mercúrio e Vénus estão em Touro, como estão em conjunção à Lua nova, o que potencia a força deste momento para fazer germinar as intenções em sintonia.

No mapa desta lunação, todos os planetas excepto Neptuno em Peixes, exercem funções à luz da energia de Vénus, ela é o dispositor final dos restantes oito planetas. Alan Oken diz de Vénus em Touro: “Uma das características mais importantes de Vénus é o magnetismo. Quando este planeta está em Touro, a sua potência magnética em termos de sua capacidade de atrair matéria é mais elevado. Se a pessoa operar ao nível da alma, terá a capacidade de atrair na vida material aquelas formas que melhor servem a intenção da alma.” Se Vénus operar essencialmente ao nível da personalidade podemos cair em excesso de materialismo, excesso de apego ao prazer dos sentidos. Mas há um sextil a Neptuno em Peixes, que é o contacto da matéria com o espírito, permitindo que as intenções da alma fluam com as necessidades terrenas.

Pegando agora na configuração do mapa e seguindo pelo trabalho que Marc Edmund Jones desenvolveu relativo a este assunto, vê-se que o planeta Júpiter em Virgem está destacado de todos os outros que se encontram num intervalo de 180º. Júpiter comporta-se desta forma, como uma espécie de válvula de escape à energia de todos os companheiros, a atractiva Vénus incluída, e portanto será através do correcto e eficaz andamento das tarefas básicas diárias que veremos o crescimento das sementes que lançarmos, não tanto à terra, mas ao céu! Mercúrio e Vénus estão em aproximação a um trígono a Júpiter, o que sublinha, na cor da vossa preferência, o quando é fundamental ligar directamente a procura e a gestão dos recursos às tarefas, aos detalhes que constituem uma boa parte da forma como decorrem os nossos dias, sendo que tarefas eficazes tornam os nossos dias ordenados, produtivos e saudáveis. Mais… a Lua nova, Mercúrio, Vénus e Júpiter estão em aproximação de um trígono a Plutão retrógrado em Capricórnio; traduzindo é o seguinte: todos temos uma qualquer área de vida que tem sido sujeita a intensas e profundas transformações, talvez nem todas bem acolhidas porque mal compreendidas, mas todas muito necessárias às forças da evolução, quer a nossa evolução pessoal e individual quer a evolução global. Como Plutão retrógrado, é a nossa própria transformação interior que está a ser promovida, através das metas obtidas nesta lunação, através das reavaliações mentais, através do que valorizarmos e através das rotinas diárias.

Mais um detalhe a referir: Júpiter tem estado retrógrado e como ele simboliza o crescimento e expansão das nossas convicções, da nossa forma de entender a vida e de qual o nosso papel, este crescimento tem sido interno acima de tudo; uma espécie de amadurecimento, de processamento de todos os conhecimentos adquiridos, ou porque houve uma aprendizagem formal ou porque vivemos circunstâncias que permitiram esses novos conhecimentos. A seu tempo o crescimento dar-se-á externamente, e este “tempo” em particular, já está aí preparado para se manifestar, para se fazer presente na nossa realidade concreta assim que Júpiter passar ao movimento directo, já no dia 10 de Maio, daqui a apenas quatro dias! Ao crescimento interno irá corresponder crescimento externo.

Os trígonos referidos dão-se em signos de terra, e dão-nos portanto a capacidade de ver na realidade palpável muito do que temos vindo a desejar, e preparar, a acarinhar. Claro que cada instante está conectado a todos os instantes anteriores e se nada tiver sido feito anteriormente, ou não tiver sido o correcto ou o suficiente, o que se conseguir agora será diminuto. E isso que importa? O que importa é que agora é um bom momento para quem ainda não começou a valorizar suficientemente o seu próprio caminho na Terra, o comece a fazer desde já. Está sempre tudo tão certo, que mesmo quem só vai agora começar, o vai fazer na altura apropriada!

Desta vez irá haver uma segunda parte, onde abordarei o símbolo Sabiano e mais algumas outras considerações que foram surgindo. Até lá!

 

A autora da imagem é Josephine Wall

Mapa da Lua nova em Touro aqui

Consultas e análises aqui

Share Button