Lua Cheia 25 de Dezembro… ups é Natal!

 

Lua cheia

Lua cheia, 25 de Dezembro, 11.11 h

Começando pelos Símbolos Sabianos da Lua e do Sol, respectivamente

Um gato argumentando com um rato

Pista: Uma tentativa de auto justificação

Um grupo de pessoas equipando uma grande canoa no princípio de uma viagem por água

Pista:  A capacidade de usar os recursos naturais e habilidades básicas, a fim de alcançar um objectivo comum

Qualquer Lua cheia é simbolicamente uma iluminação temporária do emocional inconsciente, e por isso permite uma identificação de emoções que revelam aspectos do ser interior a reconhecer, compreender, e se for o caso transformar, abandonar, superar de alguma forma. Mas é também o auge dum ciclo que foi iniciado na lua nova anterior; o símbolo onde aconteceu a Lua nova de 11 de Dezembro falava do  “uso cuidadoso dos recursos naturais para suportar necessidades futuras” . Chegados a esta altura, as necessidades levar-nos-ão a embarcar com outros companheiros numa viagem aquática. A questão é: será que estamos de facto preparados? Extrapolando o universo dos símbolos, é evidente que muitos de nós temos planos traçados para alcançar objectivos, e a cada dia tentamos  dar passos que visam a concretização dos mesmos. Mas nem sempre conseguimos os timings desejados, há sempre tantas outras coisas que parecem solicitar atenção!

Temos o Sol em Capricórnio, conservador, exigente em termos organizacionais e de responsabilidade, irradiando a ambição de cumprir a viagem e chegar ao destino. A Lua em Caranguejo, sensível, sentindo-se insegura em tarefas desconhecidas, talvez apenas por isso dê largas a auto justificações emocionais. Não há pressa! Capricórnio é regido por Saturno, exímio especialista em concretizar sim, mas fazendo uso de paciência, assumindo o tempo necessário para que não haja falhas, mesmo que a nós, a impaciência de ver resultados palpáveis, nos dê a percepção de que tudo já deveria estar perfeitamente concluído!

Neptuno em Peixes faz trígono à Lua e sextil ao Sol, e estes aspectos revelam a vontade e a capacidade de transcender obstáculos, quaisquer que sejam, através da compreensão de que somos apenas humanos vivendo uma experiência de aprendizagem, através da intuição que nos guia. E há muitas oportunidades para voltar a fazer de novo, e outras para seguir improvisando e corrigindo o que é viável. É aqui que o papel de Mercúrio, como representante da mente, parece desempenhar um papel relevante. Ele está em Capricórnio também, aplicando todas as potencialidades em favor da vida concreta, planeando, procurando informação, comunicando as instruções correctas, ajustando mentalmente todos os pormenores importantes. O sextil a Vénus em Escorpião coloca-o em contacto com os nossos desejos e motivações mais profundos, naturalmente considerados em todos os processos mentais em curso. Outro sextil a Júpiter em Virgem, mostra como estes processos estão em completa sintonia com o actual crescimento pessoal, possível através da dedicação eficiente às tarefas básicas diárias. Tratam-se aqui de dinâmicas pessoais e internas, mas de facto vivemos rodeados de outros como nós, também eles dedicados aos seus próprios assuntos. A quadratura de Mercúrio a Marte em Balança indica como precisamos de ter em mente a possibilidade de interferências que nos causam tensão e irritação; mas afinal tudo contribui para as nossas aprendizagens, todos estamos sujeitos às mesmas forças, energias, propostas e desafios. Seleccionando o botão vontade consciente (Sol) para a frequência compreensão (Neptuno) podemos respirar fundo, acalmar a mente e encontrar a solução prática e eficaz que permita mais fácil e rapidamente dar inicio à viagem de canoa. Afinal o objectivo final, é um objectivo comum!

Esta presente Lua cheia coincidiu este ano com o dia de Natal. Portanto todos os temas sugeridos pelos aspectos no céu poderão também estar relacionados com este dia. Cumprir a tradição (Capricórnio) impele as pessoas a reunirem-se em família (Caranguejo) e este facto só por si já é revelador de emoções ligadas ao passado familiar. Podem ser emoções e memórias agradáveis ou nem tanto. Podemos aderir com o coração ou só por obrigação. Podemos ter tudo preparado e organizado, ou nem por isso! Podemos sentir que os preparativos desta época interferiram com outros planos mais significativos, e sentimo-nos mais ou menos contrariados. Mais uma vez, não há pressa e tudo pode ser transcendido! As relações pessoais de uma forma geral, e as familiares muito particularmente, são uma fonte de crescimento e aprendizagem permanente e muito valiosa acerca de nós mesmos. Na verdade, estruturar solidamente a nossa vida, os nossos objectivos carece de auto conhecimento, e o contexto familiar é privilegiado para esse processo.

O mapa mostra equilíbrio entre o elemento água, relacionado com as emoções, e terra, relacionado com a capacidade de lidar com a vida real. Nem sensíveis nem sisudos demais, parece ser um Natal em que é fácil percorrer o caminho do meio!

A Lua cheia acontece para o mundo ocidental que celebra o Natal, e para todo o resto do planeta para quem o Natal não significa nada. Do que o céu fala é universal, mas cada um vai vivenciar de forma particular. Como estou no mundo ocidental, que seja um Bom Natal, e que todas as a viagens de canoa programadas, sejam divertidas, compensadoras, proporcionadoras de felicidade e acima de tudo que nos façam crescer um pouco mais!

Lua cheia 25 de Dezembro

Informações sobre consultas aqui

 

Share Button

Lua Nova de Sagitário, 11 de Dezembro

XPTO

 

Lua Nova de Sagitário, 11 de Dezembro, 10.29 h

Mais um novo ciclo lunar se irá desenvolver, e com ele nova oportunidade para nós também iniciarmos algo de novo, em sintonia com os ritmos cósmicos. A mensagem desta Lua Nova é muito clara e muito simples; o que se iniciar será relacionado com o aproveitamento de recursos que irão alimentar necessidades básicas num futuro próximo. O Símbolo Sabiano é:

Numa antiquada aldeia do norte, homens cortam gelo de uma lagoa para usarem durante o verão

Pista: O uso cuidadoso dos recursos naturais para suportar necessidades futuras

Sol e Lua estão em Sagitário, olhos e sentir procurando uma vida mais sábia, governada pelas Leis que estruturam o Universo. Na natureza nada se perde nem nada se cria, tudo se transforma! Tal como na natureza, em cada um de nós estão quantidades infinitas de recursos, que geridos e aproveitados com a sabedoria de Sagitário, nos proporcionam o que precisamos, exactamente quando precisamos; mas é nossa tarefa fazer por isso, tal como os homens daquela aldeia.

Eles terão toda a água que necessitarem mas previamente há que recolhe-la, transportá-la e armazena-la. Na altura certa as condições climatéricas encarregar-se-ão de a descongelar suprindo então as necessidades humanas. Os homens fazem a parte que lhes cabe, a Natureza termina o que eles começaram. Simples!

O que fazemos nós com os nossos recursos internos? Muitas vezes nada, nem nos lembramos que os temos! Queremos muito, e uma certa forma de vida instigou-nos a querer cada vez mais, mas simultaneamente a olhar cada vez menos internamente. Sem contactarmos com as nossas preciosidades escondidas e esquecidas, olhamos permanentemente o exterior, procurando o que necessitamos e desejamos, num esforço criador de condições de vida que proporcionem bem-estar, mas pouco sustentável. E acumulamos tanto que não nos dá nada, a não ser peso e a incapacidade crescente de perceber que afinal o que nos vai permitir crescer e alcançar o que é nosso por direito, está ao alcance de um fechar de olhos e ouvidos, mergulhando no silêncio e na escuridão das minas de diamante que estão bem dentro de quem somos! E claro, desabituados que estamos destes mergulhos, assustamo-nos e continuamos esperando que do exterior chegue a felicidade de bandeja! E corremos o risco de morrer de sede!

Seria mentira dizer que o processo que transforma carbono em diamante é fácil e rápido; nem fácil e rápido será passar dias e dias a arrancar gelo suficiente para que não falte a água absolutamente necessária à vida. Mas … e o resultado final, não é mais do compensador? Compensador o suficiente para desde já honrarmos os nossos próprios recursos internos e pessoais, reconhecendo-os, trabalhando-os e pondo-os à mercê das energias certas que os irão transformar naquilo que queremos, naquilo que verdadeiramente serve o nosso bem, naquilo que verdadeiramente se sintoniza connosco. É na nossa Verdade que repousam os nossos recursos infindáveis; com um pouco de bom senso, e passo a passo serão perpetuamente transformados em realidade física que vamos experienciando, ajustando, e alterando de acordo com novas vontades e propósitos.

Como é que a astrologia presente nesta Lua Nova apoia esta visão, vamos ver. O propósito e a necessidade de expansão duma Lua Nova em Sagitário, faz quadratura com o regente de Sagitário, Júpiter, que transita por Virgem. A tensão relacionada com uma quadratura, não tem que necessariamente ser encarada de maneira negativa, pelo contrário pode ser uma autêntica mola impulsionadora que permite a acção no sentido necessário. E é o caso! Júpiter em Virgem é a via de crescimento através do trabalho e do serviço aos outros, através também do aperfeiçoamento das tarefas que fazem parte da vida diária; este crescimento focado no presente que existe agora, beneficia porém dos propósitos alimentados pelo Sol em alcançar horizontes mais vastos, e das emoções optimistas e de fé sentidas pela Lua, porque tudo o que se passa em Sagitário influencia o seu regente, Júpiter. Mas em Sagitário está também Saturno, o estruturador, que permite trazer à realidade palpável os frutos dos trabalhos empreendidos, cuja qualidade dependerá do grau de Verdade neles contida, pessoal e universal.

Em qualquer processo de concretização de planos, há uma mistura de dimensões criativas e de inspiração, onde a lógica e a racionalidade não cabem. Mas há igualmente o reverso da medalha, e é aí que intervêm a nossa capacidade mental e de raciocínio, aquelas que estão ligadas a Mercúrio, e que são tão necessárias quanto as outras. De facto para que um objectivo se torne material frequentemente isso implica planear e seguir uma estratégia, pode implicar estudo de novas matérias, implica trabalho, esforço, empenho e até alguma ambição! Mercúrio recém-chegado a Capricórnio é a cereja no topo do bolo da construção daquilo que nos ocupa de momento. Em Capricórnio estamos com a mente sintonizada nos assuntos práticos e concretos, temos capacidade de análise objectiva, e de criação de segurança material bem estruturada.

Há um sextil de Mercúrio a Vénus em Escorpião, onde radicam as nossas motivações mais verdadeiras. A grande motivação comum a todos é a segurança; como a alcançamos é assunto pessoal e para a obtermos podemos recorrer a todas as estratégias e estratagemas, umas mais éticas, outras nem por isso! Vénus em Escorpião contudo, leva harmonia e paz onde pode haver medo e caos. Um trígono de Vénus a Neptuno está já em dissipação, mas é ainda suficientemente presente para lembrar que houve a oportunidade de transcender algumas emoções mais inconscientes e primitivas, houve erosão de arestas pontiagudas. E estas motivações, alvo de uma lufada de energias leves e inspiradoras, ligadas a Mercúrio em Capricórnio, contribuem para a construção dos novos horizontes prometidos por esta Lua Nova.

Temos ao nosso dispor nesta presente lunação, condições que proporcionam mais um passo em frente nas nossas vidas, não um passo em falso, mas um passo bem apoiado! Podemos “semear” alguma coisa de novo, fazendo uso dos recursos que possuímos, fazendo talvez algum esforço, tal como quem corta gelo para ter abundância de água no Verão. Fazendo a nossa parte, podemos ter a certeza que o Universo faz a Dele!

“O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher”

Cora Coralina

Escolhendo as nossas melhores sementes, vamos lá nos dedicar à agricultura!

Informações sobre consultas aqui

Lua nova 11 Dez

Share Button

Vénus em Escorpião

Semi círculo

 

Hoje é Sábado, 5 de Dezembro de 2015, e Vénus entrou em Escorpião. Esta é uma energia relacionada com o que nos motiva mais profundamente, e no estádio actual de desenvolvimento humano, estas motivações são determinadas largamente pelos instintos mais básicos e arcaicos que mantemos, e que no fundo se relacionam com a necessidade de sobrevivência individual e da espécie a que pertencemos. Situamo-nos num tempo histórico em que continuamos a acreditar na necessidade de lutar pelos recursos e pela segurança física. Muitos ainda desconhecemos que esses instintos inconscientes originam padrões emocionais, de comportamento e de crenças que de facto nos moldam a vida, nem sempre da forma mais benéfica. Medos, raivas, rancores, desejo de poder, agressividade ou mesmo violência são subprodutos desta condição de vida escrava dos padrões instintivos.

Marte e Plutão são ambos regentes de Escorpião, e uma quadratura tem vindo a aproximar-se; Marte em Balança pode vincar excessivamente o impulso do “eu” que quer afirmar-se, que quer impor, talvez até para não ser subjugado; Plutão em Capricórnio, implica transformações tão radicais que podem assustar, e originar reacções de defesa que visam preservar as estruturas conhecidas, porque a elas se associa um sentido de segurança. Como se não bastasse Marte em oposição a Urano exacerba o desejo de libertação individual e podemos agir sem pensar, impulsivamente, numa ânsia de nos sentirmos fora do alcance do que nos retira a segurança. Se são os instintos a conduzir estas tensões o resultado pode não ser bonito. E aqui Vénus assume um papel, se não acabando de vez com conflitos, pelo menos colocando água na fervura. A função de Vénus é harmonizar, pacificar, facilitar as relações, acrescentar valor; e enquanto transitar por Escorpião as motivações mais primitivas poderão ser transformadas à luz de valores mais sofisticados. Marte e Plutão como regentes do signo, beneficiarão do que acontecer em Escorpião durante a estadia de Vénus, a começar pela quadratura que poderá ser uma força de mudança equilibrada e não uma força bruta.

Vénus conta com duas ajudas importantes. Plutão liga-se a ela por um quintil, aspecto astrológico ao qual está associado uma força de especialização, alguma coisa única num estágio de desenvolvimento especial, criatividade. Se Plutão procura transformação, Vénus procura relação e acrescenta valor; então, entre estes dois, está simbolizado para hoje e amanhã alguma transformação, com um dom criativo, que directamente influenciará os relacionamentos. Tudo no Universo está em constante transformação e mutação e o objectivo é sempre crescimento e evolução. Mas para que individualmente possamos beneficiar e participar desta evolução precisamos transformar os nossos valores; precisamos abandonar viver instintivamente e precisamos aprender a viver mais conscientemente. Não é estalar os dedos e acabar com os velhos paradigmas;  vamo-nos transformado, dia a dia, passo a passo. Um dia destes li algures o seguinte: “o mundo não pode ser “concertado” agora. O mundo precisa ser curado. E cura não é um acontecimento é um processo”.

Processo de cura está a acontecer neste momento, directamente ligado a Vénus, através de um trígono a Neptuno em Peixes. Neptuno no próprio signo que rege exerce funções plenamente, funções estas que se relacionam com a dissolução de tudo o que não serve o propósito Universal de crescimento e evolução. Viver de acordo com instintos básicos não serve esse propósito, e Neptuno empresta a sua capacidade de dissolução a Vénus.

Com tudo o que está exposto, é de esperar que em Escorpião possam ficar profundamente estabelecidas transformações que irão contribuir para motivações mais puras, mais sintonizadas com novos valores que permitam uma vida mais feliz, plena e próspera. Não de um dia para o outro, mas dia a dia, passo a passo.

Einstein dizia que Deus não joga aos dados. Pois não, tudo está detalhadamente bem calculado! Amanhã a quadratura de Marte a Plutão termina. Hoje e amanhã a lua em Balança procura equilíbrio; Vénus já põe água na fervura dos instintos mais escorpiónicos, com ajuda do quintil a Plutão e do trígono a Neptuno. E uma quadratura de Marte a Plutão que podia acabar em conflito, pode acabar por ser a cura de muitos relacionamentos!

Quer isto dizer que finalmente vem aí a Paz global? Finalmente vamo-nos relacionar correctamente uns com os outros? Claro que não! Mas um passo em frente é dado, disso não tenho dúvida nenhuma! Que assim seja!

 

 

 

Informações sobre consultas aqui

 

 

Share Button