Lua cheia de Touro, 27 de Outubro

24843

 

Lua cheia em Touro, 27 de Outubro, 12.05 h

Esta Lua cheia acontece com o Sol em Escorpião e a Lua em Touro. A consciência solar irradia a energia de profunda capacidade transformadora de Escorpião; o inconsciente lunar é iluminado, e reflecte em resposta. Qualquer Lua cheia é o culminar do ciclo que começou na Lua nova anterior, que neste caso aconteceu no grau 19°20’ de Balança relacionado com um Símbolo Sabiano que nos remeteu para uma atmosfera, onde dimensões não materiais disponibilizaram inspiração e orientação à experiência na matéria. Como isto se desenvolveu, vamos ver.

Touro, regido por Vénus, signo da vida terrena, está estritamente ligado à fisicalidade, à matéria. Prazeres e posses são objecto de desejo. Na realidade estes podem ser vistos como âncoras que permitem a existência dum corpo, veículo de expressão e evolução da alma. Há um grande desafio que necessita da persistência e paciência que fazem também parte da energia de Touro. É ele, alcançar um estado de consciência, em que apesar da necessidade do mundo das formas, haja igual capacidade de desapego relativamente aquelas que se vão tornando obsoletas.

Escorpião é onde as grandes transformações ocorrem. Regido por Plutão e Marte, é uma energia de profunda capacidade regenerativa, onde para que a evolução decorra, há formas tornadas inúteis destinadas a morrer, abrindo assim espaço para que outras formas renovadas se façam manifestar. A este signo frequentemente se associa a imagem da Fénix que renasce das próprias cinzas, tal é a intensidade com que as transformações podem acontecer. Lembremo-nos que a nossa vida serve um propósito Maior, do qual muito poucos sabem as regras. É tão fácil perdermo-nos, baralharmo-nos, enveredarmos por caminhos escuros. Em momentos chave é necessário passarmos por processos depurativos, numa tentativa de que a rota original seja mantida o mais possível. O caminho é de pureza, e só purificados podemos prosseguir!

Símbolo Sabiano do grau onde se encontra o Sol:

Um jovem leva uma vela acesa num ritual devocional

Símbolo Sabiano de grau onde se encontra a Lua:

O pote de ouro no fim do arco-íris

O Sol a partir de Escorpião, lembrando que é o momento de conscientemente aderirmos às transformações necessárias, atinge a Lua em Touro que recebe a informação. Se é verdade que sentimos necessidade de segurança material, também é certo que provavelmente teremos que fazer morrer alguns apegos emocionais excessivos, ligados a bens, a questões de dinheiro, a valores. O que tudo isto lhe sugere? O que se fez realidade por estes dias na sua vida, que precisa ser alterado? É que sabe… é uma boa altura! Pode até fazer como o jovem do Símbolo, acendendo uma vela e dispondo-se  consciente, e devotadamente, proceder a todas as transformações que sabe serem imperiosas. No final, o seu pote esperará por si. Não se trata de um pote real e físico, contudo! Mas será uma recompensa suficiente para quem se dispõe a abandonar pesos desnecessários.

O Sol e a Lua fazem, respectivamente trígono e sextil a Neptuno. A vontade consciente, simbolizada pelo Sol, de aderir a todas as alterações necessárias é facilitada pela sensibilidade compassiva de Neptuno. Algumas transformações são penosas e exigentes, mas o toque suave e inspirado do regente de Peixes acalma e dissolve obstáculos. A Lua em Touro sem ligações de tensão, mostra que as emoções envolvidas são relativamente estáveis, e a ligação fluida a Neptuno dá a dose certa de imaginação e sensibilidade para lidar com as circunstâncias. A Lua liga-se a Plutão em trígono. Touro tem alguma relutância e rigidez em fazer mudanças, mas o aspecto a Plutão tem poder mais do que suficiente para acabar com essa teimosia. Afinal ele é regente de Escorpião! Inspirada por Neptuno, apoiada por Plutão, a Lua vai estar cheia de capacidade de desapegar de emoções e sentimentos que neste momento emperram o natural crescimento e evolução de cada um de nós.

Eu vou atrás do meu pote, e não vou sozinha! Quem me acompanha?

 

 

Sobre consultas disponíveis veja aqui

 

 

 

 

 

 

Share Button

Lua Nova em Balança, 13 de Outubro, 2015

12108285_826510787469391_8941796229985305194_n

 

Lua nova em Balança, 13 de Outubro, 1.05 h

Esta é uma Lua nova com um detalhe menos vulgar, o facto de, para além da conjunção entre o Sol e a Lua, não existirem mais aspectos (*) em aplicação entre os dois luminares e outros planetas. É como se a luz do Sol, naquele momento, escolhesse concentrar toda a sua energia em banhar de inspiração o inconsciente. Talvez porque o que está a ser irradiado seja absolutamente fulcral para o próximo ciclo que começa!

O Símbolo Sabiano envolvido é o 20 de Balança:

“Um rabi judeu, no exercício das suas funções”

Pista: A habilidade para canalizar o poder de uma tradição ancestral, a fim de servir e inspirar os seus semelhantes

Imagino uma Sabedoria herdada que o Sol se encarrega de emitir, e assim penetrar nas camadas emocionais, simbolizadas pela Lua. Com o Sol e a Lua em Balança, queremos e alcançamos a segurança emocional através dos nossos vários relacionamentos. Em Balança faz-se a aprendizagem das relações desenvolvidas correctamente, sem espaço para dominação nem subserviência. Note-se que, se fazemos uma aprendizagem, é porque ainda não dominamos a matéria; e de facto, a história da humanidade, bem como as nossas próprias histórias pessoais,  são bem demonstrativas da ausência de saber em como nos relacionarmos em pé de igualdade. Parece que, de uma forma geral, se não queremos ser vítimas, temos que mostrar “as garras”, fazer cara “feia”. Se não marcamos e defendemos o território, somos invadidos!

Para podermos ultrapassar este patamar de constante luta pela sobrevivência, precisamos da tal sabedoria ancestral, que existe e vai sendo partilhada entre as pessoas comuns. Mas este processo é recente, e muita confusão existe ainda. Mercúrio também está em Balança, e por isso os processos que decorrem em termos mentais, de comunicação e intelectuais, estão igualmente sintonizados com a procura de equilíbrio entre as relações humanas. Mercúrio é regente de Gémeos, onde a curiosidade infinita é o impulso para recolher informação eternamente. A mente pode colapsar de tanta informação recolhida! Mas Mercúrio é também regente de Virgem, onde a agitação mental se acalma, e onde começa um processo de selecção, de discriminação dos elementos recolhidos. Isto é o quê? E serve para quê? E como vou usar tudo isto para melhorar e aperfeiçoar e ajudar e tornar funcional o caótico? Todas estas funções do regente de Gémeos e de Virgem, ligam-se de forma fluída e directa, ao propósito de Saturno, ligados que estão por sextil. Saturno cuja missão é estruturar, estabelecer regras e obrigações, seguindo por Sagitário, fá-lo, tendo como objectivo alcançar novas formas de vida em concordância com a Verdade (pessoal e universal), que só com sabedoria e conhecimento pode ser alcançada.

A Simbologia desta Lua nova, ligada que está ao uso de uma tradição antiga colocada ao serviço “dos semelhantes”, toca o signo de Virgem, já que esta é uma energia de serviço aos outros. No Zodíaco, Virgem está entre Leão, que exprime o “Eu” levando-se apenas a si mesmo em consideração, e Balança, onde é necessário levar em conta o “Eu” do outro. Pelo meio existe a necessidade da personalidade perder o seu brilho excessivo, para que o brilho dos outros possa igualmente se fazer sentir. E nada melhor que o trabalho, cuja função seja ajudar os semelhantes e ensinar alguma humildade, para que possamos abandonar partes de nós que não servem à vida em comunidade!

Ora, Virgem está de momento incrivelmente acentuada, acolhendo Júpiter, Vénus, Marte e o recém-chegado nodo norte! Vénus e Marte dão-nos o prazer e o impulso para a acção em sintonia com este trabalho que tem como objectivo ajudar quem nos rodeia, quem connosco partilha deste pedaço do Universo, ajudar a melhorar o dia-a-dia de todos. Júpiter garante que o crescimento pessoal, passível de nos levar longe para novas formas de organizarmos a nossa vida, está igualmente conectado ao mesmo propósito. E como se não bastasse, o nodo norte entrou recentemente em Virgem, por onde irá transitar até 9 de Maio de 2017, reforçando a mensagem de que é através do que está simbolizado por aquele signo, que o futuro se alcança!

Vénus e Marte estão em trígono a Plutão; Plutão aproxima-se de uma quadratura a Urano, embora não vá atingir o ponto exacto, pois ele foi definitivamente alcançado e ultrapassado em Março deste ano. No entanto vão-se aproximar bastante, mantendo apenas 1° de diferença, o que irá relembrar e acentuar a tensão entre velhas estruturas e a necessidade de libertação das mesmas (pode ver aqui). Tudo isto revelando um sistema decadente em deterioração, mas simultaneamente processos a decorrer, que se por um lado contribuem para destruir o que já não tem cabimento na nossa vida, por outro encaixam as peças que servem de base a novas formulações da realidade.

Uma Lua nova é o início de mais um ciclo, ligado ao encontro da Lua com o Sol. E porque “o que está em cima é como o que está em baixo”, sintonize-se com o momento e comece também um novo ciclo, seguindo as pistas cósmicas. Elas são desenhadas pela Suprema Inteligência Universal, se as seguirmos, não há como enganar no caminho!

 

 

 

(*) Em bom rigor, os aspectos inexistentes são os mais comuns (aspectos maiores); na realidade existem 3 aspectos menores, e pouco utilizados, a Marte, Saturno e Neptuno. Por simplicidade, porque não alteram a tónica principal da “mensagem” desta Lua nova, e pelo contrário enfatizam, não são mencionados.

Sobre consultas disponíveis veja aqui

 

 

 

Share Button